Café com ADM
#

Planejador financeiro pessoal - o médico das finanças

Conheça o profissional que pode ajudar as pessoas a terem uma vida financeira muito mais saudável

Talvez as pessoas estranhem o título deste artigo, que relaciona a profissão do médico com um planejador financeiro pessoal. O que faz essa tal planejador financeiro afinal? Confesso que mesmo eu que já trabalhava no mercado financeiro há alguns anos não sabia exatamente o que fazia esse profissional, até o momento em que me interessei e fiz um curso preparatório para receber a certificação CFP (Certified Financial Planner) e assim poder atuar nesta área.

A analogia com o médico se dá pelo fato do planejador financeiro se dedicar ao zelo pela saúde financeira de seus clientes, que é verificada através de diagnósticos e acompanhada ao longo do tempo através de consultas. Portanto o planejador financeiro atua como um consultor, que avalia os objetivos, expectativas e necessidades de cada pessoa visando desenvolver, apresentar e executar estratégias de planejamento financeiro adequadas ao perfil do cliente. Aqui no Brasil essa profissão ainda é muito jovem, portanto poucas pessoas já conseguem ter a percepção do valor que esse trabalho pode agregar a um individuo/família. Nos EUA é extremamente comum as pessoas recorrerem a esse tipo de serviço.

É importante ressaltar que não se trata de algo exclusivo para pessoas com patrimônios enormes, ou então na outra ponta, pessoas que estão com algum tipo de dificuldade financeira. Esse trabalho envolve diversas áreas de atuação, que podem ser mais ou menos intensamente trabalhadas de acordo com o perfil e fase de vida de cada um. Para ficar mais claro listo abaixo essas áreas, com uma breve explicação do que pode ser explorado em cada uma delas (outros planejadores podem trabalhar com nomenclaturas diferentes, porém as áreas acabam sendo basicamente as mesmas):

Gestão Financeira – É a gestão do orçamento familiar e visa detalhar todas as fontes de receita e despesa, identificando desta maneira déficit ou superávit. Consequentemente, ajuda a entender se é necessário algum tipo de ajuste orçamentário.

Gestão de Ativos – Diz respeito ao patrimônio propriamente dito, imóveis, ativos financeiros, etc. Nesta etapa verifica-se a melhor maneira de distribuir os investimentos, analisando o perfil de risco e objetivos individuais.

Gestão de Riscos – Nessa área discute-se a necessidade de contratação dos diversos tipos de seguros que existem, como por exemplo, saúde, vida e veicular.

Planejamento Tributário – Analise da existência de algum tipo de ineficiência tributária (por exemplo, bi tributação sobre rendimentos) e possíveis ganhos/isenções fiscais.

Planejamento de Aposentadoria – Cálculo da necessidade de patrimônio acumulado para a aposentadoria e simulação de cenários para viabilizar a concretização do objetivo.

Planejamento Sucessório – Definição de como será a transferência do patrimônio para as futuras gerações, levando em consideração aspectos legais e tributários, além dos desejos pessoais de cada cliente.

Conforme citei anteriormente, cada um desses tópicos acaba sendo trabalhado com diferente intensidade em cada fase da vida e de acordo com o perfil familiar. O mais importante é perceber que de uma maneira geral acabamos nos identificando com pelo menos um ou outro desses aspectos.

Portanto é nesses assuntos que o planejador financeiro pode ajudar sua saúde financeira. Assim, para cuidar de suas finanças pessoais e de seu patrimônio financeiro nada melhor que contar com um especialista exclusivamente dedicado a guia-lo rumo aos seus sonhos e projetos de vida.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.