Preciso de um "Plano B". E agora?

O momento de optar pelo Plano B, geralmente, é uma hora que não espera-se que chegue. Porém, neste Artigo, trago uma reflexão que um plano alternativo, pensando junto ao plano original pode salvar todo o planejamento proposto

Quem já não ouviu ou disse: “Vamos partir para o Plano B”? Provavelmente, notou que o emissor não estava muito motivado ou contente. Sabe por quê? Pois, o Plano B era um escape não muito bem pensado e de repente ele se quer existia. Uma vez que, o Plano B dá a impressão que o melhor planejamento para determinado projeto não ocorreu como o pensando.

Hoje, então, refletindo sobre isso, cheguei à conclusão que falhamos quando não planejamos “escapes” aos nossos projetos. É evidente que quando planejamos e montamos um plano, analisamos todas as variáveis envolvidas. Porém, ao montarmos, muitas vezes com olhos de supremo otimismo, se imagina que vai ser uma linha reta, que não haverá nem montes pra subir ou abismo pra pular. E, esquecemos de reanalisarmos as variáveis e planejarmos planos alternativos tão bons quanto o principal, para que o Plano A, não tenha aumento de custo ou redução de lucro ou perda de tempo em sua execução.

A grande verdade é que se tivermos que optar para o “Plano B” quando ele já estiver pensando e planejado tão bem como o “Plano Original”, não teremos motivo para anunciarmos ele de forma descontente, pois o nosso plano foi blindado (projetado) como ele se “comportaria” em várias variáveis.

Neste caso apresentado, ao planejarmos, vamos investir mais tempo para observar os pós e contras e construir “Planos B´s” tão brilhante como o “Plano A”.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento