Qual a realidade dos mais velhos? O despertar silencioso após uma palestra "incentivadora"

A partir de uma palestra ministrada em um evento sobre as perspectivas dos baby boomers e principalmente a geração X frente à realidade escrevo sobre suas consequências psíquicas e motivacionais

Qual a realidade dos mais velhos?

Ontem assisti a uma palestra muito divertida e que fez muitas pessoas rirem muito e que falava das questões que envolvem as pessoas das gerações X,Y e Z e o quanto os mais velhos estão à mercê de um mundo que não lhes pertence mais a não ser que se adaptem aprendendo a jogar videogames, saibam se relacionar fora das hierárquias, entender que seus filhos é que ensinam os pais nessa era tecnológica e não o contrário como antigamente onde aprendiamos com nossos pais, etc...

O meu sentimento quando me sugeriu que me adapte e ouça músicas que a moçada gosta, ao me perceber numa caixa "fora" e que minha alternativa teria de ser a inevitável adaptação foi de extrema tristeza. Ao sair da palestra, repensando e ao mesmo tempo fazendo um pouco de auto-análise como modo viver de um psicanalista me deparei com questões psíquicas importantes e inerentes aos mais velhos e fiquei me perguntando se todos aqueles que riram, realmente a palestra foi engraçada e muito boa, não levaram consigo, marginalmente, uma dor psíquica que tenha gerado sintomas de tristeza, desânimo, impotência, de se sentir isolado no mundo etc...

Um grande amigo no início da palestra me confidenciou que estava se sentindo um Tutankamon pois no mercado que estávamos inseridos havia muita gente mais jovem e nossos pares de anos de convivência nas empresas já não estavam presentes de forma que pudéssemos refletir nos seus olhares, "velhos", formas e conhecimentos semelhantes no lidar com as questões do dia-a-dia e que nos colocassem em situações de valor intelectual, físico, emocional, etc...

Continuo me perguntando o que a platéia, como o palestrante citou de aproximadamente 90% de velhos, levou no seu inconsciente e agora aparecerá em diversos sintomas resultantes de grandes angústias?

A palestra terminou citando vários paradoxos e acho que aqui temos um importante uma palestra onde rimos e nos sentimos alegres por coisas que vão gerar questões psíquicas inversas.

Acho um bom tema a pensar!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Thomas Perlaky

    Thomas Perlaky

    Consultor de empresas especializado na condução de grupos com o objetivos de alcançar metas, realizar objetivos, implantar rotinas enfim todas as atividades que envolvam grupos de pessoas de uma mesma área ou de áreas relacionadas.. Especializado na gestão de risco, crédito e cobrança e produtos de cartão de crédito Mentor Profissional e Vocacional Psicanalista com consultório em SP, atendimento por skype. Planejamento de carreira Administrador de empresas com MBA e psicanalista
    café com admMinimizar