Requisitos inegociáveis para importadores

Cada processo de compra internacional pode prender seu capital por um prazo médio de 30-180 dias. Pode ser um sonho ou um pesadelo. Depois de mais de 20 anos de vivência, posso listar, sem pestanejar, aqueles que chamo de requisitos inegociáveis para cada importador

Em tempos de instabilidade cambial, quando o dólar explodiu mais de 20% em seis meses, importadores precisam despertar e colocar em prática ações que diminuirão os prejuízos e o impacto das incertezas, principalmente relacionados ao momento econômico do Brasil. Abaixo, listamos 7 requisitos indispensáveis e inegociáveis para sobrevivência e sucesso de importadores:

1.Confira seu caixa: Você sabia que desde o momento em que você tem o "start" para importar qualquer produto ou matéria-prima, você precisa ter capital garantido por até 180 dias? Na grande maioria, até você construir uma relação de confiança com o seu fornecedor no exterior, todo o pagamento da compra deve ser feito antecipadamente para dar início à produção que pode levar de 10 à 40 dias? Ou, na melhor das hipóteses, você dá um sinal para o início da produção, mas deverá pagar o restante para que, só então, o fornecedor resolva entregar a mercadoria para embarque. O caixa de sua empresa tem que suportar o investimento desde a confirmação do pedido, passando pelo embarque, liberação alfandegária, entrada do produto na sua empresa, até o momento em que você começará a vender os produtos finais (não esqueça de contar também com o faturamento que você dará ao seu cliente, quando finalmente o dinheiro começará a retornar para seu caixa, e poderá ser em suaves prestações). Não esqueça também de contabilizar todas as despesas de frete internacional, impostos, taxas portuárias ou aeroportuárias e prestadores de serviço por todo o trâmite da importação. Já fez as contas?

2.Busque fabricantes ou fornecedores internacionais idôneos: O momento de abertura de novos fornecedores deve ser tratado com muita seriedade e responsabilidade. Quantos não são os casos de empresas ou pessoas de má fé no exterior que assumem compromissos de fornecimento, com pouca ou nenhuma estrutura para cumprir até o final. Muitos abandonam os importadores, não oferecendo nenhum suporte pós venda e garantia mínima da qualidade (quando não acontece o extremo: recebem o dinheiro e somem do mapa). Portanto, busque ajuda, referências comerciais internacionais, estabeleça contratos "consularizados" e, se possível, viaje para conhecer as empresas e contatos.

3.Seja hábil na negociação: Habilidade de negociação com fornecedores internacionais deve ser desenvolvida, não apenas pela eloquência e poder de convencimento, mas principalmente por aqueles que tenham uma visão estratégica e abrangente sobre a formação do preço de custo real contando, não somente com o preço da compra, mas sabendo formar corretamente o preço de custo real, incluindo todas as despesas operacionais inerentes à importação, mas também o preço de venda final já contando com o prazo de faturamento do cliente - além de ter sólida compreensão da gestão do estoque médio ou crítico, curvas ABC e padrão de compra sem esquecer dos INCONTERMS, que indicarão as despesas e custos na origem e destino que estarão embutidos ou não no preço de compra.

4.Solicite amostras: Parece óbvio, mas infelizmente, muitos importadores não citam essa questão no momento da negociação com o fornecedor internacional. É de fundamental importância, antes da efetivação do pedido de compra, que o produto seja conhecido, testado e virado do avesso pelo importador, sendo inclusive, objeto do contrato de que o produto que estará sendo comprado deva estar conforme a amostra. A amostra também permite que o importador faça as ressalvas necessárias para que sejam corrigidas antes do pedido. Existem várias facilidades e custos interessantes para que você receba as amostras. Garanto que vale a pena.

5.Confira a documentação e exigências aduaneiras: Muitos produtos precisam de licença de importação prévia, sem falar da indispensável habilitação no radar. Além disso, deve-se conhecer e respeitar as peculiaridades da importação de determinado produto, maquinário, equipamento ou matéria-prima tomando o cuidado de instruir fornecedores, agentes de carga internacionais, corretoras de câmbio e despachantes aduaneiros quanto à emissão correta e pertinente de proformas, faturas comerciais, packing lists, conhecimentos de embarque (AWB/BL) e DIs (declaração de importação). Qualquer erro, seja por falta de atenção ou de informação, pode acarretar prejuízos, atrasos e multas. Portanto, seja cauteloso e detalhista.

6.Fidelize: Tão importante quanto desenvolver fornecedores é fidelizar a cada um sendo sempre transparente e demonstrando que parceria para você tem prioridade ao fornecimento único. Faça o mesmo com prestadores de serviço, tais como: consultores, agentes de carga, despachante aduaneiro e mesa de câmbio. Pode demorar um pouco para que você tenha a cumplicidade de cada um deles, mas, você verá que construir uma relação frutífera e bilateral trará resultados efetivos à médio e longo prazos. Mais uma vez, invista em relacionamentos.

7.Tenha "jogo de cintura": Embora você precise ser firme em suas posturas e no cumprimento de cada acordo e gerenciamento de cada etapa do processo de compra e importação, no dia-a-dia, muitos imprevistos poderão acontecer. Tais como: atrasos na produção e na entrega, perda de reservas do embarque, erros de terceiros, transbordos, e até parametrização (canais verde, vermelho ou amarelo), terão influência direta em seus processos. Desenvolva sua paciência, agilidade, habilidade para lidar com imprevistos e capacidade de decisões rápidas e assertivas, tendo sempre em vista a minimização do impacto no resultado final.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento