Bancos, cartões de crédito e empresas telefônicas: parceiros ou inimigos?
Bancos, cartões de crédito e empresas telefônicas: parceiros ou inimigos?

Bancos, cartões de crédito e empresas telefônicas: parceiros ou inimigos?

Uma verdadeira parceria entre essas instituições e as pequenas empresas contribuiriam realmente para o progresso de um país e beneficiariam a sociedade como um todo

A pequena empresa geralmente estabelece relações comerciais com bancos, administradoras de cartões de crédito e companhias telefônicas mas até onde essas relações são honestas e benéficas para a pequena empresa?

Falaremos de cada um deles e dos problemas apresentados de forma clara e resumida:

1. Bancos e metas:

Os funcionários dos bancos são abarrotados de metas, metas e metas. Consórcios, títulos de capitalização, seguros de vida, etc. Todo vez que o pequeno empresário se dirige ao banco é praticamente coagido a adquirir um desses produtos. Se por acaso precisar de um empréstimo é praticamente obrigado a comprar esses produtos que juntamente com juros abusivos acaba mais sendo uma armadilha do que uma ajuda.

As Ouvidorias dos Bancos também são ineficazes pois as respostas são automáticas e sem nenhum conteúdo real com os questionamentos feitos ou os problemas apresentados.

2. Administradoras de cartão de crédito:

Existe muita rotatividade de pessoal nas administradoras de cartões de crédito, as conferências entre vendas e recebimento são difíceis de fazer, as antecipações tem regras que dificultam ainda mais a conferência e a comunicação com a empresa é difícil pois cada vez é um funcionário que atende e nada é resolvido.

Muitas vezes acontecem erros de cadastro ou mesmo erro de repasse de vendas e não é fácil solucionar o problema pela falta de comunicação e comprometimento com o cliente.

As Ouvidorias das Administradoras de Cartões são feitas de respostas automáticas sem nenhuma solução real e o prejuízo novamente fica com a pequena empresa.

3. Companhias telefônicas:

As pequenas empresas ainda utilizam muito o telefone fixo pois algumas fazem entrega e o telefone é indispensável para registrar os pedidos.

Muitas vezes essas companhias telefônicas lançam na conta do cliente produtos que ele não precisa e como não é fácil a comunicação com a empresa e a resolução do problema muitas vezes o número é cancelado trazendo muitos prejuízos para a pequena empresa.

Outras vezes a companhia telefônica liga oferecendo produtos ao cliente agindo de maneira a ter interpretação errada do produto oferecido e o cliente ou seja a pequena empresa acaba sendo novamente prejudicada.

A pequena empresa é indispensável e essencial para o desenvolvimento de um país pois é grande contribuinte de impostos e geradora de empregos mais infelizmente não há quem a defenda em casos onde ela se vê coagida a enfrentar diversos problemas com parceiros que muitas vezes se tornam seu pior inimigo.

Não existe uma preocupação real em resolver os problemas da pequena empresa e sim cada instituição está preocupada apenas com suas próprias metas esquecendo que cada pequena empresa que fecha é um cliente perdido e as metas que são tão visadas podem se tornar cada dia mais distantes de serem alcançadas.

Uma verdadeira parceria entre essas instituições e as pequenas empresas contribuiriam realmente para o progresso de um país e beneficiariam a sociedade como um todo.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Lucilene Antunes

    Lucilene Antunes

    Formada em Administração com especialização em Marketing e Pós graduação em Recursos Humanos. Atualmente trabalha como redatora online freelance. Foi Micro empresária durante 22 anos no comércio varejista de roupas e calçados. Amante dos livros, das palavras e observadora do comportamento humano dentro e fora das organizações, gosta de vender, enfim, alguém que veio para aprender, agradecer e escrever.
    café com admMinimizar