Café com ADM
#

SAÚDE PÚBLICA - QUESTÃO DE RESPEITO.

SAÚDE PÚBLICA - QUESTÃO DE RESPEITO. A todos os leitores, os meus mais respeitosos cumprimentos. Marcílio F. da Costa Pereira. Joinville, Santa Catarina. 12/09/2005. Nota: O texto abaixo não é de minha autoria, tendo sido disponibilizado pelo ilustre professor F.J. de Abreu Matos. O PROJETO FARMÁCIAS VIVAS O projeto Farmácias Vivas é um novo sistema de assistência social farmacêutica criado na Universidade Federal do Ceará, que visa transferir para pequenas comunidades governamentais (Secretarias Municipais de Saúde) ou privadas (ONGS), o conhecimento científico sobre as plantas medicinais da região e seu uso medicamentoso correto, envolvendo, direta ou indiretamente, as atividades profissionais do farmacêutico, do agrônomo e do médico, representadas em sua logomarca Seu principal objetivo é oferecer plantas e informações que permitam seu emprego adequado em substituição uso popular ora vigente onde ela se constitue no material terapêutico mais freqüentemente utilizado por milhões de pessoas que formam a parte menos abastada da população nordestina, embora ainda não inexistam dados suficientes para permitir o esse uso de natureza empírica. Para promover o uso correto deste tipo de fitoterapia foi desenvolvida uma nova metodologia apropriada ao trabalho com várias plantas disponíveis na região, selecionadas por sua eficiência terapêutica, comprovada cientificamente quer através da experimentação na própria Universidade, quer através da análise da literatura pertinente. As plantas escolhidas por qualquer desses dois métodos são, em seguida, cultivadas no horto de plantas medicinais, tóxicas e aromáticas da UFC de onde são transferidas para pequenas, porém numerosas hortas, para serem usadas como medicamentos preparados em pequenas oficinas farmacêuticas, seja na forma de preparações caseiras usuais ou, opcionalmente, na forma de fórmulas farmacêuticas relativamente simples, conforme se mostra de maneira resumida na apresentação ilustrada a seguir, através dos itens que justificam as atividades desenvolvidas pelo projeto: 1. RESUMO DAS ATIVIDADES DO PROJETO:. a) seleção das espécies, através da captação, arquivamento e organização de bancos de dados e das informações a serem distribuídas sobre o cultivo e o uso correto das plantas; b) coleta de plantas medicinais no campo para sua introdução no Horto, identificação taxinômica, domesticação, produção de mudas e de material para estudo experimental; c) instalação e assessoramento de Farmácias Vivas constituídas de hortas medicinais complementadas por oficinas farmacêuticas de nível artesanal ou farmacotécnico, postas a disposição de comunidades privadas ou governamentais interessadas; d) treinamento de pessoal de primeiro, segundo e terceiro graus, pertinentes às áreas de conhecimento agronômico e farmacêutico, aplicado ao uso de plantas medicinais; e) editoração e distribuição dos impressos de orientação do uso correto de plantas medicinais da região. 6 RECOMENDAÇÕES DA OMS: A Organização de Saúde Mundial tem recomendado insistentemente o uso correto das plantas como uma forma de fazer com que os programas de saúde pública alcancem a maior parte da população, desassistida, especialmente em países do terceiro mundo. Isso é especialmente aplicável à região Nordeste do Brasil, onde 85% da população não têm condições econômicas para comprar medicamentos vendidos em farmácias. 21 - CUSTOS DE MEDICAMENTOS INDUSTRIAIS VERSUS FITOTERÁPICOS DAS FARMÁCIAS VIVAS- I: comparação de preços entre produtos farmacêuticos adquiridos pelo sistema de saúde pública no Nordeste a base de metoclopramida com o produto do PROJETO FARMÁCIAS VIVAS, preparado com folhas de Plectranthus barbatus. Esta substituição tem a mesma eficácia terapêutica e permitiu economia cerca de R$13.500.00 por mês para os cofres do serviço de saúde pública. 22 - CUSTOS DE MEDICAMENTOS INDUSTRIAIS VERSUS FITOTERÁPICOS DAS FARMÁCIAS VIVAS II: comparação de preços entre o produto farmacêuticos a base de salbutamol adquiridos, com o produto do PROJETO FARMÁCIAS VIVAS, preparado com a entrecasca de Amburana cearensis. Esta substituição tem a mesma eficácia terapêutica e menos efeitos secundários e permitiu uma economia mensal de R$3.000.00 para os cofres do Município. 23 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES II: QUATRO VARAS: Teatro popular com crianças da favela Quatro Varas caracterizados com roupas representando plantas medicinais para, promover seu uso pela comunidade. 24 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES III: IPREDE. (Instituto para Recuperação Mental e Física de Crianças sob Condições de Subnutrição Severa): Um farmacêutico dá aulas sobre o uso correto de plantas medicinais do PROJETO FARMÁCIAS VIVAS. Para um grupo de mães das crianças hospitalizadas no IPREDE. 25 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES IV: - INSTITUIÇÃO GOVERNAMENTAL: Entrada principal horto da Farmácia Viva da Secretaria Municipal de Saúde de Maracanaú, município com 80.000 habitantes, situado no interior do Ceará. 26 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES V: - RESERVA ABORÍGINE NA AMAZÔNIA: Associação do PROJETO FARMÁCIAS VIVAS com a Fundação inglesa Body shop e a FUNAI (Fundação Nacional do Índio, Brasil), para estimular o uso correto de algumas plantas medicinais do PROJETO FARMÁCIAS VIVAS e ensinar aos aborígines como cultivar e usar essas plantas. 27 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES VI: - RESERVA ABORÍGINE: Índios brasileiros no Parque Indígena do Xingu, na Amazona brasileira recebem ensinamentos de farmacêutico do centro de saúde de FUNAI, em Altamira, Pará (Norte de Brasil), treinado pelo PROJETO FARMÁCIAS VIVAS no manejo e uso correto de algumas plantas medicinais do elenco Farmácias Vivas. 28 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES VII INFORMAÇÕES PARA USUÁRIOS: Cartaz preparado pela Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, aconselhando aos usuários os cuidados que devem Ter com o uso indiscriminado de plantas medicinais e com a automedicação, de acordo com a metodologia de trabalho do PROJETO FARMÁCIAS VIVAS. 29 - EXEMPLOS DE FARMÁCIAS VIVAS EM COMUNIDADES VIII INFORMAÇÕES PARA USUÁRIOS: Historieta em quadrinhos: Quadrinhos da Saúde - Farmácias Vivas, publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, ensina a importância das plantas medicinais para as pessoas e a natureza, de acordo com os princípios de preservação do meio ambiente e a proposição original do projeto. 30 - TRANSFERÊNCIA DAS INFORMAÇÕES: Dois livros foram editados para permitir aos usuários o acesso às informações científicas sobre as plantas do projeto Farmácias Vivas. O Farmácias Vivas que trás em linguagem simples a descrição das plantas, suas propriedades, maneira de cultivá-las e usa-las corretamente, e as referências bibliográficas. O álbum As plantas das Farmácias Vivas com imagens coloridas das plantas que facilitam sua identificação mesmo por uma pessoa leiga. O projeto Farmácias Vivas da UFC pode ser contado pelos interessados em obter as informações necessárias para instalação deste sistema e treinamento de pessoal através do seguinte endereço: Prof. F. J. de Abreu Matos E-mail: fjamatos@ufc.br ou farmacia-viva@secrel.com.br Laboratório de Produtos Naturais - Projeto Farmácias Vivas Universidade Federal do Ceará - Campus do Pici - Fone & FAX (085) 287 6322
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.