Café com ADM
#

SABER LIDERAR, NEGOCIAR E SER FLEXIVEL SÃO DIFERENCIAIS

Sucesso exige mais do que qualificação A preocupação do executivo já é sentida pelas organizações. Especialistas em Recursos Humanos afirmam que o ambiente de corporativo carece de profissionais que, além de suas habilidades técnicas, também demonstrem conhecimento que, em um primeiro momento, podem até soar insólitos para a função. Entre as chamadas competências indispensáveis a esse novo cenário, saber liderar e negociar, ter firmeza nas decisões, ser flexível e até desenvolver uma visão holística do negócio surgem como as mais apreciadas por quem comanda processos seletivos no mercado. O principal é saber trabalhar o lado emocional, o conhecimento espiritual gera a compreensão dos limites pessoais e a consideração pelo outro, com suas forças e fragilidades. Alguns profissionais estão procurando fazer o curso de eneagrama, pois trata-se de uma ferramenta de auto-conhecimento, capaz de definir o perfil psicológico de cada individuo. Com a ajuda de um bom tutor é possível encontrar seu perfil e trabalhar em cima de qualidades e deficiências reveladas. O profissional hoje deve ser eclético, deve ser capaz de ter um entendimento global da empresa. Ou seja, foi-se o tempo que um engenheiro exerceria sua profissão até a aposentadoria, isso acabou. Não basta apenas focar-se naquilo que se conhece tecnicamente. Saber absorver derrotas e conseguir trocar idéias Eleger a capacidade de liderança e negociação, poder de decisão e habilidade de comunicação como competências mais valorizadas hoje no profissional contemporâneo. É importante mesclar essas características, ser bom líder e ao mesmo tempo saber o que fazer em momentos decisivos, absolver derrotas e ter facilidade de trocar idéia com a equipe. Um colega que fez o curso de eneagrama diz que fez por indicação de um amigo, mas confessa que ele procurou mais para se conhecer melhor do que propriamente usar a favor dele no trabalho. Mas o curso ajudou a perceber que ele tinha certos hábitos de defesa que acabavam atrapalhando no dia-a-dia do trabalho. Por exemplo, acompanhar projetos do início ao fim. Ele afirma que gostava de criar, mas não acompanhava o projeto até o final e isso é ruim para qualquer profissional. A própria capacidade de enxergar deficiência e corrigi-las também é visto como uma qualificação extra do profissional. Saber gerar a própria carreira é indispensável para quem planeja crescer no mercado. A auto-avaliaçao é a melhor forma de identificar essas competências, pois se não tiver já sabe
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.