Simplificando o Benchmarking: não tenha medo de olhar a grama de seu vizinho

Como implementar uma ferramenta de aprimoramento de processos, para aumentar a competitividade da sua empresa. Usando de análises de mercado e passos simplificados para alcançar tal competitividade

Benchmarking consiste no processo de busca das melhores práticas numa determinada indústria e que conduzem ao desempenho superior. Os Japoneses usam da palavra “dantotsu” usada para quando uma empresa ou alguma pessoa luta constantemente para ser o melhor do que ele já é, ou seja, um processo de auto aprimoramento que abarca procurar, encontrar e superar os pontos fortes dos concorrentes.

“Benchmarking é simplesmente o método sistemático de procurar os melhores processos, as ideias inovadoras e os procedimentos de operação mais eficazes que conduzam a um desempenho superior ” (Christopher E. Bogan).

É de suma importância destacar que não é apenas uma ferramenta de simples imitação, mas é a capacidade de enxergar as melhores práticas e processos, analisando todo o fluxo gerado e por fim, realizar pequenos aprimoramentos dentro do processo concorrente. Exemplificando, se você tem um restaurante rústico e de poucos resultados, acaba por descobrir que em outro bairro tem um restaurante glamouroso e sempre cheio, ao se questionar sobre como e por que tal restaurante está tendo tais resultados, você estará involuntariamente fazendo Benchmarking.

Modelos de Benchmarking, antes de demonstrar o processo de análise e aplicação vamos demonstrar os variados modelos de benchmarking que podemos utilizar.

  1. Benchmarking Competitivo
    Caracteriza-se por ter como alvo específico as práticas concorrentes. Por esse fator é um pouco mais complicada de ser feita, uma vez que, você estará lidando diretamente com seu adversário no market share. Entretanto, um método recomendado para se adquirir tais informações é a utilização do “Cliente Oculto” onde ele com um olhar mais analítico poderia destrinchar os processos.

  2. Benchmarking Interno
    Utilizado quando se almeja melhores resultados dentro da própria organização. Melhorando o relacionamento interno da empresa para que os colaboradores estejam de acordo com os objetivos estratégicos da mesma.

  3. Benchmarking Genérico
    É o Benchmarketing que atravessa vários setores dos colaboradores da empresa, ou seja, desde que o pedido é emitido pelo cliente, até a entrega dele em sua residência. É aquele que avalia o fluxo e determina se seus resultados são positivos ou negativos.

  4. Benchmarking Funcional
    É quando é comparado processo de trabalho entre as organizações, embora que, esteja sendo feita por empresas de áreas de atuações diferentes (Ex: Lanchonete e Posto de Gasolina).

  5. Benchmarking Cooperação
    Este é feito através de duas empresas parceiras que admitem uma a outra para avaliar uma a outra para benefício mútuo, compartilhando conhecimentos adquiridos em suas áreas de atuação para melhores resultados de ambas.


E como pode ser feito o processo de implementação do Benchmarking?

  1. Análise Interna: Avaliasse a capacidade interna e detalhada dos processos existentes, dos produtos que estão sendo vendidos e principalmente os serviços prestados aos consumidores, tais detalhamentos são de suma importância para a realização do benchmarking, uma vez que é desse detalhamento de análise interna que surgirão os indicadores para avaliação futura.

  2. Identificar as empresas “Modelo”: conhecer o mercado do qual você está envolvido, e conhecer os grandes e principais concorrentes que estão inseridos no seu mercado.

  3. Definir estratégia para captar informações necessárias para a realização da ferramenta, talvez utilizar de consultorias que são capazes de avaliar tal concorrente e então demonstrar resultados mais específicos do qual sua empresa esteja necessitando.

  4. Após informações colhidas deve-se analisar minuciosamente a capacidade dos concorrentes e comparar os processos semelhantes, avaliar se existe relação entre tais processos, ou seja, conhecer o melhor que seu concorrente tem e comparar com o que você acha que sua empresa precisa melhorar.

  5. Identificar as lacunas, observar o que pode ser melhorado dentro do seu processo comparando com o processo da empresa “Modelo”

  6. Projetar indicadores que possam mensurar e demonstrar que a empresa pode estar começando a seguir os passos da empresa “Modelo”

  7. Implementação dos aprimoramentos planejados e monitoria de acordo quanto a adaptação encaminha

  8. Recalibração: controle e checagem contínua, sempre com base no objetivo de aprimoramento dos processos.

Conclusão

Benchmarking é a ferramenta que faz você observar a grama do vizinho, mas não faz você ficar chateado por que a grama dele é mais verde, mas te faz observar o que é que o seu vizinho fez para que ela ficasse mais verde. Assim que você descobre tais atitudes e começa a impor a prática empreendedora de sempre procurar o melhor resultado, a consequência desses atos é uma empresa mais competitiva e que prima sempre prestar o melhor serviço ao cliente.

ExibirMinimizar
aci baixe o app