PLANEJANDO O PROXIMO ANO

O fim do ano chegou! Natal, ano novo, muitas festas, trocas de presentes, confraternizações e um novo ano começando. Mas essa é a hora de planejar as finanças pessoais com o objetivo de entrar um ano sem dividas ou pelo menos organizado para quitá-las e para isso é necessário anotar as despesas, cortar gastos e dividir os custos com cada membro da família. Lembre-se, fim de ano é época que queremos e compramos presentes para amigos e parentes e com as facilidades de crédito, como cheque especial e cartão de crédito, podem se tornar armadilhas se não forem usados de forma controlada. Sem controle é mais fácil se endividar. Com uma simples planilha você pode controlar melhor suas finanças e perceber que pequenos gastos podem se tornar enormes despesas no final do mês. Se você fizer uma atualização semanal, será possível acompanhar os gastos e monitorar o que pode gastar, além de fazer uma comparação entre os gastos fixos e os variáveis. Sem controle é mais fácil se endividar e com essa planilha é possível estimar quanto é possível gastar no mês. Vale lembrar que é recomendado que 10% de sua renda seja guardado num investimento. Economizar de maneira racional é a formula para que o ano passe sem aperto financeiro. Cada pessoa de uma família gera um custo diferenciado e, portanto, é preciso distinguir o que cada um gasta. É fundamental a separação dos custos e a observação da existência das chamadas gorduras do orçamento. Ver os gastos todos juntos não permite o diagnostico dos gastos com supérfluos. Os investimentos de médio e longo prazos também devem ser vistos como uma maneira de garantir tranqüilidade orçamentária. Leia médio prazo uns 10 anos no mínimo e longo prazo no mínimo 30 anos. Por menos que se ganhe, sempre é possível fazer uma poupança separando parte do rendimento. A questão não é quanto se ganha, R$ 300 ou R$ 10 mil, mas como se usa o dinheiro. Investir no icio do ano para gastar no final é uma boa opção. Infelizmente a maioria das pessoa só pensam no 13º salário e alguns pouco ainda na PLR. Existem duas formas de se investir o dinheiro: uma forma é para aqueles famosos imprevistos que podem acontecer, como uma doença, um carro quebrado, um vazamento em casa ou seja, um investimento para emergências ocorridas; outra forma é aquele investimento pensando no futuro, como uma previdência para sua aposentadoria, a compra de uma casa própria, entre outros. Hoje é possível fazer isso, basta traçar metas e objetivos e controlar as despesas. Quando falamos em cortes de gastos, sempre surge aquela duvida de como fazer isso da melhor maneira possível. Normalmente as pessoas só pensam nisso depois que estão completamente endividadas e com problemas financeiros sérios, mas todos nos deveríamos fazer isso sempre. O que seria cortar as gorduras? Como fazer isso? O que é isso? Significa tirar o que não traz qualidade. Quer um exemplo? Então vamos lá! Nem sempre é necessário ter duas contas correntes ou dois cartões de credito. A manutenção é cara. Outro exemplo é comprar celular de ultima geração, pois a cada mês tem uma nova versão e o seu celular novinho e de ultima geração, não é mais de ultima geração. O consumidor não deve ser precipitado. Antes de comprar um produto ou serviço é necessário perguntar se realmente haverá necessidade de uso. Que mais um exemplo??? Você comprou um celular com câmera digita e que filma, mas não comprou o kit que baixas suas fotos tiradas e filmes gravados para o computador, correto? O que adianta tirar lindas fotos e fazer lindos filmes com o celular se vc não pode baixar para o computador e mandar sem custo algum por e-mail para os amigos??? Está vendo as gorduras??? Podemos classificar os gastos em três categorias. O fixo: aluguel, condomínio, prestação do apartamento; O variável: Telefone, luz, gás, etc, pois esse varia conforme o seu consumo/uso; O aleatório: aquele feito se o consumidor quiser. Para se fazer um controle e corte de gastos é necessário mexer nos custos variáveis e aleatórios, usando o bom senso muitas vezes, fazendo um esforço para chegar na medida ideal. Mais exemplos: você está na sala vendo TV e a luz do quarto acessa; esta pegando a roupa no quarto e o chuveiro está aberto, gastando assim água e luz ou gás para esquentar a água. Hoje o maior problemas que temos é o credito fácil, que gerou o aumento do consumo sem compromisso. A maioria das pessoa não tem educação financeira e utilizam esse credito para adquirir bens de consumo, quando o correto seria para ser utilizado com bens duráveis. Comprar a prazo é uma armadilha!!!! As compras a prazo é uma armadilha que pode levar você a ficar inadimplente. Ainda que o consumidor faça o balanço do valor para pagamento mensal, a medida que o prazo de compensação do cheque aumenta, a possibilidade que ele não tenha fundos cresce seja por falha no planejamento ou problemas de ultima hora. O ideal para quitar varias dividas é fazer um empréstimo único e quitar todas, pois normalmente as taxas de juros são mais baixas. Vale a pena trocar varias dividas por uma única mais barata. Outra opção é levantar esse dinheiro com a família ou amigos, mas muitos acham essa situação desconfortável. Você está inadimplente??? Então aproveite e entre no site do PROCON ou vá pessoalmente a umas das agencias de atendimento do PROCON para ver quais são seus direitos e como você pode resolver essa pendência. Aproveite veja também quais as dicas para a defesa do crédito pessoal. Eles possuem varias cartilhas que ensinam e orientam os consumidores. DIVIDA X PRODUTIVIDADE NO TRABALHO Novas formas de parcelamento oferecidas aos consumidores tem elevado a inadimplência, como dito anteriormente. Percebendo esse fenômeno, algumas empresas procuram formas de amparar seus funcionários, por meio da criação de linhas de credito para empréstimos consignados, ou com realização de palestras, orientam as pessoas a regularizar o orçamento. Tudo para evitar que a divita interfira na produtividade. O RH deve perceber a necessidade e oferecer ajuda, mas o ponta pé inicial deve vir do funcionário. A maioria dos funcionários endividados são estressados e passam parte do seu tempo lidando ou preocupado com problemas de dinheiro. A divida é um perigo para a saúde e qualidade de vida do funcionário. É melhor se a empresa poder ajudar, mas tem que ficar bem claro que é para quitar as dividas e não para fazer novas! Não sabe se sua empresa da essa ajuda?!?!?!? Então, como acabei de falar, o ponta é inicial deve ser do funcionário. Procure informações sobre isso no RH da sua empresa. Termino esse artigo desejando um Feliz Natal e um ótimo Ano Novo com muita Paz, Saúde (pessoal e financeira) e muito sucesso para o ano de 2006. Obrigados a todos que me ajudaram, que enviaram comentários, reclamações e sugestões de temas a serem escritos.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.