Ser vencedor ou perdedor no mundo dos negócios
Ser vencedor ou perdedor no mundo dos negócios

Ser vencedor ou perdedor no mundo dos negócios

Fatores essenciais para uma organização de sucesso. O que você tem que mais ninguém tem?

Atualmente ouvimos constantemente a palavra crise e junto com ela vêm concorrência acirrada, empresas afoitas por vendas, pressão em seus colaboradores, e demissões em massa. Tudo isto pela falta de vendas.

Será mesmo que a situação permeia somente pela crise? Ou será que é deixado de lado fatores importantes que demandam a piora desta situação neste período?

O sucesso está ligado fortemente a 3 fatores primordiais:

  • Resolução de problemas;
  • Inovação / Criatividade;
  • Equipe eficaz.


A utilização da criatividade, inteligência, e o pensar fora da caixa são imprescindíveis. Faça novas combinações, deixe o pensamento disruptivo liderar, simplifique soluções e coloque-as em prática, teste e aperfeiçoe as ideias.

Peça sugestões aos seus colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros. Esta união de ideias é muito valiosa e criam-se soluções inovadoras.

Nunca subestime a concorrência. Hoje o tempo é essencial, seja mais rápido que a sua concorrência.

Mas como fazer isto? Crie novas ideias a partir da co-criação, surpreenda com novos serviços e produtos, processos mais eficientes e simples, encante seu cliente, venda sempre valor e não preço, e ao final pergunte-se sempre:

“O que tenho que ninguém mais tem?

Bill Gates utiliza como DNA de sua empresa a seguinte frase e com ela podemos refletir um pouco: “Trabalhe para tornar seu produto obsoleto antes de seu concorrente”. Isto quer dizer, a cada valor agregado ao seu produto/serviço, já inicie o trabalho de encontrar novo valor que encante, e que surpreenda seu cliente. Não espere que a concorrência execute primeiro, pois somente os primeiros bebem água limpa.

Diferenciando-se da concorrência, você consegue vender valor e não preço, então tenha um atendimento que encante seu cliente, tenha líderes capacitados, treinados e aptos a gerar novos líderes para vários níveis de sua organização.

Pergunte-se sempre: meu cliente se sente especial? Ele se sente valorizado? O que estou entregando a mais para ele que diferencia meu produto? O que não entrego ao meu cliente? Como posso surpreendê-lo?

O cliente precisa ser seu fã, seu amigo, pois as empresas não vivem de vendas e sim da pós venda. Partindo deste princípio, certamente conquistará um relacionamento fiel e evangelizador da sua marca.

Neste novo tempo, os clientes querem ser surpreendidos, querem serviço ou produto com valor agregado, atendimento personalizado, confiabilidade, qualidade e eficácia em todo o processo. Este novo cliente não admite receber apenas um atendimento básico, mediano ou dos chamados “tiradores de pedido”.

Hoje procuram algo a mais. Querem ser recebidos com amenidades, com empatia, através de pessoas capazes de solucionar seus problemas e necessidades, entregando mais do que veio buscar: uma verdadeira experiência de compra agradável que o fará retornar e se fidelizar a você e à sua empresa.

E como manter-se neste sucesso após estar alinhado com o desejo do seu cliente?

É neste ponto que o “bicho pega” e muitas empresas viram “pó”.

O fator liderança é a chave essencial. É ela quem faz uma empresa ser vencedora ou perdedora. É necessário ter bons líderes para a formação de novos líderes em vários níveis de sua organização. Não esqueça que atrás de qualquer estratégia está um ser humano e o resultado positivo só será alcançado através das pessoas.

Em todo momento são vistos líderes que se esquivam de suas responsabilidades, que as transferem aos seus liderados nas soluções de problemas, e desta maneira demoram em proporcionar o retorno esperado pelos seus clientes. O erro primário está na seleção destes líderes, que são escolhidos muitas vezes com base em alguns conceitos, tais como: ser uma pessoa comunicativa, desembaraçada e que tenha um bom acesso com todos do departamento.

Para ser um bom líder, além das qualidades acima citadas, é necessário ter um conjunto de competências bem desenvolvidas.

Vejamos algumas: ter capacidade de produzir e conduzir uma equipe; ouvir seus liderados; fazer parte da criação de soluções inovadoras; trabalhar em equipe e não em grupo; coragem para aprender com o fracasso; formar novos líderes; ter curiosidade, procuram sempre novas possibilidades e levantam questões onde ninguém havia imaginado; e, o mais importante, ser receptivo a novas ideias, ajudando a conduzir sugestões internas para os demais departamentos e colhendo informações externas; escutar e dar atenção ao seu liderado, cliente ou numa observação do mercado e informar à empresa para que seja utilizada no desenvolvimento de valor agregado aos clientes.

Este líder se relaciona com vários setores da empresa, conhece cada um deles, seus problemas, suas sugestões, o que os desmotiva ou motiva, assim como seus parceiros externos. E forma sua equipe, com visão no futuro, nas tendências que estão por vir e já se prepara para estar e reinar no Oceano Azul.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento