Café com ADM
#

PARA QUEM CONSTRÓI ESTRADAS E NÃO ANDA

Noutro dia eu conversava com uma amiga que me dizia ter, freqüentemente, problemas para dormir ou para voltar a dormir quando, no meio da noite, sua mente é invadida por um turbilhão de idéias, o que a deixa insone por horas. Sorrindo, comentei que comigo acontece também, a ponto de ter que selecionar o tipo de leitura que antecede meu repouso, sob pena de não haver repouso: alguns livros e revistas, normalmente relacionados à minha área de atuação, em vez de me ajudarem a chamar o sono, acabam por deixar o cérebro em ebulição, gerando uma idéia após outra, deixando-me totalmente desperto. Depois de várias noites assim, a gente aprende a lição e agora, quando já deitado, quero ler algumas páginas antes de dormir, recorro a um bom romance mesmo que policial ou a um livro de poesias. Aí sim, o sono vem e cumpre seu papel, enchendo-me os olhos de areia e a mente de certa placidez. Muitas pessoas têm, além da hora de dormir, idéias o tempo todo. A ponto de se sentirem incomodadas até, com isso. Novos projetos, soluções para problemas pessoais, roteiros para filmes (e a maioria nem escritor é!) idéias para ganhar dinheiro, para conseguir aquela promoção, um produto novo que nem existe no mercado, enfim...Têm tantas idéias luminosas que quase... atraem mariposas! Ter idéias criativas é algo maravilhoso, motivo de certa inveja da parte de muitos que não se julgam capazes de fazê-lo, que acham que absolutamente não são criativos. Talvez não saibam que essa crença é, por si só, um dos maiores bloqueios que impedem a ação da criatividade. Mas um número extraordinário desses indivíduos que têm muitas idéias sofre de um grande problema, no que diz respeito à concretização de seus projetos: a falta da capacidade de realizar. Do ponto de vista prático, não adianta ser uma usina de idéias, se você não leva a cabo nenhuma delas. Isso pode explicar porque aquele seu conhecido que não é nem de longe tão brilhante quanto você, está se dando melhor na vida. Ele faz acontecer. Realiza. Ainda que não tenha tantas idéias... Se você é assim, tem muitas idéias, mas admite que não põe muitas delas em prática, não precisa entrar numa crise existencial ou dormir em cima da pia por causa disso: como disse, é bastante comum essa dificuldade de concretizar que as pessoas muito criativas têm. É quase inerente a esse tipo de personalidade, até porque muitos gostam mais de ter idéias do que por a mão na massa... Você já deve ter ouvido comentários mais ou menos assim: Fulano é muito bom pra sonhar, pra criar; ter idéias é com ele mesmo. Na hora de fazer acontecer, é outra história. Mas também não deve se conformar; algumas atitudes podem ser tomadas, para que você comece a realizar um pouco mais. Um dos motivos que impedem a concretização de certas idéias tem relação justamente com a profusão delas: talvez você as tenha tanto que parecem peixes subindo um rio, para a desova. Uma verdadeira piracema. Quando está pensando em desenvolver um projeto a partir de uma idéia que teve, surge uma outra (às vezes completamente diferente da anterior) e você abandona a inicial, por julgar que a nova seja, sem sombra de dúvida, muito mais promissora. Ainda que a anterior também fosse boa. Aí surge outra. E mais outra. Idéias lindas, reluzentes, saltando as pedras e as quedas dágua. Subindo o rio. E no final, você acaba não levando adiante nenhum projeto. Bem, nem todos os peixes conseguem chegar ao local da desova. Apesar do esforço, somente um número muito menor que o inicial alcança seu objetivo. Você pode ter muitas idéias, mas deve reconhecer que nem todas elas são, digamos, dignas de serem levadas a cabo. Pelo menos não simultaneamente. É preciso então, ter foco, escolher uma que você julga promissora e ir fundo nela. Note que o problema não é, necessariamente, ter muitas idéias (pelo contrário, isso pode ser um enorme diferencial competitivo!) e sim a maneira como você se comporta com relação a elas. O problema é não ter foco. É preciso ter, além dessa clareza de objetivos, certa dose de iniciativa. Se depois de levantar as informações necessárias, custos, recursos, enfim, o que preciso for para que sua idéia tome corpo e aconteça você perceber que ela não é tão boa assim, afinal, tudo bem. Aí você parte para outra, quem sabe derivada da inicial, inclusive. Acontece que muitos nem chegam a esse estágio: simplesmente têm a idéia por vezes uma idéia realmente incrível - mas sequer fazem qualquer esforço para dar vida a ela. Ou quando o fazem, é pífio. Neste ponto chegamos a outro motivo que pode atrapalhar suas realizações: não basta só, ter iniciativa, mas, como brincava um amigo meu, acabativa também. Começar a por em prática um plano de ação e levá-lo adiante. É preciso persistência. Se, diante do primeiro obstáculo você já abandona sua idéia, dificilmente terá o prazer de colher os frutos que viu em seus sonhos. Talvez um pouco de disciplina também lhe faça bem, no que diz respeito ao processo de ter idéias. Como você tem muitas delas, não confie tanto em sua memória, para se lembrar posteriormente de uma idéia bacana que acabou de ter: talvez não consiga fazê-lo, e uma boa oportunidade se perca. Procure adquirir o hábito de ter sempre à mão um bloco de anotações, um pequeno caderno ou algo assim onde possa anotar seus pensamentos criativos assim que lhe ocorrerem. Um gravador portátil também pode ser útil, principalmente quando estiver dirigindo seu automóvel. Até porque, pesquisas dizem que boas idéias costumam surgir quando uma pessoa está dirigindo, tomando banho ou creia dormindo. Paul McCartney concebeu a melodia da canção que posteriormente seria a mais gravada em todo o mundo, Yesterday, enquanto dormia. Então, se lhe ocorrer uma idéia ou canção enquanto dorme talvez valha a pena, ainda que sob os efeitos dos vapores do sono, registrá-la em seu gravador... Finalmente, ó luminoso ser gerador de idéias, é preciso determinação. Querer fazer, querer realizar, querer mudar. Vontade. A grande maioria das pessoas que são hoje bem-sucedidas fez considerável esforço para chegar onde estão. Em geral, foram horas e horas de muito estudo, dedicação, treinamento, de muito trabalho. Para poucos o sucesso veio ou vem por acaso, gratuitamente. É muito mais comum ouvir histórias de extrema dedicação aos seus objetivos, da parte de quem venceu na vida. Então, que tal começar a mudar algumas coisas? Se essa discrepância entre as muitas idéias que você tem e a quantidade delas que realmente viraram realidade tem lhe incomodado, por que não começar a virar esse jogo? Quando é reveillon, as pessoas de uma ou outra maneira acabam fazendo consigo mesmas, depois de um balanço de como foi o ano que está terminando, alguns propósitos para o que se inicia; quase todo mundo faz planos e acalenta algumas esperanças que querem ver realizadas. Independentemente da época em que você estiver lendo este artigo, e se, claro, sentir que faz parte desse grupo de pessoas aqui descritas, faço-lhe um convite para que, consigo mesmo, trace um propósito de ser mais realizador, como se fosse hoje um reveillon. Um propósito de levar mais a sério suas idéias. Por serem suas. E, talvez, únicas. De ter mais foco, iniciativa, persistência, disciplina e determinação. De fazer acontecer. Como diz o Zeca Baleiro, em uma de suas canções: Não quero ser estanque, como quem constrói estradas e não anda. Continue sonhando, abrindo trilhas, caminhos e estradas com a força de seu pensamento criativo. Mas ande. Siga por elas.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.