Repensando a liderança

Entendamos que, antes de as pessoas darem crédito à mensagem, primeiro elas avaliam o mensageiro! Por isso, se faz necessário, cada vez mais, avaliar a liderança pelo exemplo e valorizá-la

Em minha vida profissional passei por muitos episódios em que pude dar lições de liderança aos meus liderados, e onde pude aprender muito sobre liderança também.

Recordo-me de um fato onde uma de minhas líderes, que era responsável por uma equipe de 40 pessoas, num final de ano como este em que estamos chegando agora, me perguntou:

- Chefe, vamos ter que trabalhar na véspera de Natal? A minha equipe tá perguntando.

- Sim, normalmente!

- Mas como o dia de Natal é na sexta-feira, você vai nos liberar de trabalhar no Sábado?

- Não posso. Você sabe! Estamos em plena safra, e a produção é ininterrupta!

- Então, tenho dois dias de crédito! Pensei que posso deixar de vir no Sábado após o Natal e no Sábado após o ano novo! Aí a minha colega, fulana, fica no meu lugar tomando conta da minha equipe!

Foi quando dei a ela uma resposta que não esperava. Talvez ela esperasse um não ou um sim! Mas então eu a indaguei:

- Você não acha que, como líder, estará sendo muito desleal com sua equipe convocando a todos para trabalhar no Sábado pós-feriado, e não vindo trabalhar? O líder verdadeiro deve ser o primeiro a chegar e o último a sair. Ao convocar sua equipe para trabalhar, e deixando bem claro para eles que você abriu mão de folgar os dois dias que tem direito só para estar aqui junto deles, você irá ganhar uma credibilidade enorme. Porém se fizer o contrário, você estará mostrando a eles que convoca para trabalhar, mas você mesma não vem, ainda que não tenha faltado, e esteja folgando um dia de direito. Mas, acredite, se fizer isso, na próxima convocação que fizer, muitos de sua equipe não virão, seguindo o seu exemplo!

Ela ficou sem graça, e eu contornei a situação para que aquilo servisse como uma lição para ela. Um amadurecimento. Um conselho de gestão pelo exemplo.

Fatos como este e como outros acontecem todos os dias nas empresas. Muitas vezes, quando vemos uma equipe pouco engajada, desmotivada, sem brilho, podemos enxergar que ela é o reflexo do seu líder imediato!

As pessoas não trabalham para as suas empresas. Elas trabalham para o seu líder. É preciso entender que as frustações que as pessoas têm com seu trabalho, na realidade são frustrações que passam com seu gestor. Quando uma pessoa resolve ir embora, significa que seu líder não serve mais para ela, e não a empresa da qual ela faz parte, pois, na verdade, o seu líder representa, para ela, a empresa.

No exemplo acima, para não cair em contradição, fui trabalhar na véspera desses feriados. E fui trabalhar no dia imediatamente após o feriado, que era Sábado. Para ser o exemplo, e não cair em descrédito naquilo que acabara de falar. Era necessário trabalhar. Então, eu fiz questão de estar presente.

Entendamos que, antes de as pessoas darem crédito à mensagem, primeiro elas avaliam o mensageiro! Por isso, se faz necessário, cada vez mais, avaliar a liderança pelo exemplo e valorizá-la.

Uma liderança forte é pautada em conhecimento e domínio técnico, mas também na transparência, credibilidade, confiança, ética, exemplo e atenção que o líder oferece! Que gestão pode ser mais eficaz e verdadeira do que esta? Teorias de gestão, temos muitas, várias. Livros, artigos, trabalhos acadêmicos sobre o tema, temos pilhas. Mas todas elas só serão eficazes pelo exemplo.

Seu pessoal reflete aquilo que é você. Eles observam você. Seguem você. Avaliam você. Ouvem você. Imitam você. Se quer que eles se dediquem a você, precisa se dedicar a eles. Não há coisa mais frustrante para uma equipe, do que a falta de envolvimento do seu líder imediato. A sua presença, perante sua equipe, tem que fazer a diferença. Quando o líder se envolve ele elogia, corrige, dar feedback, incentiva, ouve, fala, percebe, treina, insiste, demite, contrata, reforça o time, une, alinha os conceitos etc., etc., etc.

Ram Charan falou que “uma forte liderança faz com que uma boa empresa seja ainda melhor, da mesma forma que, uma fraca liderança reduz o seu potencial e, com o tempo, o destrói”. Temos que lembrar que quando uma pessoa resolve passar por um processo seletivo para entrar numa determinada empresa, na maioria das vezes, ao entrar pela primeira vez naquela nova empresa com o uniforme e crachá com seu nome e foto ao peito, com o logotipo estampado, ela entra motivada! Quantas ideias na cabeça. Quanta vontade de contribuir com a experiência profissional e de vida que possui. Quanta vontade de aprender mais, numa troca edificante. Mas ao chegar e começar a trabalhar, o que vai mantê-la motivada, engajada, produtiva, inovadora, agregadora de valores... é a forma como será recebida e apoiada por seus colegas e, principalmente, por sua liderança.

As pessoas talentosas até podem ser atraídas para uma empresa por causa da boa reputação de seus líderes, pelos ótimos benefícios que oferece e pelos programas de treinamento que desenvolve, porém o tempo que essas pessoas permanecem produtivas, comprometidas e engajadas é determinado pela relação e importância que elas sentem terem de seus superiores imediatos.

Então, para ter os melhores, tem que se envolver, tem que ser exemplo, tem que corrigir, tem que por no trilho de vez em sempre, tem que chegar cedo! Tem que sair tarde! Como diz meu pai: “Tem que trabalhar, meu filho”!

ExibirMinimizar
Digital