Só vou ali voar...
Só vou ali voar...

Só vou ali voar...

Algumas rupturas acontecem para que possamos nos desgrudar do chão, e voarmos mais alto.

O ano era 2018, e meu filho do meio, o Vinícius, tinha viagem agendada para um clube de futebol, no qual jogaria o campeonato paranaense sub 17.

A minha sensação era dividida. Alegria e tristeza, lágrimas e sorrisos, medo e confiança. Tanto é, que mal consegui me despedir dele ao deixá-lo no clube. Lembro que voltei para casa com meu outro filho, Paulinho, e o ex-treinador do Vinícius, que haviam ido juntos. A viagem de regresso foi bem mais silenciosa, diferente das que fazemos sempre.

Assim que retornei, gravei um vídeo e enviei para o Vinícius, expondo mais o meu ponto de vista sobre aquele momento crucial nas nossas vidas. Seria o período mais longo da minha vida longe dele. Não receberia seu abraço pela manhã, antes de ir para a escola. Não acordaria às 4h da manhã para verificar sua febre (mesmo ele já tendo 16 anos). Nem mandaria desligar o videogame ou o JBL, diante das algazarras com os amigos (risos). Agora, provavelmente, acordaria imaginando como estava num lugar distante, bem como, eu mesmo jogaria FIFA 18, e ouviria aquelas músicas sem noção, só para sentir que ele estava perto. E foi exatamente assim que ocorreu por semanas, até eu me acostumar com a nova situação.

Eu sabia que era seu sonho, e de algum modo, como pai, o meu também. Foi então que cheguei à seguinte conclusão: ele não estava indo embora, só estava indo voar. Eu levei um tempo, mas notei que é quase sempre assim que a vida funciona em relação a muita coisa, não apenas com os filhos, que, um dia, parecerá que estão nos abandonando, mas, na verdade, só querem ir ali voar.

Aquele trabalho que você está há décadas, mas, que decide largar, não significa um abandono, como muitos pensam, e até dizem que você está sendo ingrato. Não é assim, afinal, as pessoas têm o direito de sonhar, e para isso, geralmente, precisam voar mais longe quando não há oportunidades por perto.

O mesmo acontece quando você é dispensado repentinamente, e tudo o que dizem é que estão cortando custos. Não ache que sua empresa é ingrata, sem coração. Nem sempre é isso. Às vezes, nesse caso, só significa que não estamos voando tanto quanto ela precisa. E nos dias de hoje, as organizações precisam muito de gente que sonhe alto, e queira voar nas metas, nas vendas, nos resultados. Elas precisam de gente que sonhe grande, que tenha metas de vida, pois sabem que são essas pessoas que batem metas de vendas!

Quem sabe seja a partir dessa demissão que, se você parar de ver com uma afronta, uma catástrofe, e passar a enxergar como uma ótima oportunidade de evoluir, crescer, irá ter a chance de mudar sua visão, suas atitudes, e voar alto, não é?

Pode ser que tenha constituído um negócio, uma empresa, e quando teve a oportunidade de crescimento, preferiu não se arriscar. Contudo, observa agora que deveria ter ousado mais, pois está em constante regresso nos negócios. Que tal se programar para um salto maior? Ou, se perceber que ela não tem mais jeito, não jogue a tolha, deixando ir embora seu sonho de empreendedor. Talvez seja o momento de dar um passo para trás, fechando esse negócio, para que possa recomeçar de um novo jeito, mais ousado, melhor planejado, voando para o lugar que merece.

Ou na sua relação conjugal. De repente alguém foi embora, deixou você a ver navios. Por qual razão isso ocorreu? Será que não foi melhor, no fim das contas, para vocês dois? Quem sabe juntos, um estava impedindo o outro de voar, de realizar seus sonhos, projetos? Conheço muitos casais que em vez de crescerem quando se unem, acabam se separando cada vez mais do sucesso e da felicidade. Às vezes conseguem dinheiro, tiram a barriga da miséria, mas, matam a felicidade de fome. Se avaliar bem, verá que foi melhor assim, do que ficarem dando murro em ponta de faca nessa relação que só atrasava a vida de vocês dois.

Quando alguma ruptura, aparentemente negativa acontecer, procure ponderar por outra óptica essa questão. Não é que tudo o que acontece, tinha de acontecer. Isso é engano. Todavia, a realidade é que tudo o que acontece, nós fomos dando corda para que acontecesse.

Então, não é o evento em si que é bom ou ruim, mas sim, nossa forma de conduzir a vida após esse episódio. Se ficarmos lamentando o fato, só vamos piorar o cenário. Obviamente que quando essas rupturas acontecem, teremos um período de sofrimento, medo, angustia, alguns sentimentos misturados. Contudo, quem vai melhorar a situação, é a pessoa que passa rapidamente por ele, encontrando nisso uma oportunidade de ir mais longe, de voar, em vez de afundar.

Voltando ao caso do Vinícius, foram os meses mais longos da minha vida. No entanto, depois dessa eternidade distante, ele regressou para casa. Foi sonhar, se permitiu conhecer o novo, se arriscar, e passou por todo tipo de situação, boas e ruins. Mas, retornou com uma bagagem mais profunda, com uma estrutura física e mental melhores, que farão uma tremenda diferença na sua trajetória humana.

Descobriu um valor ainda maior, de tantas coisas simples que sempre teve, como alimento e cama quentes e limpos. No final, ambos nos permitimos olhar pelo melhor dos ângulos para aquele momento: de que os sonhos precisam de que demos asas a eles, e às vezes, isso significa ir para longe do que e de quem possuímos no momento.

Nem sempre quer dizer que será uma ruptura final, sem volta, mesmo que em alguns casos, seja. Porém, quando isso acontece, na imensa maioria das vezes, rompe-se um ciclo, e começa-se outro melhor.

Certamente você já passou, passa, ou ainda vai passar por alguma ruptura de relacionamentos, sejam eles pessoais ou profissionais.

Um dos pontos mais importantes nessas horas, é que você acredite: do mesmo jeito que o Vinícius voltou melhor, mais preparado, e mais ciente do que quer para sua vida, o mesmo vai acontecer com você, seja lá qual for a sua situação atual. Basta que enxergue tudo isso como uma chance de evoluir. Afinal, você só está se permitindo voar mais alto.

Forte abraço, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Professor Sérgio

    Professor SérgioAdministrador Premium

    Empresário, autor do bestseller MENTE DE VENCEDOR e Palestrante. Formando em Ciências Contábeis, e Pós-Graduado em Gestão Empresarial e Pessoas.

    Com uma história inspiradora, de infância humilde, como gari, dentre tantas outras atividades, se tornou empresário, escritor e palestrante de sucesso, e tem ajudados milhares de pessoas e empresas a revolucionarem suas vidas e seus negócios.

    O Prof. Paulo Sérgio tem realizado palestras por todo o território nacional e também internacional, levando uma mensagens inspiradora, através de sua história de sucesso, com muito conteúdo, bom humor, emoção e performance, capazes de estimular as pessoas à uma grande reflexão para promoverem às mudanças comportamentais necessárias para alavancarem seus resultados pessoais e profissionais.

    café com admMinimizar