Por que resistimos às mudanças?
Por que resistimos às mudanças?

Por que resistimos às mudanças?

Você poderia se prender a uma rotina perfeita, sem mudança, por um ano inteiro?

Nós achamos que devemos melhorar nossa situação atual e nós mesmos porque estamos insatisfeitos (pelo menos um pouco) com como as coisas estão. Nós temos um instinto de melhorar, melhorar.

Então nós procuramos mudar - se exercitar mais, comer melhor, ler mais, ser mais consciente, fazer trabalhos mais produtivos, ser mais disciplinado.

E ainda assim, resistimos às mudanças. Por que isso? O que está havendo?

O problema é que somos apegados à ilusão da solidez.

Deixe-me explicar. O que acontece é que todos nós queremos que as coisas sejam sólidas em nossas vidas: queremos um salário sólido, uma rotina de trabalho, uma rotina diária. Nós queremos uma versão sólida de nós mesmos, uma versão que não seja tão afetada pelos ventos do capricho.

Nós queremos que todos ao nosso redor sejam sólidos, dependentes, estáveis, do jeito que sós queremos. Queremos que nossos relacionamentos sejam sólidos, confiáveis. Queremos que nossa saúde seja sólida, não estando sujeita a ferimentos, depressão ou doença. Claro, nossas mentes racionais sabem que isso nem sempre possível, mas ainda assim, é isso que queremos. Solidez.

Infelizmente, estamos atrás de algo sólido… em um rio. Não há solidez, apenas fluidez.

Pense em si mesmo por um segundo: você poderia se prender a uma rotina perfeita, sem mudança, por um ano inteiro? Não, provavelmente não - a maioria de nós não pode fazer isso por um dia. Por que isso? Por que não conseguimos apenas fazer um plano e nos ater a ele? É porque nossas mentes não são máquinas que seguem um programa fixo - na verdade, são complexas, em mudança constante, constantemente reagindo a coisas novas, constantemente fazendo novas conexões, são fluidas, dinâmicas, sempre se transformando. Não podemos nos moldar em uma forma sólida de nossa escolha assim como não podemos encher a mão de água e tentar moldar uma forma sólida.

Você pode perguntar: e se congelarmos a água para torná-la sólida? Imaginemos seus pensamentos: pegue um único pensamento, o próximo que você tiver, e o congele. Faça com que ele permaneça na sua mente, sem mudar, sem ir para lugar algum, sem pular para um novo pensamento. Você não consegue, consegue? Eu com certeza não consigo. Nós não controlamos nossos pensamentos. Nós não conseguimos fazer com que eles fiquem parados. Nós não podemos forçá-los a seguirem um padrão que queremos. É como tentar controlar o vento.

Nós somos fluidos, como a água. Não sólidos, como o vento.

E ainda assim queremos ser sólidos. Almejamos a solidez, apesar da nossa fluidez. Nós resistimos às nossas melhorias, porque mesmo que planejemos perfeitamente nosso sólido progresso, nunca seguiremos este plano perfeitamente sólido. Nós escorremos pela forma que nos criamos, achamos as rachaduras e vazamos por elas.

Tudo ao nosso redor também não é sólido. Todas as outras pessoas são tão fluidas como nós somos. Queremos que tudo e todos sejam sólidos, mas eles não são.

Então lutamos contra isso, porque nada é do jeito que queremos que seja. Nada é estável, nada segue nossos ideais, ninguém é do jeito que esperemos que eles sejam. Ficamos frustrados, ansiosos, preocupados, bravos, tristes, com medo.

Deixando a solidez de lado, abraçando a fluidez

Então qual a solução? Como podemos melhorar? Como podemos abandonar as frustrações e medos neste mundo sólido?

Comece por aceitar a fluidez. Repare nos seus pensamentos, seus medos, sua dor, e realmente os examine. Repare na sua natureza. Entenda que mesmo se a dificuldade que você está enfrentando agora parecer sólida, ela é na verdade vapor, e irá dissipar em algum momento.

Nenhum dos problemas ao nosso redor são grandes assim, quando percebemos que são apenas uma névoa passageira.

Dessa maneira, nós podemos simplesmente sentar dentro da névoa e sorrir. Aproveitar esse momento coberto por névoa.

Quando planejamos realizar um hábito todos os dias, e fracassamos… observe que falhamos por conta de nossa fluidez. Examine a sua fluidez. Seja curioso a respeito disso. Deite-se sobre as águas gentis e fluidas de si mesmo e relaxe. Está tudo bem.

A fluidez de nós mesmo só é algo "ruim" quando queremos solidez.

Quando você sentir dificuldades, observe como está almejando solidez. Observe como as coisas que você espera que sejam sólidas são, na realidade, vapor. Examine isso, com simpatia e curiosidade.

E então sorria, relaxe, e aproveite a névoa.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento