Perdi o emprego, e agora?
Perdi o emprego, e agora?

Perdi o emprego, e agora?

Nunca foi fácil perder o emprego, mas em épocas de crise, essa questão se agravou. É preciso muito equilíbrio para não perder a cabeça

Você estava em seu dia de trabalho normalmente e foi surpreendido (ou não) com uma demissão. Atualmente o motivo é o corte dos custos, pois as empresas não estão conseguindo mais manter alguns profissionais (ou todos mesmo) e estão tendo que demitir até mesmo os que seriam essenciais ou excelentes profissionais. E agora?

Uma coisa que já adianto é que você pode até ficar chateado ou com raiva, mas não estenda muito esse sentimento. Sinta o luto, permita-se sofrer, mas não fique para sempre pensando que a culpa é do governo ou a empresa não soube se manter na crise, ou os empreendedores só pensam neles e, até mesmo, nem pense em achar que é algo pessoal. Ei! Estamos passando por uma crise das fortes e muitas pessoas estão sendo demitidas a todo momento. Bons ou maus profissionais, todo mundo está no mesmo barco!

Se puder, sugiro programar uma viagem ou um passeio a algum lugar que queira. Desde aquela tão sonhada viagem para o exterior, aqueles dias de descanso em um spa ou até mesmo aquele sítio da família que não dava tempo de ir, qualquer tempo que você se der e caiba em seu bolso será muito bem-vindo para seu descanso, amenizar seus sentimentos e se preparar para um novo momento.

Depois, ou em paralelo, resolva as burocracias acerca da demissão, reúna documentos, atualize seu currículo, se não tiver fotos 3x4 atuais, já providencie, deixe todos os documentos necessários em uma admissão atualizados e preparados para um novo emprego, mesmo que não tenha nada em vista ainda. Reveja seu perfil profissional, analise-se e pense o que pode melhorar, o que deve manter. Preparar-se, organizar-se, energizar-se para que o novo momento chegue em paz.

Caso a espera seja demorada, não se desespere. Enquanto isso, estude, faça aquele curso que não dava tempo de fazer, cursos online, leia revistas da sua área, atualize-se como der. Esteja antenado de como estão sendo realizadas as entrevistas atualmente, o que precisa constar no currículo, faça contatos informando de sua disponibilidade e reative seu networking.

Mas claro, estar sempre focado no profissional também cansa. Procure se distrair, ter seus momentos de lazer, descubra novos hobbies, leve os sobrinhos/filhos para passear, saia com os amigos, faça passeios ao ar livre, aproveite sua cidade, aproveite para aprender a cozinhar, a fazer artesanatos, aquele esporte que queria há tempos, ajudar mais em casa. Viva!

E também, caso bata aquela preguiça, curta sem dó! Respeite-se! Desde que ela não dure uma semana, não precisa se preocupar de estar um dia apenas querendo ficar jogado no sofá vendo filmes!

O importante é você se sentir bem, se sentir produtivo, respeitar seus limites e aprender que nem sempre temos que nos manter o tempo todo ocupados. Milhares de pessoas estão nessa situação e é um aprendizado tremendo conseguir passar por isso sem se desesperar. Faça a sua parte, respeitando seus limites até que a sua hora novamente chegue.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento