Café com ADM
#

Pegar um empréstimo: cuidados para não ficar mais caro do que já é!

Empréstimos são alternativas que, bem usadas, podem auxiliar em muito o começo de um projeto, quitar dívidas com juros expressivos e servem para adquirir bens de alto valor. O cuidado está em controlar os empréstimos para que não gerem problemas ao invés de progresso pessoal e financeiro

Muita gente precisa de empréstimos bancários por conta das mais diversas necessidades: contas inesperadas, problemas de saúde, descontrole financeiro, capital de giro – o dinheiro para fazer o negócio funcionar – e outras condições que afetam diretamente as finanças. Não sou contra o empréstimo desde que ele seja consciente, racional e vindo de um pensamento que analisou bem diversas possibilidades e enfim optou por este caminho. Assim sendo, lembro conceitos importantes que devem ser levados em conta quando pegamos dinheiro emprestado:

1.O empréstimo é para ser devolvido no prazo certo – isso vale tanto para quem pede a um parente, como para um consignado ou linha de crédito de bancos: se você quer realmente resolver o problema de forma equilibrada, lembre que esse dinheiro não é prêmio ou presente. Cuidado com o pensamento imediatista do alívio que “anestesia” a data de pagamento e o valor...

2. Cuidado com “venda casada” - Contrair um empréstimo não deve ser algo vinculado a uma vantagem da instituição que irá fornecer o dinheiro: vejo muitas pessoas “comprando” seguros de vida, residência e mesmo consórcios para “melhorar a relação com o banco” que liberou o empréstimo e facilitar a conquista das metas da instituição. Alerto que esta prática é ilegal, e deve ser denunciada pois configura venda casada, obrigando o consumidor a comprar algo como moeda de troca. Esta situação é absurda porque, se a pessoa está solicitando dinheiro emprestado, por que teria então que gastar parte dele – que é o necessário, correto? – para comprar algo que não se planejou somente para ter a negociação realizada? Se isso acontecer com você, denuncie à ouvidoria do banco ou mesmo ao Procon.

3. Ler o contrato faz parte do processo – o contrato de empréstimo tem muitas páginas, por vezes letras que não ajudam na leitura fácil, mas não tenha pressa... leia com calma e veja se há cobranças que você não concorda e aponte. O profissional que está te atendendo sabe que você tem o direito de ler e questionar qualquer cláusula do contrato, pois é um contrato entre duas partes que concordam (lembre disso sempre!). Se isso for complexo, vale pedir a um amigo que acompanhe você para assegurar o entendimento dos termos do contrato. Um exemplo do que pode conter no contrato e prejudicar você é a cobrança do valor total sem desconto em caso de atraso no pagamento (algo que é sempre bom evitar, mas pode acontecer), pois é ilegal retomar o valor presente contratado para recálculo.

4.Consulte as taxas cobradas e cuidado com ofertas fáceis – sites de bancos atualmente disponibilizam crédito pré aprovado para seus correntistas, portanto muito cuidado com isso! O crédito pré aprovado trabalha com taxas de juros mais altas do que numa negociação com gerentes colocando possibilidades diversas, desde um avalista até a garantia em poupança. Se precisar de empréstimo acione o canal de empréstimos e financiamentos solicitando um estudo do valor que precisa com detalhamento das taxas de juros praticadas, além de tarifas que incidam sobre o valor – não pense que é calculado somente o juro em si, pois há taxas obrigatórias, como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), e outras discutíveis, como resseguro e contratação. Com isso, você pode consultar nos diversos bancos modalidades com taxas melhores, mais baratas e mais justas.

As dicas acima valem também para quem está pensando em comprar um bem financiado, como automóvel, informática e mesmo a casa própria; analise bem todas as variáveis e procure evitar ao máximo ter diversos empréstimos. A melhor opção é consolidar todos em um: negocie os valores pendentes para quitação, levante o empréstimo para quitar todos após a atualização dos valores - que na negociação podem ficar mais baratos por serem quitados à vista - e fique com um único empréstimo que cabe no seu bolso.

Lembro também que a maioria dos empréstimos tem a condição de ser quitada com descontos se o pagamento for antecipado: assim sendo, se houver sobra de caixa, dedique ao pagamento do empréstimo e assim, em pouco tempo, você terá quitado a dívida e retomado sua saúde financeira!

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.