Seja a mudança que você quer ver no mundo
Seja a mudança que você quer ver no mundo

Seja a mudança que você quer ver no mundo

“Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento”

As pessoas mudam, o mundo gira, os amigos se transformam, as famílias se reinventam, as coleções de roupa se modernizam e depois voltam ao passado, os restaurantes da moda mudam, os gostos mudam, os objetivos mudam. Tudo muda?

Quem muda? E como? E para onde? Se eu mudo eu preciso ir para algum lugar?

O dicionário nos diz que: "Uma mudança ou transformação pressupõe uma alteração de um estado, modelo ou situação anterior, para um estado, modelo ou situação futuros, por razões inesperadas e incontroláveis, ou por razões planejadas e premeditadas".

Mudar assusta, intimida, alegra, motiva ou entristece? Mudar é bom ou é ruim?

Isso tudo depende. Depende da forma de pensar de cada um, da maneira de visualizar a situação, da abertura ou não para novidades, das razões para a mudança, da mudança ser temporarea ou definitiva, de ser planejada ou imprevista, rápida ou devagar, por necessidade ou por opção, por um bom motivo ou porque você simplesmente faz parte do pacote.

Seja lá como for, acho que todos podem concordar que a vida é feita de mudanças e também de imprevistos. Muda o caminho para o trabalho porque a via está interditada, muda o dia porque a cidade está em greve, muda o dia da consulta porque o médico viajou, muda muito coisa o tempo todo. E muitas destas mudanças não dependem de nós, mas dependem de terceiros, do ambiente, do desejo e das necessidades e até mesmo do humor de outras pessoas.

Tudo bem complicado. Mas quando depende só de mim é muito mais simples, resolvo as coisas com o pé nas costas. Será? Falando um pouco sobre mudança de comportamento e de atitude. Se uma pessoa não quer mudar, por mais que as outras digam repetitivamente que ela está fazendo algo que incomoda ou que precisa mudar nada a fará mudar se ela mesma não quiser. Nisso tem um mix de muitos fatores: autoconhecimento para quem tem e já pratica em sua rotina ou autoconhecimento para quem quer ter e busca acrescentar em sua rotina. Além disso, saber ouvir e receber críticas e reconhecer a necessidade de ajustes, adaptações, mudança. Para mudar comportamento e atitude é preciso querer, é preciso estar disposto a se aprimorar como ser humano e a fazer isso também por respeito aos outros.

Muitas são as formas de mudança e também as oportunidades para quem consegue enxergar dessa forma. Se eu recebo cara feia na rua, feedbacks de amigos e colegas de trabalho sobre uma característica minha que incomoda ou que acham que eu preciso aprimorar o que eu vou fazer com esta informação? Boa parte vai agir agressivamente para se defender ou fingir que nem ouviu e deixar que o tempo opere verdadeiros milagres. E o tempo resolve?

Optar por não mudar também é uma decisão que impacta em mudanças. Eu mudo de casa ou não? Eu faço um curso ou não? Eu procuro terapia ou coaching ou deixo tudo como está? Viajo ou fico em casa? Aceito o pedido de casamento? Decido ter filhos? Mudo de emprego? Eu arrisco?

Tudo muda mesmo que eu não mude e isso não vai mudar. Falando de emprego, por exemplo, a tendência também é agir da maneira mais segura e confortável possível. O ser humano se encontra, se aconhega bem e passa a morar na zona de conforto. Você não gosta do emprego, das pessoas, vive irritado, resmungando para os colegas e familiares, mas você não muda. Alguns não mudam realmente pelo dinheiro, por necessidade, mas a maioria não muda por medo da mudança. Por medo do novo, medo de não dar certo, medo de recomeçar. A pessoa acha que está no controle até que é demitida. E pode descobrir que apesar das dificuldades, não necessariamente a mudança é ruim. Isso levou a um novo curso, a conhecer novas pessoas, a atualizar o currículo, a procurar amigos que estavam distantes. Isso levou a pessoa a mudar, a se reinventar.

Mesmo que eu não mude, o mundo muda, as pessoas mudam e os ambientes mudam. Mudar é transformar, reinventar e então porque não começarmos por nós mesmos? Às vezes é melhor a gente mudar do que alguém fazer as malas e se mudar de nossas vidas. E fazer a mudança por nós, de nós.

Experimente fazer alguns exercícios de autoconhecimento, pedir feedback no trabalho, ouvir verdadeiramento o que os outros tem a dizer sobre você. Misturar a sua visão, com a visão do outros e se conhecer melhor, identificando oportunidades de aprendizado e crescimento pessoal e profissional.

Experimente mudar. Você corre o risco de descobrir coisas maravilhosas sobre você. Tem a oportunidade de desenvolver em meses o que não fez em anos, simplesmente porque não parou para olhar para dentro de si mesmo e não parou para ouvir o que os outros estavam dizendo sobre você e para você.

“Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento”.

O que você escolhe?

ExibirMinimizar
aci baixe o app