Quando a excelência se torna referência

É importante enfatizar, que quando falamos de excelência, não significa ser melhor que o outro, ou a busca por algo perfeito, mas sim a busca pessoal do indivíduo ou organização por um nível superior daquele já alcançado

Sempre que nos deparamos com algo muito bom, seja o resultado de uma atividade ou tarefa, um comportamento, um produto ou serviço que exceda as nossas expectativas, é comum dizermos que isso é algo excelente.

A excelência em sua base serve como um referencial de nível superior, tendo um de seus significados no dicionário como, excelência é superioridade de qualidade, algo que excede em valor. Dessa forma, é certo afirmar que a excelência praticada diariamente certamente traria muitos benefícios ao ambiente em que estamos inseridos, tanto para as pessoas físicas e jurídicas, assim como a sociedade em geral.

Porém existe uma cultura que muitas vezes impede o desenvolvimento da excelência nas pessoas e organizações, a cultura da mediocridade.

O sentido da palavra mediocridade nesse caso não é o modo pejorativo que muitas vezes ouvimos as pessoas se referirem, mas sim ao significado de mediano, ordinário, simples, sem diferencial. Essa cultura é responsável por nos afastar da busca pelos princípios de excelência e levando a nos contentar com o médio, ou seja, aquilo que poderia ser melhor.

Um exemplo para entendimento desse conceito, e que é muito comum ocorrer, quando da realização de alguma prova ou teste que exija uma quantidade mínima de acertos para aprovação, geralmente essa nota será a meta a ser atingida, sendo que mudando o foco, nesse contexto, aplicando o conceito de excelência, a meta deveria ser a nota máxima e não a mínima.

É importante enfatizar, que quando falamos de excelência, não significa ser melhor que o outro, ou a busca por algo perfeito, mas sim a busca pessoal do indivíduo ou organização por um nível superior daquele já alcançado.

Conforme o palestrante Eduardo Tamura, “sair do ordinário para o extraordinário depende apenas de um extra”.

A busca pela excelência nos faz descobrir dons e habilidades até então não percebidas e que nos leva à evolução e o autodesenvolvimento, pois naturalmente ocorrerá a descoberta de novos modos de se realizar as mesmas atividades e comportamentos com um nível superior de qualidade.

Devemos buscar a excelência em todos os papéis que desempenhamos em nossas vidas, seja como um marido ou esposa excelente, um filho excelente, um aluno ou profissional excelente. A propósito falando do ambiente profissional, em especial no momento de extremos desafios que nos encontramos atualmente devido a situação política e econômica do país, a excelência se torna fator determinante para a sustentabilidade, pois somente ser bom não será suficiente para se manter no mercado.

Para se alcançar a excelência, podemos desenvolver alguns princípios básicos que auxiliarão nesse processo de aperfeiçoamento:

* Conhecimento = com o ambiente conectado e altamente complexo que vivemos, o conhecimento torna-se essencial para o alcance da excelência. Conhecimento este que é resultado do processamento e aplicabilidade da informação que adquirimos com o passar do tempo. Hábitos como a experimentação de coisas novas e a leitura, são grandes fontes de informação e consecutivamente na transformação de novos conhecimentos.

* Disciplina = a excelência é alcançada através de atos e comportamentos contínuos que praticamos, portanto é extremamente importante o desenvolvimento e comprometimento com a autodisciplina para que essas práticas façam parte do cotidiano e mantenham a evolução.

* Referência = para a visão de excelência, é importante o estabelecimento de pontos de referência que inspirem o alcance daquele patamar. Observar pessoas ou organizações que se destacam em determinados quesitos que se almeje alcançar servirá como um ótimo mapa de alcance, lembrando que naturalmente após alcançar essa referência, outra surgirá para que o processo de evolução seja constante.

* Ação = para alcançar a excelência é necessário movimento, ou seja, necessita de esforço e prática constante. Não basta querer e esperar que aconteça, deve-se assumir a responsabilidade e agir. Conforme um ditado popular, “suas atitudes determinam sua altitude”.

Aproveite suas habilidades, permita-se ser melhor a cada dia em tudo aquilo que faça, pois conforme o título de um dos mais recentes livros da empreendedora Bel Pesce, a sua melhor versão te leva além.

Encerro com a frase da consultora Lília Barbosa: “o ser humano não tem limites, mas decididamente ele é o retrato daquilo que pensa e acredita ser. A força que existe dentro de cada um é infinitamente maior do que imaginamos”.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento