Quanto Vale o que eu sei?

Quanto vale o que eu sei? por Marcelo Falcão Nos tempos da revolução industrial, os donos dos negócios acreditavam que somente as pessoas da nobreza ou de grande poder é que podiam ser administradores. Acreditavam ainda que a prática, mesmo sem o necessário embasamento teórico, era suficiente para tocar o negócio. Assim nasceu a administração científica, cujo pai foi Taylor. Muitos anos se passaram até que os donos de negócios começaram a perceber que sem uma teoria não iriam longe, principalmente porque o consumo aumentava e a produção era pouca, o que exigia grandes mudanças no quesito quantidade. Hoje, sem o conhecimento, nada se produz. E quanto vale o que eu sei? Uma amiga comentou que uma funcionária que sabia administrar determinado setor da empresa em que trabalhava foi embora e levou consigo a memória daquilo que fazia. Ficaram os manuais, mas ninguém sabe interpretá-los, quanto mais tocar o negócio para frente. Aqui há um erro enorme que acontece até hoje nas empresas, por não treinar novos funcionários, substituir os antigos e promovê-los a postos diferentes. Quando um não vem, a empresa pára. Quanto está valendo o que você sabe? Já parou para pensar sobre esse assunto? Se for para quebrar uma empresa, o elemento-chave, saindo da mesma, vale ouro. Se for para uma promoção e esse que for promovido não soube ensinar outro em sua função ou se a empresa não tem um treinamento para essa substituição, nada vale, porque não soube ensinar outro. Realmente as pessoas têm valor pelo que sabem ensinar. Se um ofício tiver poucos que o saibam fazer, em pouco tempo ele desaparece. É como uma língua de uma tribo indígena. Se os filhos não aprendem, ela morre. Quanto vale o que eu sei? Se for para uma empresa igual à minha, mas de menor atuação, posso valer bastante, desde que o quê eu sei possa alavancar novas vendas à nova empresa e que, com essas vendas, ela supere a empresa rival. O meu conhecimento gera dividendos. Ficar com a mesma posição, o mesmo valor em vendas e ainda ter de bancar um novo funcionário é gol contra. O que eu sei vale muito se for corretamente aplicado na função certa. Muitas vezes as empresas, para diminuírem custos, contratam ou remanejam pessoas sem a qualificação, sem o conhecimento e sem as condições mínimas necessárias, achando que com isso vão continuar produzindo com menos custos. Logo o economizado vira a canoa e todos se afogam nas dívidas. Analise corretamente o conhecimento que seus funcionários detêm e dê valor a eles. Motive-os e verá que esses conhecimentos geram dividendos e que sua empresa ocupará melhores posições no mercado em que atua. Como fazer isso? Gestão de pessoas através de uma excelente administração de recursos humanos. Sua empresa é pequena? Mesmo assim, coloque as pessoas certas nos lugares certos e pague, pelo menos, acima da média, desde que essa média tenha um desvio padrão pequeno. Se for alto, as extremidades terão grande distância e o rendimento será prejudicado. Gerir pessoas é a competência do século XXI. Quem o sabe fazer tem a faca e o queijo nas mãos. E agora, você sabe o quanto vale?
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.