Café com ADM
#

"Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho"

Solon C. de Araujo Consultor em Marketing sca@scaconsultoria.com.br É muito comum atribuirmos ao azar os nossos fracassos e à sorte o sucesso dos outros. A frase do título, proferida ironicamente pelo astro do golfe Chi Chi Rodriguez, em resposta a um repórter que comentava sua sorte em um jogo, ilustra bem que as grandes conquistas são 99% de transpiração e 1% de fatores extras. E isto está cada vez mais presente em nosso dia a dia. A hiper-competividade acirrou a disputa profissional a níveis quase inumanos, levando os profissionais a buscarem, quase que diariamente, as ferramentas necessárias para se manterem no mercado e galgarem posições frente aos novos entrantes que se habilitam cada vez mais com ferramentas competitivas. O que antes era apenas uma competição comercial entre empresas, veio para o nível de profissional e atinge a cada um de nós, obrigando-nos a um constante exercício de aperfeiçoamento, de atualização, de aquisição de conhecimentos e de tecnologias. Outra frase que acho magistral foi proferida pelo palestrante Júlio Ribeiro, da Talent Quando encontramos as respostas, eles mudaram as perguntas. De fato, quando conseguimos, mal e mal, dominar uma tecnologia, um novo aparelho, um novo software, já nos comunicam que aquilo já era, que surgiu uma novidade no mercado e logo temos que reiniciar nossos estudos para dominá-lo. Fácil, fácil, uma pessoa se torna um dinossauro nos dias de hoje. E como fazer para poder acompanhar uma tão forte evolução em alta velocidade? Em primeiro lugar é uma questão de atitude: não ficar preso a paradigmas, não considerar nada como definitivo, estar aberto a mudanças, não ter medo de enfrentar os novos desafios. Se alguém se enclausurar nos conhecimentos já obtidos e passar a julgá-los como suficientes, logo estará defasado, pois será atropelado pelas novidades diárias que são geradas em todo o mundo. O profissional que desejar se manter atualizado terá que ter uma cosmo visão, um olhar de 3600 para o mundo, saindo de sua casca e mirando, mesmo que de relance, tudo o que ocorre em sua volta. Acabou, também, o mito do isolamento do interior. Um dos pontos positivos da globalização foi dar a todos, moradores das grandes capitais ou das menores cidades do interior, a oportunidade de acessar, a baixo custo, as tecnologias emergentes em qualquer lugar do mundo. Basta uma linha telefônica, um computador e um provedor de internet para que qualquer um possa acessar o site da Universidade de Harvard. Claro, primordialmente, tem que haver por parte do profissional uma atitude para isto, tem que haver aquela motivação interior de busca do conhecimento, de desejo de atualização, o orgulho profissional de estar em contato com o que há de mais moderno no mundo. Por outro lado, se o profissional do interior pode acessar o mundo, seu cliente também pode e ele será comparado com os expoentes mundiais. Assim, a concorrência já não é apenas em seu pequeno mundo, mas sim em plano mundial. Discute-se muito se atitudes, podem ser mudadas, se pessoas que viveram por muitos anos na zona de conforto profissional podem mudar. Podem, sim. O ser humano tem, intrinsecamente, uma enorme capacidade de mudança e adaptação, podendo mudar comportamentos, atitudes, posicionamentos, mediante um trabalho consciente de busca de aperfeiçoamento. Mas, para tanto, é necessário ter liberdade de pensamento, não ter amarras mentais como isto não é pra mim, eu não consigo, eu já estou muito velho para isto, não preciso disto. É necessária uma atitude pró-ativa e as vezes até agressiva de busca de novos caminhos, de abandono do retiro já obtido para enfrentar os novos desafios. E isto está ao alcance de todos. Outro fato do mundo moderno é que a especialidade em um assunto, por mais profunda que ela seja, já não é suficiente para o sucesso profissional. O mundo de hoje exige profissionais mais versáteis, com conhecimentos mais amplos aliados à sua especialidade. A um cardiologista já não basta conhecer tudo sobre o coração. Ele precisa conhecer informática e alguma coisa de física para manusear e tirar maior proveito dos sofisticados aparelhos de diagnóstico. Um dentista e um oftalmologista têm que conhecer raios laser para aplicar as modernas técnicas. Daí a necessidade de acesso a freqüentes cursos de atualização, de aperfeiçoamento, não apenas em sua especialidade, mas assuntos mais gerais, como gestão, marketing, liderança, recursos humanos, cultura geral e outros. Tudo isto enriquece o profissional, dando-lhe uma visão mais ampla do mundo. Todos devem se preocupar com sua imagem pessoal e profissional, têm que se posicionar perante a comunidade, imprimindo uma marca pessoal forte e característica. Com isto, aliando competência profissional, atualização e modernização, uma imagem coerente e bem construída e o uso de modernas técnicas de gestão, o sucesso virá, com toda a certeza, como fruto do treino que ajudará a sorte.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.