Quem disse que não há inovação para a área de Recursos Humanos?

Muita gente ainda vê o RH como uma área burocrática e RH. Mas esta realidade está mudando cada vez mais rápido.

A área de recursos humanos e departamento pessoal são vistas muitas vezes como um lugar de rotinas burocráticas e sem eficiência. Mais um centro de custo do que uma fonte de possível retorno. Mas esta realidade está mudando a passos largos tanto no Brasil como no exterior.

Uma série de empresas de tecnologia já lançaram soluções focadas na gestão de pessoas de empresas de todos os portes. Inclusive, uma das empresas tidas como de maior crescimento da história do Vale do Silício oferece serviços para, adivinhe quem? Departamento Pessoal! Isso prova a mudança de paradigma na gestão das empresas que vê o RH cada vez mais estratégico.

No Brasil, não é diferente. Aqui no Convenia vemos cada vez mais empresas buscando nossas soluções e preocupadas com ganho de eficiência. Quando antes a entrada do e-social era visto como algo negativo, agora, as empresas já vêem como uma possível oportunidade para transformar de uma vez a gestão de pessoas do Excel para algum sistema que faça mais do que só gestão. Que dê também informação e, com isso, facilite a gestão.

Se você se interessar pelo assunto e quiser também inserir a sua empresa nessa tendência, alguns aplicativos podem facilitar a sua vida (alguns deles gratuitos). Nós já tratamos deste assunto em nosso blog no artigo: "5 aplicativos que vão facilitar a sua vida no RH". Porém, mais do que qualquer aplicativo, o que vale mesmo é a mudança de mentalidade. Alguns pontos para você se atentar:

1. Análise de dados

RH só será estratégico se você tiver dados estruturados para analisar. Qual é a área com maior custo de folha (somando encargos e benefícios)? Qual é o turnover da sua empresa? Quais são os colaboradores com menor taxa de promoção ao longo do tempo? Tudo isso é insumo para estratégia.

2. RH deve ser agente de transformação

Gestão de pessoas não deve ser algo reativo. Deve participar das decisões estratégicas da empresa para conseguir ser AGENTE de mudança interna. Ou seja, participar ativamente para aumentar o ROI do negócio e eficiência das áreas.

3. RH não é perfumaria

Já parou para pensar na sua principal linha de custo? Provavelmente é a folha de pagamento. Já pensou no segundo maior item de custo? Provavelmente é benefício corporativo. E como você gerencia isso? Da a mesma atenção para outras gestões, como da área comercial?

4. Novo perfil de profissional

Com todas essas mudanças, no novo profissional de RH deve ter um perfil técnico mais analítico e estratégico. Não é incomum em grandes empresas, diretores de RH chegarem ao cargo de CEO. E na sua empresa? Como é? Os gestores de pessoas são valorizados e inseridos no contexto estratégico da empresa?

ExibirMinimizar
aci baixe o app