Café com ADM
#

Professor novo ou Novo Professor

PROFESSOR NOVO OU NOVO PROFESSOR O Brasil é considerado o país da diversidade racial e das igualdades. Mas será que isto é verdade? Com relação à diversidade racial isto realmente é verdade mais com relação à igualdade isto já não posso afirmar. Muito tem se falado de racismo e de desigualdade de direitos e foram criadas as cotas para negros e índios nas Universidades, até certo ponto concordo, mas será que o filho de um negro rico não tem acesso a boas escolas que precise de ter cota específica para entrar na universidade? Este é apenas um exemplo que estou citando para ilustrar o imaginário de todos para que possamos discutir o preconceito não racial, mas sim o preconceito social que a meu ponto de vista é o pior de todos. Eu já fui vítima de preconceito várias vezes e por isso resolvi escrever este artigo para expressar o meu descontentamento com a sociedade como está. No ano de 2002 me formei em Administração em uma faculdade particular de Porto Velho e sempre com boas notas e participando das atividades da faculdade, fui o presidente fundador da Empresa Junior da Faculdade e participei do começo do Diretório Acadêmico entre outras atividades. A minha turma sempre se destacou dentro da faculdade eu sempre estive entre os líderes da turma, graças à minha turma esta faculdade continua com o curso de Administração pois após duas turmas tirando conceito E no extinto provão a minha turma tirou C e com isso salvamos a faculdade recebemos até uma placa de reconhecimento. Vocês devem estar perguntando onde fui discriminado se até agora só demonstrei reconhecimento, infelizmente, depois de formado é que comecei a ser discriminado. Venho de uma família de professores após a formatura fiz uma especialização em Metodologia do Ensino Superior, achei que seria fácil entrar para dar aula em uma faculdade. Mas nas faculdades pelo menos de Porto Velho, existe um grande problema que no Brasil se chama QI Quem Indicou e os professores são contratados desta maneira, muitas vezes não interessando sua (in)competência que ao longo dos anos demonstraram enquanto docentes, tive no decorrer dos cinco anos de curso os melhores professores disponíveis em Porto Velho na época, mas também creio que tive os piores e eles (os piores) em sua grande maioria continuam dando suas aulas. Levei o meu currículo em todas as faculdades de Administração de Porto Velho, inclusive a que estudei e ajudei a crescer, mas uma única me chamou para uma entrevista que seja, será que sou tão ruim assim que nem uma entrevista mereça? Não me acho o melhor mais sei que posso contribuir com o curso de Administração de qualquer faculdade. Na única vez em que fui chamado já estava tudo certo, até que mudou a direção da faculdade e fiquei de fora do semestre seguinte. Até acho certo os coordenadores de curso querer trabalhar com quem conhecem, mas não podem ter como única escolha seus amigos. Hoje estou trabalhando em uma faculdade de Porto Velho no curso de Administração como sempre sonhei e estou muito feliz. Fica uma dica para os coordenadores de curso das faculdades, vamos dar uma chance para os novos professores ou para professores novos, pois senão daqui a alguns anos não teremos mais professores nas faculdades, pois os que estão hoje terão se aposentado ou até mesmo falecido. Autor: Ademar Silva Scheidt Junior Graduado em Administração e-mail: ademar.scheidt@fiero.org.br
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.