Café com ADM
#

Risco é a taxa de admissão no empreendedorismo

O risco é fácil de entender. Ao crescer, ouvimos lembretes diários de risco: “Não brinque na chuva - você pode ficar doente”, e aquele outro: “Olhe para os dois lados ao atravessar a rua”.

Quando ficamos mais velhos, aprendemos a ver o risco como uma taxa de admissão por recompensa, como exemplo: "A pessoa que você gosta não vai sair com você se você não perguntar". "Para conseguir um emprego, você precisa se inscrever". Mais tarde ainda, aprendemos que as recompensas mais altas envolvem riscos mais altos.

Claramente, transformar oportunidade reconhecida em recompensa requer risco!

Colocar capital é o primeiro risco que a maioria das pessoas veem, mas o risco empresarial é mais profundo, e a reputação pessoal é que fica em questão. Os empreendedores também investem - e arriscam - tempo e custo de oportunidade, eles apostam no capital intelectual - expondo suas ideias empreendedoras ao mercado.

Para muitos empreendedores, os riscos são obstáculos que os mantêm à margem. O risco de perder um financiamento necessário para startup pode ser impensável, ou o risco de deixar um emprego estável pode ser demais para uma pessoa de um trabalho "conservador".

E há custos não financeiros a considerar!

No Japão, por exemplo, um empreendimento empresarial mal sucedido é tão prejudicial para a reputação de uma pessoa que aqueles que não obtêm sucesso são forçados a se afastar para não envergonhar sua comunidade. Essa pesada barreira de risco é parte do motivo pelo qual o empreendedorismo de startups no Japão está entre os mais baixos do mundo.

Em um ambiente de sala de aula, podemos reduzir o risco e criar um local seguro para os alunos tentarem praticar o empreendedorismo. Mesmo no espaço seguro da sala de aula, a noção de se levantar diante de 25 de seus pares e apresentar uma ideia está repleta de riscos sociais. Mas eles aprendem a avaliar esses riscos, enfrentam e passam por eles.

O mundo real não é tão simples, as empresas falham e riscos e consequências são reais. Um bom conselho para todos os potenciais empreendedores, seja em uma sala de aula ou em uma mesa de cozinha, é ser claro e objetivo sobre os riscos de atuar em oportunidades reconhecidas. Sente-se e escreva-as! Faça avaliações honestas sobre o que seu esforço custará em valores econômicos, dias e outras formas menos imediatas.

Pense em tudo o que você escreve como um empréstimo que está fazendo para a sua ideia - um empréstimo que nunca pode ser pago de volta.

Depois de ter sua lista de riscos, procure maneiras de reduzi-la ou gerenciá-la.

Para reduzir os riscos financeiros, aqueles que consideram uma nova ideia ou produto frequentemente pensam em se aproximar de investidores anjos ou capitalistas de risco. Infelizmente, especialmente como empreendedor pela primeira vez, atrair investidores iniciais pode ser especialmente complicado, demorado e pouco recompensador. Mas se financiamento externo é obrigatório para o sucesso da sua oportunidade, faça o seu trabalho de casa e prepare seu Plano de Negócios por escrito.

Em vez de perseguir investidores anjos, a maioria dos empreendedores pequenos, iniciantes e jovens aproxima-se da família e dos amigos para e apoiar - pessoas que provavelmente investirão nelas como suas ideias. Tenha em mente, no entanto, que, independentemente de quem você está pedindo auxilio para investir, colocar seu próprio dinheiro também demonstra confiança na sua ideia.

Outra ótima maneira de reduzir o risco é obter aconselhamento de mentores que podem dar uma visão inicial e analisar o risco. É por isso que, além de nossos professores, infundimos nossas salas de aula com mentores voluntários e líderes empresariais experientes.

Fora da sala de aula, existem redes de empreendedores e mentores através do networking, como o bem-sucedido Encontro Empretecos Centro SP, lá, e em centros semelhantes em todo o Brasil, aqueles com novas ideias ou novos negócios podem se conectar com aqueles que podem ajudá-los a entender e gerenciar seus riscos.

Infelizmente, não há resposta para saber quando o risco supera a recompensa ou ao contrário.

Antes de assumir qualquer risco empresarial, o primeiro passo nessa segunda fase de pensar como empreendedor é reconhecer, analisar e, quando possível, reduzi-los.

Bom trabalho e grande abraço.
Adm. Rafael José Pôncio

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.