Para onde você está indo?
Para onde você está indo?

Para onde você está indo?

Metas deveriam ser simplesmente pontos da direção que nossas vidas seguem

Ângela tem 34 anos e é uma empresária da área de marketing que vem de família simples: três irmãs, com mãe dona de casa e pai caminhoneiro. Ela conta que quando foi em busca de seus objetivos não tinha muita direção. "Meu primeiro emprego foi um clarão. Hoje posso dizer que aprendi a amar tudo o que tenho e que consegui. Começamos eu e meu sócio, e agora somos em 12 pessoas".

Para Patrícia, o mais importante é aprender, em seguida fazer o bem, em terceiro lugar amar o que faz e, em quarto lugar, ganhar dinheiro. "Sonho em aprender mais, ser melhor a cada dia. Se tivesse que escolher em todas as profissões do mundo ou trabalho, escolheria esta na agência". Ela tem um projeto de montar uma agência para ensinar jovens carentes de comunidades a profissão que escolheu para si. "Quando realizar este projeto estarei completamente realizada. Sei que vou conseguir!".

“O trabalho é uma das dimensões do ser humano. A outra é o amor e a família. Só tem bom desempenho quem ama o que faz”. A frase, dita por Peter Drucker, pai da administração, retrata bem o caminho para se construir uma estrada rumo ao sucesso. Afinal, você saberia responder às duas perguntas abaixo?

A primeira é: onde você quer chegar? E a segunda: para onde você está indo? Veja bem que existe total conexão entre as duas, mas as respostas podem mostrar divergências entre elas. Como assim? Vou explicar melhor com um exemplo.

Mateus sabe exatamente onde quer chegar. Seu sonho é ser um empresário de sucesso na área de restaurantes. Para ele, os chamados ponto A (onde estou) e B (onde eu quero chegar) de estratégia são muito claros. Porém, se formos analisar para onde ele está indo, eu diria que ele vai muito bem por qualquer estrada que não esteja ligando o ponto A ao ponto B. Ou seja, sem querer, Mateus se boicota e se prejudica. E muitas podem ser as razões para isso: medo, insegurança, pavor, baixa autoestima, excesso de confiança, entre outras características que acabam se conflitando. Mesmo que Mateus saiba onde quer chegar, nem sempre o que ele vai fazer para chegar lá será assim algo tão óbvio. Por isso a importância dessas duas perguntas precisarem ficar muito próximas, trata-se de um bom exercício que mostra em tempo real a sua coerência com relação às suas atitudes.

Tenho um amigo cantor que faz quase a mesma coisa. Ele procrastina tudo o que pode na vida porque tem medo de não conseguir terminar ou de não conseguir executar mesmo, às vezes, até tarefas simples. E, quando questionado, repreendido, ele chora e diz que não sabe por que faz isso com ele mesmo. E pensar que tantas pessoas adorariam ter pelo menos metade do talento dele...

Eficiência e eficácia

Stephen Covey disse certa vez em uma palestra que existe uma enorme diferença entre eficiência e eficácia. Você pode estar indo a toda velocidade pela estrada, aproveitando o dia lindo e o ótimo desempenho do carro. É provável que você esteja sendo muito eficiente. Mas, se estiver na estrada que leva à Califórnia, quando o seu destino é Nova Iorque, você não está sendo muito eficaz.

A eficácia está diretamente relacionada aos nossos resultados. E a eficiência ao modo como fazemos as coisas. Imagine que você vai para uma guerra e sua missão é ganhá-la. Dois meses depois você volta com a guerra ganha, mas tendo matado uma série de homens para chegar a este resultado. Vamos analisar: você foi eficaz (atingiu o resultado que precisava)? Sim, você ganhou a guerra. Você foi eficiente (fez da melhor forma possível)? Não, porque você matou uma série de pessoas, e poderia ter ganho a guerra sem precisar matar ninguém. Logo, você foi eficaz, mas não foi eficiente.

E se você tivesse ganho a guerra sem matar ninguém? Então você teria sido eficaz e eficiente. E se não tivesse ganho? Você não teria sido nem eficiente e nem eficaz. Consegue compreender?

Para Drucker, "eficiência é fazer as coisas de maneira correta, eficácia são as coisas certas. O resultado depende de fazer certo as coisas certas". Indiretamente, isso quer dizer que bom desempenho não é sinônimo de competência, e que competência não significa, tampouco, alta performance.

Especialistas acreditam que é o talento que leva à alta performance. Para eles, profissionais talentosos entram e permanecem em uma empresa porque acreditam que nela aprenderão mais rápido e melhor do que em outras. E de que forma um talento é aprimorado mais rapidamente? Não por meio de programas de treinamento formais, mas tentando coisas novas, fazendo experimentos com sua atividade e sobre a maneira de desempenhá-la, lidando com problemas reais com a ajuda de outras pessoas talentosas com formações e habilidades diferenciadas. Funcionários talentosos se desenvolvem melhor ao participar de redes de talento e estruturas matriciais invisíveis.

Pai da Estratégia Moderna, Michael Porter, autor do clássico "Vantagem Competitiva das Nações" e professor da Harvard Business School defende que querer ser o melhor é um erro, assim como colocar metas de crescimento em primeiro plano. É importante saber onde quer chegar e qual a sua estratégia, mas ele chama a atenção para algo importante: “Você deve lutar para ser o único. Declarar que quer ser o melhor é uma maneira muito arriscada de esboçar a estratégia”, alerta, referindo-se às declarações de missão. “A chave é decidir a quem você vai entregar seu valor único”.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Alessandra Assad

    Alessandra Assad

    Alessandra Assad é Master of Science in Business Administration in Neuromarketing na instituição de ensino Florida Christian University, é jornalista especializada em management, com MBA em Direção Estratégica e Mestrado em Neuroliderança. Professora nos MBAs da Fundação Getulio Vargas em todo o Brasil e professora no Master of Sciense in Business Administration in Neuromarketing na Florida Christian University. Palestrante internacional e CEO da ASSIM ASSAD - Desenvolvimento Humano. Autora dos livros Atreva-se a Mudar!, Leve o Coração para o Trabalho, A Arte da Guerra para Gestão de Equipes e Liderança Tóxica.

    café com admMinimizar