Café com ADM
#

Será que ser SIMPLES FEDERAL é tão simples assim?!

Após a publicação da chamada MP DO BEM, podemos repensar e considerar que ser SIMPLES FEDERAL é realmente vantajoso? Considerando que o SIMPLES FEDERAL, é a unificação dos tributos de ordem federal, e que o contribuinte ao invés de recolher PIS, COFINS, CSLL, IRPJ, IPI, etc recolherá o chamado imposto único Simples Federal onde abrangerá todos os tributos citados com uma carga-tributária MENOR, nós contabilistas devemos orientar os nossos clientes que dependendo das operações e atividades da empresa o chamado imposto único, é ILUSÓRIO, ou será que é RE-ELEITÓRIO?! Ops! Falha, não vamos entrar no assunto de política! Escusa-me. Voltando à concentração: analisando que a faixa inicial do Simples Federal é de 3% e a faixa final é de 19,65%, podendo ainda ter um acréscimo de 20%, podemos dizer que caso se a empresa exerça atividade de prestação de serviços exclusivamente ou que o faturamento da empresa proveniente de prestação de serviços seja igual ou superior a 30% (alíquota majorada), se a empresa NÃO TIVER FUNCIONÁRIOS registrados sob o regime de CLT, NÃO COMPENSA SER SIMPLES. Pois ainda que a tal atividade permita ser simples, mas o fato de ter que majorar a alíquota do simples federal, não é vantajoso, não é único, não torna menor a carga-tributária. Considerando que esta mesma empresa que possa enquadrar-se no Simples Federal, enquadrar-se por opção como Lucro Presumido, a carga tributária dela variará de 5,93% para atividade exclusivamente de vendas e de até 11,33% para atividade exclusivamente de prestação de serviços. E para atividade mista (vendas e prestação de serviços) a carga tributária variará dentre as duas, não sendo inferior a 5,93% e não sendo superior a 11,33%. Se a empresa for SIMPLES FEDERAL com faturamento acumulado de até R$ 960.000,00, ou R$ 80.000,00 mensal, exercendo exclusivamente atividade de REVENDA, terá uma carga-tributária de 7,80%, e está mesma empresa estando enquadrada como Lucro Presumido terá uma carga-tributária de 5,93%, ou seja, ser SIMPLES acarretará em um prejuízo mensal de 1,87%, resultando em 22,44% ao ano. O que 22,44% é em relação a tantas rendas que o mercado ganha, não é mesmo?! E agora se esta empresa for SIMPLES FEDERAL com faturamento acumulado de até R$ 960.000,00 ou R$ 80.0000,00, exercendo exclusivamente a atividade de PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, terá carga-tributária de 11,70%, e está mesma empresa estando enquadrada como Lucro Presumido terá uma carga-tributária de 11,33%, ou seja ser SIMPLES acarretará em um prejuízo mensal de 0,37%, resultando em 4,44% ao ano. MORAL DA HISTÓRIA: Ser SIMPLES quando não temos FUNCIONÁRIOS REGISTRADOS sobre o regime de CLT compensa, e é LUCRO apenas para faturamento anual de até R$ 240.000,00, ou R$ 20.000,00 mensal, ou seja, apenas MICROEMPRESA, ou seja, os pequenos empresários contribuintes. A partir do enquadramento como EMPRESA DE PEQUENO PORTE- EPP, é válido planejar se a situação da empresa compensará ou não ser contribuinte do tão é famoso imposto simplificado SIMPLES FEDERAL! Então, NÓS CONTABILISTAS, vamos nos conscientizar e deixarmos de sermos apenas um guarda livros ou cumpridor de obrigações acessórias, e vamos de grão em grão mudarmos a situação financeira de nós mesmos, não acreditando e iludindo-se com tudo que vemos em nossa frente. Katia de Angelo
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.