Preço de venda nas empresas supermercadistas - 7ª e Última Parte

O enfoque moderno utiliza a equação do preço de venda na seguinte ordem: lucro = preço de venda - custos - despesas, considerando-se que o preço é dado pelo mercado. Desta forma, o preço de venda praticado pela empresa poderá ser igual, menor ou maior do que o praticado no mercado, dependendo dos objetivos e das inferências que deduz sobre as possíveis influências que podem lhe causar os componentes do sistema que está inserida.

Preço de venda nas empresas supermercadistas - 7ª e Última Parte

7 – Métodos e Fórmulas para Formação de Preços de Venda

Vários são os métodos de formação de preços, e vasta a literatura sobre o assunto. Porém os mais tradicionais são:

O mark-up: é uma taxa predeterminada que se adiciona sobre a base, com o objetivo de determinar o preço de venda. Se a base for o custo total, a taxa de mark-up adicionada deve ser suficiente para cobrir os impostos, as despesas e o lucro desejado. Se a base for os custo de despesas variáveis (CDVs), a taxa de mark-up adicionada deve cobrir, além dos impostos, o lucro e os custos e despesas fixos (CDFs).

Pela sua simplicidade, é um método amplamente utilizado no comércio, de pequeno e médio porte.

Custo Unitário

Preço de Venda = -------------------------------------------------

100% - (%DV + %DF + %ML)

DV – Despesas Variáveis

DF – Despesas Fixas

ML – Margem de Lucro

Formação de preço com base no mercado: Em um mercado globalizado, existem muitos produtos com qualidades semelhantes, e a competitividade se dá pelo preço.

O enfoque moderno utiliza a equação do preço de venda na seguinte ordem: lucro = preço de venda - custos - despesas, considerando-se que o preço é dado pelo mercado.

Desta forma, o preço de venda praticado pela empresa poderá ser igual, menor ou maior do que o praticado no mercado, dependendo dos objetivos e das inferências que deduz sobre as possíveis influências que podem lhe causar os componentes do sistema que está inserida.

A fórmula CLD: é atualmente utilizada pela maioria das empresas comerciais, pois contempla todas as variáveis que influenciam na formação do preço de venda, inclusive a complexidade da legislação tributária.

PV = (Pço NF – Cred.Icms + IPI + Frete + Out.Ctos – Cred.Pis/Cofins)

1-((Marg.Lucro + Desps. + Deb.Icms + Deb.Pis/Cofins) /100)

CONCLUSÃO

Diante das limitações impostas pela metodologia aplicada à pesquisa, e também de que se trata de um artigo e não de uma dissertação. Não se teve a pretensão de esgotar o tema. Limitou-se à descrições dos assuntos relacionados, sem detalhá-los. Portanto sugere-se um estudo mais detalhado e aprofundado, dando a devida importância e relevância que cada um deles merecem dentro do processo de decisão do preço de venda. Também por ser um tema complexo e envolvente, sobra espaço para o surgimento de outros assuntos relacionados que não foram discorridos neste trabalho.

Ficou demonstrado que a participação da Contabilidade no processo de formação e decisão do preço de venda é fundamental, pois os dados quantitativos e numéricos, utilizados para sua formação são oriundos da Contabilidade, assim como a análise e projeção dos resultados são influenciados a partir do preço de venda. Gestão de custos e de tributos, também são atribuições da Contabilidade.

Ficou demonstrado também que formação e decisão de preços de venda não é tarefa singular, envolvendo além da Contabilidade, diversas áreas afins, como Administração, Economia e Marketing.

Ao formar preços, produz-se uma informação que é dinâmica e que flutua de acordo com as necessidades de demanda. O preço, mesmo com suas influências de custos, tributos, mercado, concorrência, valor para o cliente, necessita de adequações em diversos momentos.

As decisões de preços são fundamentais para que o planejamento atinja os objetivos traçados pela empresa.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BERNARDI, Luiz Antônio. Política e Formação de Preços – Uma Abordagem Competitiva, Sistêmica e Integrada. 1 ed. São Paulo; Atlas, 1998.

COGAN, Samuel. Custos e Preços – Formação e Análise. São Paulo; Pioneira, 1999.

WARREN, Carl S.; REEVE, James M.; FESS, Fhilip E. Contabilidade Gerencial, tradução da 6 ed. norte americana André O. D. Castro, São Paulo, Pioneira Thomson Learning, 2001.

IBPT, Estudos do, Carga Tributária Brasileira 2009 e Revisão dos Períodos Anteriores, www.ibpt.com.br, 14/09/2009.

CASSONE, Vittorio, Sistema Tributário nacional na nova constituição, São Paulo, Atlas, 1989.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 4ª ed. São Paulo, Atlas, 1990

RUIZ, Ana Carolina, Táticas dos Supermercados, artigo, aluna 6° Semestre, Publicidade e Propaganda com Ênfase em Marketing, PUC-Campinas – SP, 2009.

RUST, R. T, OLIVER, R. L., & VARKI, S. Customer delight: foundations, findings, and managerial insight. Journal of Retailing, 1997.

HORNGREN, Charles Tomas; FOSTER, George; DATAR Srikant M. Contabilidade de Custos. 9ª Edição. São Paulo: Atlas, 2000.

PEREZ JUNIOR, José Hernandez; PESTANA, Armando Oliveira; FRANCO, Sergio Paulo Cintra. Controladoria de Gestão: teoria e prática. 2ª Edição. São Paulo: Atlas, 1995.

VAN HORNE, James C. Política e administração financeira. São Paulo, Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., 1979. Vol I. p. 45.

CZINKOTA, M. R. et al. Marketing: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman, 2001.

LEONE, George Sebastião Guerra. Curso de Contabilidade de custos – São Paulo : Atlas,1997.

BRUNI, Adriano L.;FAMÁ, Rubens. Gestão de custos e formação de preços. Ed. Atlas, São Paulo, 2002.

PARASURAMAN, A.; BERRY, Leonard L.; ZEITHAML Valarie A. Delivering Quality Service: balancing customer perceptions and expectations. New York: The Free Press, 1990.

LEPSCH, Sérgio Luiz. Precificação em Supermercado : um estudo exploratório junto avinte empresas brasileiras. Dissertação apresentada ao Departamento de Administração daFaculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, paraobtenção do título de Mestre em Administração, São Paulo, 1996.

ASSEF, Roberto. Guia prático de formação de preços: aspectos mercadológicos, tributários e financeiros para pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

BERNARDI, Luiz Antônio. Política e formação de preços: uma abordagem competitivasistemática e integrada. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SP. Curso de Contabilidade Gerencial –Ibracon. 2 ed. São Paulo; Atlas, 1997.

NIELSEN, A. C. Estrutura do varejo brasileiro. São Paulo, 1997.

ABRAS - Associação Brasileira de Supermercados. 40 anos de supermercados no Brasil, São Paulo, 1993. p.1-56.

DANTAS, José Alves, Reação do mercado à alavancagem operacional: um
estudo empírico no Brasil / José Alves Dantas, Brasília: UnB, 2005. Dissertação – Mestrado.

URDAN, Flávio Torres; URDAN, André Torres. Gestão do composto de marketing. São Paulo: Atlas, 2006.

Nelson Henrique Pereira

Gerente de Contabilidade de uma Rede de Supermercados, formado em Ciencias Contábeis pela UNIFAE, MBA em Controladoria.

www.twitter.com/nelsonnhp

nhp.pereira@gmail.com

ExibirMinimizar
aci baixe o app