Por que as metas são importantes?

Todos falam em metas, mas você já parou para pensar se elas são realmente essenciais?

Por que ter metas?

As metas são importantes ferramentas para corrigirmos nossas rotas durante o caminho. É comum encontrarmos obstáculos, pois conforme afirmou o grande poeta Fernando Pessoa “A única certeza é que seremos interrompidos” e com eles a incerteza, a pausa, a necessidade de reflexão e dentro desse cenário ajustar a rota torna-se imprescindível!

“Porque, em todos os sistemas vivos, aquele que não avança e não se modifica não evolui, fica estagnado e morre.” Essa frase foi retirada do livro “Quem Somos Nós” A Descoberta das Infinitas Possibilidades de Alterar a Realidade Diária – dos autores William Arntz, Betsy Chasse e Mark Vicente.

Os inovadores antes de atingirem o ápice do sucesso de suas invenções originais também tiveram que fazer esses ajustes.

Somos inovadores

Mas e nós? Também somos inovadores. À medida que interagimos com o mundo à nossa volta: trabalho, família, ambientes, amigos estamos captando novas informações e percepções sensoriais, cognitivas, intelectuais, entre outras e externando ao mesmo tempo nosso conteúdo interno de aprendizagens, concepções, ideias – todo esse cenário produz uma nova visão devido ao compartilhamento.

O que é uma visão?

Gosto da explicação na história Um Coach Chinês, livro de Eduardo Bomfiglio que diz: “Nossa visão estabelece onde queremos chegar e o que queremos ser. Está relacionada com os nossos sonhos e aspirações mais profundos.” O autor também explica que a Missão está ligada à nossa existência, aos papéis e com as relações; envolve objetivos, habilidades e o que fazemos.

Plano de vida

Nesse contexto então, conhecemos o que orienta nosso plano de vida e as metas são os trilhos condutores do trem que nós somos. Afinados com essa perspectiva, a partir do que somos e a interação com o meio constatamos a necessidade de corrigir nossas rotas à medida que agregamos ideias, conceitos, abstrações, emoções, ações.

Porque essa atitude é imprescindível?

O ato de investigar o novo em paralelo ao tempo que exploramos o que está bom é uma atitude também adotada por empresas para gerar um equilíbrio, conforme explica Daniel Goleman em seu livro Foco.

Equilíbrio – nem muito cá, nem muito lá! Encontrar um ponto em que a disponibilidade em recuar, parar ou seguir em frente é uma qualidade que traduz o estado consciente do maquinista – nossa mente.

Em nossa mente podemos estabelecer as metas conforme nossa visão, missão, valores, crenças e aprendizagens e estar conscientes e seguros de nossos objetivos torna essa viagem mais fácil.

Certamente que os objetivos não excluem as dúvidas, nem as incertezas, mas a disponibilidade em corrigir o percurso, mesmo que sejam pouquíssimos graus na mesma rota ou em outra pode significar um grande progresso em nossa empresa, nossas relações sociais, nosso networking, nossa família.

A meta é a direção para onde devemos nos mover e mover-se é fundamental para manter a saúde de nossa mente, corpo, intelecto e cenários circunvizinhos porque mantém o trem funcionando...

Comece criando metas fáceis e assim que cumprir uma a uma, acrescente um pouco de complexidade. Avalie seus talentos, habilidades, condições favoráveis e as desfavoráveis para atingi-las, ações, tempo, ambiente e pessoas envolvidas, além do fator imprevisto. A partir daí esteja sempre disponível para ajustar-se ao todo, porque é esse ajuste fino que conduz nossa máquina para frente.

Treine todos os dias a habilidade em cumprir metas para saborear a paisagem de seu plano de vida.

Saudações a todos!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento