Porque é tão difícil para os brasileiros empreender?

Entenda o porquê da nossa nação ter tantas dificuldades em adotar a atmosfera empreendedora

Aprendi com Oscar Wilde que os nossos pensamentos são as nossas maiores virtudes, porquanto por meio deles podemos manifestar o tamanho das nossas almas e o poder contido no fundo dos nossos corações. Não se engane: qualquer homem de sucesso possui uma mentalidade assertiva e tipicamente positiva, pois aprendeu a usar aquilo que possui de mais sublime e valioso, a saber: a sua mente.

Pegando um gancho nessa excelsa reflexão, podemos concluir que o empreendedorismo nos entrega muito mais do que uma simples oportunidade de sermos bem sucedidos, mas principalmente, uma forma de moldarmos as nossas próprias construções.

Infelizmente, o brasileiro não é muito adepto a essa encantadora vertente. A maioria dos nossos jovens preferem optar por uma carreira mais ‘conservadora” e “segura”. Logicamente, muitos deles não entenderam muito bem no que consiste empreender e por isso vivem cercados de achismos e impressões. Em outras palavras, o que quero dizer é que para essas pessoas, empreender significa apenas montar um negócio e ficar rico, isto é, é tão somente um instrumento de prosperidade financeira e social.

Certamente, o empreendedorismo é muito mais amplo e se desenha em algo muito mais significativo e consistente do que alguns tostões a mais no bolso do seu destacado executor. Em poucas letras, ele é uma ferramenta poderosa que entrega uma liberdade ímpar para qualquer profissional, de forma que o mesmo pode usar seus atributos, vivências, ideias e experiências para realizar seus sonhos e materializar seus lúdicos desejos.

Ora, nada é mais gratificante para uma pessoa do que concretizar seu propósito existencial. Obviamente, isso só é possível através do milenar oficio do trabalho. Daí a importância do empreendedorismo para que os profissionais possam conectar as atividades corporativas aos seus formidáveis ideais, de sorte a realizarem uma fusão áurea entre as supracitadas variáveis.

Para todos os efeitos, o interessante é o profissional se sentir feliz e completo nas suas atividades cotidianas. Lamentavelmente, muitas pessoas trocam o bem estar pelo status, a alegria pela ascensão financeira e a plenitude mental pela fama, fazendo com que suas vidas se transformem em verdadeiras arapucas do diabo, onde sofrem angústias eternas e absolutamente incontroláveis.

Resumindo todos os parágrafos expostos até agora, o que quero defender é que o segredo para uma pessoa se realizar em seu ramo é encontrar um equilíbrio entre o complexo mundo capitalista e as suas vastas volições pessoais. Decerto, é possível trilhar esse caminho, contudo ele pertence apenas a aqueles que aprenderam a valorizar as próprias intuições (voz do coração). Não foi à toa que o mestre Mahatma Gandhi acertadamente disse: “A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita.”

Motivação: a energia das energias no empreendedorismo

Motivação é o nível de intensidade que você está disposto a colocar para realizar uma tarefa. Algumas pessoas já nascem com esse dom superdesenvolvido, outras buscam cria-lo. Em todos os casos, o mais importante é a vontade de agir, para que uma pessoa transforme seu ambiente por meio de uma conduta centrada, ousada, excêntrica e tipicamente criativa.

Um bom exemplo de motivação é o craque português Cristiano Ronaldo. Ele ama os treinamentos e se dedica a essas rotinas com garra e entusiasmo, o que o faz ter uma performance fabulosa no campo – em dias de jogo. O estupendo futebolista sabe que esse esforço penoso lhe dará resultados maravilhosamente incomparáveis e que essas horas de sofrimentos serão rigorosamente recompensadas com aplausos e múltiplas condecorações.

Sem dúvida alguma, não adianta saber se comunicar, ter bons relacionamentos, contar com uma equipe qualificada, possuir receita forte e ideias revolucionárias se a ponta da espada não for a determinação, ou seja, a incontrolável fúria de mover as peças com alegria e tenacidade.

Thomas Edison, o príncipe das invenções, sabiamente disse: “A genialidade é 1% de inspiração e 99% de transpiração. De fato, o brilhante americano sabia que a maior parte de sua excelsa criatividade provinha de sua força de vontade, de sorte que essa ação era muito mais significativa e eficaz do que todas as ideias que brotavam em sua sublime mente.

Na realidade, essa postura aguerrida e desapegada é fundamental porque acaba mostrando para o seu executor, as qualidades mais remotas que habitam as profundezas do seu espírito, isto é, de tanto andar sob pedras e espinhos, tal entidade acaba descobrindo coisas que em condições normais, ficariam perpetuamente adormecidas. Em outros termos, essa trilha é uma espécie de bússola para o empreendedor encontrar seus dons remotos e impulsionar seus talentos mais aguçados.

Porque pense comigo: de nada adianta a capacidade intelectual sem a autoconfiança, de modo que o profissional precisa acreditar que dentro dele mora algo singular e raro para poder materializar objetos únicos e especiais. Sem esse corajoso entendimento, nem mesmo os seres de Q.I elevado poderão ter êxito, visto que serão amplamente sufocados pelas suas essências, que retalharão instintivamente suas estimadas insígnias inovadoras e trucidarão involuntariamente suas vastas substâncias regeneradoras.

Por conseguinte, seja como Edison: acenda a sua alma com a luz da persistência e do labor, realizando suas obras com excelência, amor, virilidade e profunda alegria, para que o sucesso seja uma grata consequência e possa reverenciá-lo. E no fim, você terá sido muito mais do que um simples ser humano, mas alguém que optou por fazer a diferença e brilhar nesta longa e estrambólica terra.

ExibirMinimizar
Digital