Recrutamento e seleção para pequenas e médias empresas

O processo de recrutamento e seleção é essencial para que tenhamos colaboradores eficazes, cientes de suas responsabilidades e que auxiliem no crescimento da organização. Porém para que isso ocorra os empresários devem se capacitar para realizar essa escolha

As empresas têm a sua essência na equipe que as compõe. Independente de qual é nosso negócio precisamos de colaboradores que vistam nossa camisa, nos representem com afinco e interesse. Claro que esta tarefa é bastante difícil, afinal de contas a relação empregador-empregado como qualquer outra, precisa de tempo para que ambos se conheçam e se encantem um pelo outro. Precisa de afinidade, de sonhos comuns e de estímulo mútuo.

O recrutamento e seleção é a porta de entrada da nossa empresa, através dele escolheremos quem nos representará frente a nossos clientes. A forma como o processo é conduzido pode ser considerada um termômetro de como está toda estrutura interna de gestão de pessoas. De forma geral as empresas têm noção do que precisam, mas nem sempre todas as atribuições deste novo membro estão claras e definidas.

O ideal seria que toda instituição, antes mesmo de abrir as portas, tivesse estruturado um Plano de Cargos e Salários, onde o crescimento da empresa estaria planejado e amparado por esta ferramenta. Mas na prática isso não ocorre e muitas vezes a empresa têm, mas está desatualizado, e empresas são como as pessoas, de tempos em tempos precisam de uma reanálise da forma como estão conduzindo suas vidas, precisam se atualizar, profissionalizar e reorganizar processos.

Para pensarmos em uma nova oportunidade em nossa empresa devemos analisar alguns aspectos além dos óbvios aspectos técnicos (conhecimento necessário para realizar a tarefa), precisamos traçar um perfil estratégico e psicológico desta vaga. Claro que me refiro a uma análise ao menos, um tempo maior de reflexão sobre a necessidade e que tipo de pessoa se encaixaria para saná-la.

Primeiro pensamos em quem NÓS somos, sei que parece estranho mas quem não se conhece não faz boas escolhas. Portanto busque identificar:

  • Os principais valores da sua empresa – os que são praticados (ex: qualidade de atendimento, respeito, valorização...);
  • Qual a missão da empresa (que fala do objetivo maior de sua existência);
  • Que público alvo atinge (o seu público tem que se identificar com sua equipe);
  • Quem é a equipe na qual o profissional será inserido (gênero, idade, escolaridade, personalidades dominantes, se há liderança indireta, etc.);
  • Característica de personalidade do gestor imediato ou proprietário, sendo esse item muito importante na hora de escolher uma pessoa, ela pode até estar habilitada tecnicamente e em aspectos de personalidade vir a gerar problemas porque entraria em conflito com o gestor imediato. Pense que o conflito pode não ser uma discussão e sim um proceder diferente que gera desconforto em ambos (ex: um gestor controlador na casa dos 30 anos contrata um auxiliar com dificuldade em flexibilizar processos na casa dos 45, o gestor quer que faça seguindo suas recomendações e o auxiliar não consegue readaptar sua forma de trabalho à solicitação = desconforto e possível quebra da relação).

Identificados os itens acima temos que pensar nas responsabilidades deste profissional (Ex: assumirá uma importante carteira de clientes), nos conhecimentos necessários (Ex: fisioterapeuta com especialidade em neuro), no gênero, idade, horário de trabalho, salário e benefícios.

O salário, bem o salário é o que nos dará poder de atração no mercado agregado a ele o plano de benefícios. Vejo muitos empresários sofrendo para oferecer um vale refeição sem pensar que isso gera atratividade para os candidatos em potencial, aumenta a chance de satisfação do atual colaborador e sana uma necessidade básica de todo ser humano.

Será o salário que sua empresa oferece que ditará se aquele perfil ideal que foi traçado de profissional poderá ser alcançado. A remuneração deve estar compatível com o mercado, não adianta a empresa querer uma recepcionista bilíngue pagando R$ 900,00 reais. Claro que existe a possibilidade de encontrar alguém com muita necessidade que para na empresa um tempo até achar algo melhor. Então analisamos nosso perfil+salário+oferta de mercado = candidato real.

Para sermos cada vez mais atrativos como empresa devemos pensar em um plano de benefícios adequado a equipe e ao negócio, levando em consideração que vale refeição, plano de saúde e vale alimentação/mercado são os benefícios que agradam 99% dos candidatos. Os demais devem ser implantado mediante análise e lembrado que uma vez concedidos não podem ser retirados. Enfim definidos os aspectos de perfil técnico, estratégico e psicológico vamos atrás deste futuro colaborador.

Todo este processo demanda tempo, tempo de análise, tempo de divulgaçao, pré-seleçao, entrevista e escolha. Evite buscar pessoas encima da hora, quando sua empresa não dá mais conta da carga de trabalho. O planejamento é válido para a área de gestão de pessoas e é essencial para a qualidade do trabalho de recrutamento e seleção.

Para que o processo seja completo a empresa deve estar preparada para a chegada deste novo membro, a equipe estar sabendo de sua vinda (surpresas geram resistência e desconfiança, péssimos para um bom clima organizacional) e a pessoa destinada a sua orientação pré-definida. Todo novo colaborador deve ser apresentado para a equipe, deve conhecer a empresa e os setores, ser informado previamente de normas gerais da empresa e procedimentos exigidos pela instituição.

O ideal seria um programa de integração completo. Além destes itens ela deve ser orientada quanto as suas atribuições, os procedimentos utilizados para realizá-las e o que se espera dela neste início. E como todo novo membro acompanhada e com atenção maior por um tempo.

O feedback auxilia a orientação deste profissional quanto ao que se espera dele e em quais aspectos deve melhorar, assim como possibilita a empresa identificar pontos débeis em seus processos. Lembrando que feedback negativo deve ser a sós e não de forma agressiva em meio a equipe, que possa expor o profissional e gerar constrangimento.

Caso a empresa não se sinta preparada para a análise do perfil da vaga de forma completa, assim como das demais necessidades do setor de gestão de pessoas, pode buscar um parceiro para realizar estes serviços e auxiliar na melhoria e profissionalização de sua equipe.

Lembre-se pessoas novas trazem novos ares a empresa, novas experiências e conhecimentos. Afinal ao contratarmos alguém contratamos seu potencial intelectual. Estejam abertos a ensinar e a aprender, lembrando que todos os dias podemos melhorar.

ExibirMinimizar
aci baixe o app