Sem criatividade e planejamento estratégico, não há relacionamento eficaz com a imprensa

Exemplos de resultados ruins no cotidiano da assessoria de imprensa e como mudar para melhorar as inserções de empresas, produtos, serviços e seus executivos nos veículos de comunicação, focando em criatividade e planejamento estratégico

Segundo semestre chegando... É hora de reavaliar o que deu certo e o que não deu para identificar o que mudar nas estratégias de comunicação do ano. Uma coisa é certa. Por mais que seus produtos ou serviços sejam reconhecidos e admirados pelos clientes, há um longo caminho a ser percorrido para se fidelizar o consumidor.

As pessoas gostam de novidade, de experimentar coisas novas e, por mais que passem anos utilizando os mesmos produtos, em algum momento elas buscam o novo. E você corre o risco de perder seu cliente para o concorrente.

E é aí que a comunicação por meio da imprensa pode fazer diferença. Não tenha dúvida: criatividade é a palavra-chave para uma comunicação que seja verdadeiramente diferenciada e atraia a atenção primeiramente do jornalista e, secundariamente, do consumidor.

Em geral, as peças publicitárias esbanjam criatividade. Mas essa pegada é rara nos releases e publicações dirigidas. Quando não falta criatividade, falta planejamento, estratégia e esforço adequados.

  • Quantas vezes a assessoria de imprensa não alcança o resultado esperado e alega que os jornalistas não gostaram da ideia de pauta? Por trás disso, pode estar ocorrendo: escolha errada de jornalista para receber o release, escolha errada de veículo e foco errado do release em si.

Quando há criatividade, o assessor consegue criar vários releases diferentes a partir de um mesmo assunto, dando a cada um deles um jeito de pauta exclusiva e ampliando a possibilidade de emplacar o tema em vários veículos. O que muda, nesse caso, é a forma de contar.

· Há quanto tempo as publicações da sua empresa na mídia são alcançadas apenas porque a marca é conhecida entre jornalistas e acaba sendo procurada para ser fonte?

Quando há criatividade, as inserções não são reativas. Ao contrário, são pró-ativas. A assessoria emplaca sua ideia de pauta e, com isso, geralmente ganha mais espaço na reportagem do que quando é apenas uma fonte a mais sendo consultada.

  • Quantas vezes os assessores divulgam sua notícia para um mailing enorme, com veículos desconhecidos, por meio das ferramentas de internet disponíveis, em vez de escolher a dedo veículos e jornalistas que merecem ser contactados diretamente?

Criar aproximação com jornalistas é muito mais eficaz. Bons assessores ficam em contato direto com jornalistas e também colocam seus assessorados em contato.

  • Quantas vezes você já ouviu jornalistas reclamando da postura dos assessores? No desespero de ter volume de publicação – e não qualidade –, muitos assessores disparam pautas mal elaboradas, extremamente publicitárias e com assuntos que nada têm a ver com o perfil dos veículos.

Assessoria de imprensa é um trabalho de relacionamento que deve ser feito com muita estratégia e planejamento, de forma personalizada. Deve considerar os objetivos do marketing da empresa, estar alinhado aos objetivos do negócio e acima, tudo, deve estar sempre muito bem atualizado. Afinal, as coisas mudam muito rapidamente dentro das empresas.

  • Nós que já temos experiência de mais de 20 anos, já vimos profissionais que não conseguem fazer do limão uma limonada simplesmente porque não se permitem ir além. Assim, estão sempre com medo e com vergonha de se aproximar da mídia.

Com nossa experiência, afirmamos sem dúvida alguma: as redações estão cheias de jornalistas que precisam – e muito – do apoio das assessorias. Basta levar a eles propostas de pautas bem elaboradas, adequadas ao público de cada veículo.

  • Quantas vezes você pergunta ao assessor da empresa e ele não sabe responder: quais são os principais concorrentes da empresa? Qual a história da empresa? Qual sua missão? Quais seus mercados futuros e potenciais? Quais ameaças e riscos? Quais os problemas legais ou marcos regulatórios?

O assessor de comunicação tem que conhecer a empresa a fundo. Tem que se relacionar com executivos, estar próximo, vestir a camisa e ser, no mínimo, um apaixonado pela empresa. Sem paixão e credulidade, muitos esforços são abandonados no meio do caminho.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento