Redes sociais e mundo corporativo: o que as empresas andam pesquisando no seu perfil

As empresas que ainda não aderiram à busca por perfis online estão a um passo disso.

Por serem ferramentas relativamente novas, muitas pessoas ainda não sabem bem como separar a imagem pessoal da vida profissional nas redes sociais. Isso porque, ainda não se deram conta de que as redes sociais podem influenciar suas carreiras.

A verdade é que, no ambiente corporativo, seus colegas de trabalho, seus subordinados e até mesmo recrutadores estão de olho nos seus perfis .

Para se ter uma ideia de como as redes sociais refletem no mundo corporativo, e não somente no seu ciclo social, uma concessionária de motos do interior de São Paulo demitiu por justa causa um de seus funcionários porque ele “curtiu” no Facebook os comentários ofensivos à empresa e a uma das sócias da companhia. O ex-funcionário acionou a justiça e o Tribunal Regional Trabalhista (TRT) considerou válida a decisão da empresa. O caso ocorreu em Jundiaí, São Paulo, segundo relato do site de notícias G1.

Para citar outro exemplo de exposição em rede social, a Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná considerou legítima a demissão por justa causa aplicada por um supermercado em Londrina, a um repositor que usou a rede social para atacar a imagem da empresa. Mesmo o ex- funcionário recorrendo, os juízes mantiveram a sentença de demissão por justa causa.

Sabemos que construir uma boa imagem e aumentar os contatos profissionais está cada vez mais fácil com ferramentas como LinkedIn, Twitter, Instagram e Facebook, desde que usadas de maneira correta.

Confira algumas dicas para você avaliar se está no caminho certo!

  1. RECLAMAR SOBRE O TRABALHO, COLEGAS OU CHEFES

Embora esse pareça um conselho óbvio, ainda tem muita gente que usa as redes sociais para “desabafar” sobre o estresse no trabalho.

Não tenha dúvidas de que os futuros (e atuais) empregadores estão atentos aos menores comentários nas redes sociais. Então, a não ser que você tenha apenas amigos íntimos conectados na rede, mantenha seus comentários privados.

Saiba que um simples “Não quero ir trabalhar” ou um “Com tédio no trabalho” podem, sim, atrapalhar sua vida profissional.

2. COMPARTILHAR INFORMAÇÕES MUITO PESSOAIS

É bom você saber que existe um limite entre sua vida digital e sua vida pessoal. Prefira uma conversa privada com os amigos do que abertos para qualquer um ver.

3. POSTAR TODAS AS FOTOS DA BALADA

Por mais que sua vida social seja muito boa, ela não precisa estar toda em seus perfis. Evite postar fotos com copos e garrafas de bebida nas mãos e em atitudes mais extravagantes. O mesmo vale para as fotos da praia. Seu namorado, esposo (a), ou pretendente terão a oportunidade de conferir isso na hora certa, ok?

Pense em qual imagem você quer passar para as pessoas, principalmente se você procura uma promoção ou uma recolocação profissional. Que imagem os recrutadores farão de você?

4. SE ENVOLVER CONSTANTEMENTE EM TEMAS POLÊMICOS

Não é de hoje que ouvimos dizer que religião, futebol e política não se discutem, não é mesmo? Então por que fazer isso nas redes sociais?

Embora seja aceitável expor sua opinião, procure sempre avaliar se será saudável e de bom senso começar uma discussão nos seus perfis.

5. FAZER NETWORKING DE FORMA AGRESSIVA

Fique atento à quantidade de vezes que envia mensagens aos recrutadores e a forma com que os aborda, principalmente no LinkedIn. Utilize o ambiente online para buscar orientação ou começar um contato, não para implorar por trabalho.

6. SENSUALIZAR (DEMAIS) NAS FOTOS

Melhor reavaliar qual o destino das selfies de lingerie na cama ou de biquíni diante do espelho. Se você não é uma celebridade e seu objetivo não é o mundo do entretenimento adulto, talvez essas fotos fiquem melhor nos aplicativos de encontro.

O que os recrutadores realmente olham nos perfis?

Veja só o que os recrutadores andam avaliando nas pesquisas de perfis na web. As empresas que ainda não aderiram à busca por perfis estão a um passo disso. Fique atento às informações que fazem você sabotar sua imagem e ser excluído dos processos seletivos, segundo o site Pense Empregos:

– Postar fotos ou informações provocantes e inapropriadas (46%); – Postar informações sobre consumo de bebidas ou uso drogas (41%); – Falar mal sobre as empresas anteriores ou colegas de trabalho (36%); – Ter pouca habilidade de comunicação (32%); – Fazer comentários preconceituosos sobre raça, gênero, religião etc. (28%); – Mentir sobre as qualificações (25%); – Compartilhar informações confidenciais dos empregadores anteriores (24%); – Ser associado a uma conduta criminal (22%); – Ter um perfil com um nome não-profissional (21%); – Mentir sobre ausência no trabalho (13%).

Mas, segundo o site, nem tudo está perdido: 33% dos recrutadores que pesquisam candidatos nas redes sociais dizem que encontraram um conteúdo que ajudou positivamente em uma contratação, sendo que 23% dizem que a contratação foi direta a partir dessa pesquisa.

Cargos de Liderança

Se você possui um cargo de liderança dentro da empresa, os cuidados devem ser redobrados, pois suas opiniões, críticas e até mesmo comportamentos fora do ambiente de trabalho são monitorados e avaliados por seus subordinados.

Você não quer perder a credibilidade e “afrouxar” sua liderança por causa daquela foto do final de semana, da opinião quanto ao time de futebol adversário e mesmo com relação aos seus comentários sobre preferências políticas.

Como líder, suas atitudes devem estar alinhadas ao ambiente de trabalho e também fora dele, pelo menos diante dos olhos dos seus funcionários. Pense nisso.

Para todas as situações, seja nas redes sociais ou fora dela, a regra é simples: bom senso sempre. Fique atento e desfrute das vantagens que as redes sociais trouxeram para o nosso cotidiano.

Publicado originalmente no site Café Digital

ExibirMinimizar
aci baixe o app