Qualidade de vida: funcionário X empresa

O artigo Qualidade de Vida - Funcionário x Empresa aborda o conceito de qualidade de vida, vantagens e desvantagens para os funcionários e empresas.


Gerenciar uma organização, no ritmo, atual e constante das mudanças do mundo globalizado se torna mais complexo.


Conforme o Ministério do Trabalho (2017) os riscos psicossociais (como insegurança no emprego, baixo controle sobre atividade, altas demandas e desequilíbrio entre esforço e recompensa), assim como o estresse relacionado ao trabalho, estão associados a riscos comportamentais afetos a saúde, incluindo o consumo exagerado de bebida alcoólica, fumo e abusos de drogas.


As organizações estão sendo modificadas, o foco anteriormente das empresas, no âmbito dos recursos humanos, era realizar atividades burocráticas e de controle, atualmente o foco passa a ser também nas pessoas que para Gil (2001), se refere muito mais a um propósito do que a um cargo ou função exercido no âmbito das organizações.


A inteligência emocional está relacionada a habilidades tais como motivar a si mesmo e persistir diante das frustações, controlar impulsos, catalisando emoções para situações apropriadas, praticar gratificação prorrogada, motivar pessoas, ajudando-as a liberarem seus melhores talentos a conseguir seu engajamento aos objetivos de interesses comuns. (Vitor, 1999).


De acordo com Chiavenato (2014), a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) é um conceito que se refere aos aspectos da experiência vivida no trabalho, como estilo de gestão, liberdade e autonomia para tomar decisões, ambiente de trabalho agradável, camaradagem, segurança no emprego, horas adequadas de trabalho e tarefas significativas e agradáveis.


Percebe-se nos estudos sobre qualidade de vida no trabalho (QVT), que a partir do momento que a organização visualiza o trabalhador como colaborador do alcance de seus objetivos organizacionais, passa a focalizar o trabalhador na organização, visando a assegurar-lhe melhores resultados de produção, melhor ambiente de trabalho, mais estabilidade na organização e melhores condições de trabalho (KUROGI, 2008).


Os programas de saúde e qualidade de vida objetivam facilitar mudanças no estilo de vida, combinado com ações e campanhas para consciência, comportamento e envolvimento que suportem suas práticas de saúde e previnam doenças (STEPANSKI; COSTA, 2010).


A qualidade de vida nas organizações segundo KUROGI (2008) envolve categorias variadas, desde condições físicas e financeiras até questões de realização e motivação do trabalhador.


Um programa de qualidade de vida existe para gerar estratégias com o intuito de promover um ambiente que estimule e dê suporte ao indivíduo e à empresa, conscientizando sobre como sua saúde está diretamente relacionada à sua qualidade e produtividade (STEPANSKI; COSTA, 2010).


De forma estratégica, para as empresas, a qualidade de vida concentra esforços para alcançar os resultados de aumento dos níveis de satisfação e saúde do colaborador/consumidor/comunidade; melhora do clima organizacional; contribuir para o processo de formação, desenvolvimento humano e de competências; influenciar na diminuição da pressão do trabalho e do distresse individual e organizacional e; melhorar as atividades do dia- a- dia (ROSA, 2015).


O estímulo a inteligência emocional é um dos mecanismos utilizados pelas empresas em programas de qualidade de vida com objetivo de obter os seguintes benefícios: melhorar a produtividade; diminuição dos gastos e retrabalho; retorno financeiro/ lucro; motivação; atenção; imagem da empresa; relacionamento interpessoal e intrapessoal; e de reduzir o absenteísmo, enfermidades, letargia, fadigas e turnover.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Alessandra Lobo

    Alessandra Lobo

    Bacharel em Administração de Empresas, Especialização em Gestão Empreendedora, MBA em Gestão de Pessoas e Liderança, MBA em Liderança Sustentável e Coach Executivo, possui 14 anos de experiência e aproximadamente há 9 anos é funcionária do SEBRAE/PA. Já atuou como professora universitária, atualmente é analista técnica, consultora, instrutora, palestrante, consteladora sistêmica e coach nas áreas de padronização de processos, recrutamento e seleção, gestão de pessoas, diagnóstico organizacional e, desenvolvimento pessoal, profissional e empresarial. Instagram: alessandra.lso Facebook: alessandralobocoach www.alessandralobocoach.com.br e-mail: alessandralobocoach@gmail.com
    café com admMinimizar