Café com ADM
#

Prepare-se para os riscos que vai correr, a vida está cheia deles.

Alguma vez você já se pegou em algum lugar ou situação em que, num lapso de pensamento, se perguntasse: - Meu Deus! O que eu estou fazendo aqui? Muitas vezes, essas situações são vividas em conseqüência de algum interesse que você buscava, que por algum entrave do destino ou até mesmo um erro analítico não foi bem o que você esperava. Isso caso sua resposta tenha sido um sim. Mas o que fazer quando de repente nos damos conta que o presente momento nos faz sentir vontade de correr, voar ou sumir? A primeira medida é efetivamente ficar onde está. Fugir só vai lhe causar problemas, como o arrependimento, o principal deles, pode trazer a idéia de que tudo poderia ter dado certo se tivesse permanecido ali. Tudo poderia ser diferente. O segundo passo é bem mais fácil. Pois decidir ficar e enfrentar o momento é para fortes. Pronto! Você já sabe que é forte. Então analise todas as possibilidades que lhe rodeiam. Todas. Inclusive as absurdas. Avalie cada uma em consonância com as circunstâncias e pense muito antes de falar, agir, dar, pegar, o que quer que seja o infinitivo. Se já sabe o que fazer, e sabe que vai sair no mínimo ileso, você é inteligente. Agora, se depois disso tudo, você sentiu a sensação de dever cumprido e pensou que se tudo ocorrer de novo não vai mais hesitar, logo você é sábio, mas somente até o ponto em que descobrir que tudo não passou de um risco assumido, e que a vida é uma sucessão deles que dará a diferença àqueles que os enfrentarem sabendo que são maiores que eles. Assuma riscos, sejam profissionais ou pessoais, emocionais ou racionais, mas assuma esperando a vitória e preparado para a derrota, os dois têm a mesma chance de cruzar seu destino. O quebra-cabeças da autoconfiança é formado por pedacinhos de conhecimento, que devemos saber como utilizar após um risco corrido, seja numa vitória ou numa derrota.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.