Quando um grão de areia impede você de dar o primeiro passo

As vezes a dificuldade é imperceptível. É preciso parar tudo o que está fazendo e tomar uma decisão: agir

Na palma da mão ou na areia da praia ele parece inofensivo. Minúsculo, quase imperceptível quando está no chão ou em outra superfície. Agora, você pode imaginar um grão de areia no seu sapato?

Experimentei isso em um dos treinos de corrida. Saí apressadamente de casa, já com o horário avançado. No caminho, senti que algo estava errado. Tinha alguma coisa que incomodava; meu pé doía levemente. Em função do horário, decidi prosseguir. Mesmo firme na decisão, acabei não indo muito longe. A dor apertou ainda mais e uns dois passos depois precisei parar. Sentei ali mesmo na calçada onde eu estava e comecei a operação de exclusão daquele minúsculo grão de areia.

E era tão pequeno que o trabalho foi grande, até descobri-lo. Tirei o tênis, a meia e sacudi tudo por alguns segundos. Depois, sacudi novamente. Não o vi sair, mas quando achei que já o tinha excluído, calcei novamente a meia e o tênis e segui meu caminho. Precisei repetir a operação por três vezes, até que o grão de areia saísse de meu sapato. De fato, pude andar com tranquilidade a partir dali.

A corrida é um esporte empolgante e solitário. Empolgante no sentido de superar seus próprios limites e de se desafiar para o novo. O lado solitário da corrida também me atrai. O ritmo pessoal de cada participante é propício para os momentos de reflexão pessoal. E claro, que minha reflexão neste treino foi o pequeno grão de areia, afinal, quantas vezes não conseguimos dar o primeiro passo em função de um grão de areia em nosso sapato?

O simbolismo do grão de areia me fez pensar o quanto maximizamos problemas e preferimos por vezes ficar parados no tempo e/ou no espaço, sem ação nem reação diante de uma situação que parece inicialmente complexa. E pode ser em qualquer área da nossa vida: pessoal, profissional, financeira, empresarial. Quantos e quantos grãos de areia ficam em nossos sapatos e nos deixam parados no mesmo lugar.

Uma decisão pior do que a de parar o que se faz para excluir o grão é a de caminhar assim mesmo. Nas empresas é comum vermos essa postura. É quando decidimos que “não queremos ver” algo e mantemos o ritmo. Cada vez as coisas pioram mais. Com o dinheiro, da mesma forma. Se continuamos agindo sem sacudir o que é necessário, cada vez fica pior. No campo das emoções então, fica ainda mais fácil pensar no assunto. Um simples grãozinho pode prejudicar uma relação de anos, se não for visto no tempo certo.

O segredo está em sacudir! Sim, isso mesmo. Sacudir o que incomoda, o que atrapalha, o que machuca. Independente de qual área, perceba quando algo não está certo e pare por um tempo. Não queira continuar a caminhar sem antes resolver o que precisa ser resolvido. Tome coragem! Você consegue.

Só assim você poderá seguir seu caminho, com passos cada vez maiores e na direção certa. Com um grão de areia no sapato você não conseguirá atingir seus resultados. Descubra que você é capaz!

Não deixe que um pequeno grão de areia impeça você de dar seu primeiro passo, especialmente aquele que leva você mais perto de seus sonhos!

ExibirMinimizar
Digital