Procurar um novo emprego ou não?

Este trabalho trata-se de um artigo jornalístico, que tem como tema principal Oportunidade de Crescimento Profissional/Promoção, mais especificamente entender se existe essa prática dentro das empresas.

Qual é o momento certo de trocar de trabalho? Em outras empresas, as oportunidades de crescimento são maiores? Há possibilidade de promoções? Qual profissional nunca se deparou com estas questões? Quando o trabalhador está à procura de emprego, nem sempre se preocupa apenas com salário e benefícios, mas também com a busca de crescimento profissional. Este é um dos maiores motivos que levam as pessoas a se lançarem no mercado de trabalho atrás de novas oportunidades, pois toda pessoa busca o reconhecimento de seu trabalho e que, a cada dia, colha frutos de seus esforços.

Em muitas ocasiões, as empresas enfrentam dificuldades de encontrar pessoas qualificadas no mercado de trabalho, e com isso, percebem a importância de qualificar seus colaboradores, surgindo a oportunidade de valorizar seus talentos. Esta medida contribui para a motivação da equipe, que percebem as oportunidades de crescimento profissional, assim como, possibilidade de promoções.

Para entender melhor sobre as oportunidades de crescimento nas empresas, foram aplicados 609 questionários em trabalhadores de diferentes áreas de atuação e seguimentos. Eles foram indagados, se estão satisfeitos com as possibilidades de promoções, e sobre as práticas empresariais voltadas para o crescimento pessoal e profissional.

Nas últimas décadas, as empresas vêm se preocupando com o desenvolvimento de seus funcionários e oferecem práticas voltadas ao crescimento pessoal e profissional. Dos respondentes, 68% alegaram que sua empresa adota estas práticas.

O maior número de pessoas questionadas (34%) trabalham na área de Serviços. O alto índice se dá porque este setor é o que mais emprega no Brasil, com 91.774 postos de trabalho criados em Setembro de 2011. No mês, foram gerados mais de 209.078 empregos com carteira assinada e durante o ano de 2011 o saldo acumulado é de 2,07 milhões postos de trabalho.

Segundo dados coletados na pesquisa, o setor que mais investe em desenvolvimento é a Indústria com 75% de respostas afirmativas, este setor está em segundo lugar entre os que mais empregam no país, com 66.269 empregos ofertados em Setembro de 2011.

Na pesquisa, em segundo lugar veio o setor de comércio com 69% e terceiro é o de Serviços com 66%. Por consequência, as empresas que investem nestas práticas, acabam atendendo as suas necessidades de eficácia em termos de produção e qualidade.

Uma das finalidades das práticas de treinamento é reter seus colaboradores e as empresas que não atribuem valor a esta política podem gerar futuramente grande desmotivação na equipe, levando o colaborador a buscar novas oportunidades ou ocupação no mercado de trabalho. Mercado este, que está cada vez mais competitivo.

Procurar ou não um novo emprego? A maioria das pessoas, quando se deparam com esta questão, temem ficar "acomodadas" e, ao mesmo tempo, se incomodam por estarem sem oportunidade de crescimento profissional. Diante disso, analisam se é o momento de procurar o novo emprego e tomam uma decisão.

Muitas vezes, trocar de emprego não é a melhor solução. Quem sabe procurar um curso, graduação, pós- graduação ou iniciar aquele tão prometido inglês podem ser maneiras de despertar os olhares da empresa para si. Porém, se nem isso resolver, é realmente a hora de buscar o sonhado reconhecimento e crescimento profissional.

Conforme dados do questionário 36% dos respondentes possuem ensino superior incompleto.

Ao analisar as informações do questionário, é possível identificar que as pessoas que buscam qualificação são reconhecidas pelas organizações, em que 70% dos universitários pesquisados alegam que a empresa em que trabalham, possuem práticas voltadas para o crescimento pessoal e profissional.

Funcionários que buscam aperfeiçoamento por conta própria têm maior probabilidade de obterem reconhecimento e crescimento profissionais, pois a organização reconhece os esforços, investindo neste talento. Por outro lado, as pessoas que não procuram se atualizar, não conseguem uma posição melhor nas empresas que trabalham e muito menos no mercado, se optarem por novos desafios.

Percebe-se também, que o índice de pessoas que estão procurando qualificação vem crescendo constantemente, isso se dá porque estes buscam o aperfeiçoamento profissional, e as empresas procuram pessoas com uma qualificação diferenciada por acreditarem que têm mais a oferecer e dessa maneira, trazem maior retorno para a organização.

Todo profissional precisa encarar sua carreira como um projeto, definir metas e prever cada atividade, com isso, seus objetivos serão atingidos. É papel do funcionário, ajudar a empresa e a si mesmo, enriquecendo seu marketing pessoal, com isso, seu trabalho atingirá os resultados esperados.

Pode-se concluir que algumas empresas investem em práticas de crescimento pessoal e profissional para manterem seus colaboradores motivados, sem pedirem contrapartidas. Já outras organizações, investem neste capital humano, desde que haja iniciativa do próprio funcionário em crescer e se desenvolver.

Por fim, ao decidir trocar de emprego, é preciso estar com esta ideia amadurecida e ter analisado todas as possibilidades, para não correr o risco de se arrepender, pois a oportunidade pode estar mais próxima do que se imagina e deve-se permanecer atento para não deixa-la escapar.

Artigo produzido para o curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos das Faculdades Spei, unidade Torres. Turma: 4º. Período Turno: Noite

Autores:
Cristiane Mateus Willians; Estefania Alves Dantas; Franciele Lourenço Gotardo; Hendie Samanta da Cruz Furquim; Simone Zanin; Tatiane de Fátima da Silva.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento