Qual é a sua margem de manobra no trabalho?

Sabia que no nosso trabalho precisamos ter uma boa margem de manobra para não adoecermos? Será que você tem? Vou te falar então um pouco deste conceito e te ajudar a avaliar sua situação

Se você dirige sabe bem a pequena alegria que se tem quando se encontra uma vaga grande para estacionar seu carro. Você também conhece bem o desconforto de se estacionar em uma vaga muito justa, muito apertada.Às vezes você até desiste de parar nesta vaga porque tem carro atrás buzinando na sua cabeça, você na correria esqueceu de sinalizar antes dando seta, ou você está irritado demais, com calor, agitado e não tem a calma e paciência suficientes para ficar ali algum tempo tentando colocar o carro naquele espaço.

Muitas vezes, e algumas pessoas quase sempre, vivem esta mesma situação no trabalho. Elas têm suas tarefas para serem cumpridas naquele dia, mas para que elas alcancem os resultados esperados elas precisam ter um dia que mais se assemelha a um rally de regularidade, onde muitas regras precisam ser seguidas e tudo tem que sair no seu tempo exato. Você precisa colocar na sua agenda mais tarefas que o número de linhas disponível nela. Ou ainda, você tem uma tarefa que ocupa uma linha e o seu dia inteiro.

Nem sempre existe uma colaboração de seus pares porque também estes estão tentando dar conta de outras tarefa também. Mesmo que se tenha colaboração existe uma variabilidade que é inerente ao sistema. Pequenos atrasos ou mesmo adiantamento de um horário, fadiga física, fadiga mental, uma noite mal dormida, um problema familiar, um problema profissional, uma insatisfação, um pedido de última hora, um telefonema mais longo, preparação de um novo documento, negociação mais delicada, decisões morosas porque se depende de um e de outro para se fechar a caixa, e assim vai.

Sabe aquele momento em que mais uma pergunta feita por alguém representa a gota d’água do seu copo de tarefas? Este é o momento em que sua margem de manobra está igual aquela vaga minúscula em que é possível apenas colocar um carro hach e lá está você com o seu sedã sem direção hidráulica e suando a camisa.

O que fazer então?

Você tem que ter um espaço para ajustar sua atividade, balizar suas decisões e não fazer tudo em um ritmo onde não se pode nem mesmo raciocinar. Tudo isso passa pela organização do trabalho, ou seja, pela gestão do tempo, pelos métodos que você utiliza para executar suas tarefas e pelas relações que você tem neste ambiente.

Repensar sua gestão pessoal pode ser o primeiro passo para uma reflexão numa esfera mais ampla depois.

Como você gere as tarefas do mês, da semana, do dia? Você as prioriza? É importante hierarquizar suas tarefas. A pergunta é: qual tarefa que vai sentar no trono hoje? Ela é a mais importante do dia, aquela que uma vez cumprida te dará uma sensação de satisfação, de que o dia valeu a pena. Sim, é esta tarefa que você deve priorizar e procurar dar atenção em primeiro lugar. Depois desça nesta hierarquia e cuide das de menor importância.

Qual é o melhor momento do dia para realizá-la? Você consegue cumpri-la logo na primeira metade do seu turno de trabalho? Se sim, seria o ideal, pois sempre surgem outras questões a serem tratadas e que não estavam na sua programação.

Parece simples e é. Experimente isto amanhã e depois me conte como foi este dia. Tenho certeza que seu dia se parecerá com aquela vaga graaande que você encontra para colocar o seu carro e te deixa uma boa margem de manobra.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento