Observatório

Incrível a mania que nós: os chamados seres pensantes, temos de observar a mesma coisa de maneiras diferentes. Se repararmos bem, tudo em nossas vidas tem um aspecto estranho ou no mínimo casual para os demais, presentes à mesma mesa. Não existem duas figuras iguais no planeta. No máximo semelhantes, jamais iguais. E ali estávamos nós naquela arquibancada, a comentar exatamente sobre isso. As pessoas não são as mesmas durante um período de vida até outro. Elas sempre mudaram, constantemente mudam e mudarão. Mudanças que envolvem temperamento, layout, visão de universo, visão interior, padrão. Imaginem só se fossemos estáticos às transformações necessárias em nossas ambulantes existências? Particularmente, afirmo que não teria muito estímulo para continuar pé na frente, pé atrás. Não mesmo. A questão de estilo envolve pensamentos muito além do que seus olhos e sua imaginação podem alcançar. A razão de combinar cores e movimentos é individual e para alguns, depende da lua. Era nosso comentário. (Todo mundo comenta tudo.) Transformações ocorrem na vida das criaturas, digo, pessoas. E afinal, mudam as pessoas ou muda o mundo? Ou seria somente um mundo em torno delas? Seria então um umbigo querendo funcionar como epicentro? Acontece. E "Acontece" é muito mais que o nome de um ponto de encontro abaixo da ponte. É um fato. Acontece... Há os que ostentam ar de superior por exercerem cargos "iluminados", os que tem um sobrenome forte, que "se acham" só porque estão na universidade. É uma elevação latente no tom da voz e coisas da espécie. Os que "aparentam" belas violas, no entanto, revelam-se bolorentos por dentro...Como diz minha avó... Há ainda, os que sentem "a última coca-cola do deserto". Atentai caro leitor, coca-cola é só um rótulo. E é louvável ressaltar que "status" passa com o tempo... Vira pó e não há fênix que dê jeito. Prefiro observar a ser observada, não à toa geralmente sento atrás de todo mundo. Assim eu observo, analiso e extraio coisas que até os mais céticos acreditam. Assim eu escrevo enquanto estou ao telefone... Se todo mundo observasse um pouco além de seu próprio nariz, teríamos todos, outros narizes para analisar e aprender com eles. Não, não com os narizes, mas com os ares que são resgatados pelos mesmos. Um professor me ensinara a pouco que ouvimos bem menos do que deveríamos.Até hoje tenho a impressão que aquela fora a aula pela qual mais esperei. Tenho que praticar com humildade a ação de ouvir. Quer dizer, temos. A humanidade foi criada sem nota fiscal. Não tem como você devolver aquela criatura. Lindamente ou com uma brutalidade original, estará em sua caixa de mensagens. As pessoas confudem valores. É necessário que a mente assim como as almas, amadureça. Cada tropeço leva a uma infinidade de acontecimentos que podem modificar todo o processo... É como as menininhas que entram na universidade e já se sentem adultas o suficiente para responder por seus atos, ou os menininhos que ao fazerem o mesmo querem se mostrar aos mais novos, "já sou universitário","sou o tal!". É como aquele casal que se separou por causa de um simples "efeito" e que acabou descobrindo que existiam outros fatores mais fortes, no entanto, já era tarde pra voltar atrás. Um dia todos nós agimos assim. Inacreditável como as pessoas são tão maliciosas, todo mundo é. Você e eu, inclusive seu vizinho. Temos que aprender a não atirar pedras se existem dúvidas. A não lançar palavras pesadas, de vez em quando costumo fazer isso... Elas doem, muitas não tem consolo. Senti que minha alma ía pro céu no instante em quê, no meio da conversa pude auxiliar alguém. Eu tentei avisar mas quase ninguém ouviu. Inda recebi um gesto imoral apenas por oferecer ajuda. Se te dizem que você é bonzinho e também que ser bonzinho não traz benefícios, mas você se sente bem agindo assim. Continue. Alimente a semente do amadurecimento. Se esta for a maturação que buscas. Definitivamente, precisávamos daquela conversa. Por tagarelar demais acabei descobrindo que minha "conhecida" de uns 17 anos (no mínimo) voltara a ser minha amiga. Pelo menos bem mais próxima desde então. Desde nossos 15 não nos falávamos assim. Pena que não conseguimos perceber tudo a tempo em nossos caminhos. Certos aprendizados só se efetivam com o passar do calendário... Tardiamente eu diria. ["...Há tempos o encanto está ausente e há ferrugem nos sorrisos..."]

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Emília Tainah

    Emília Tainah

    Tenho 22 anos e sou estudante de Administração na Universidade Federal do Piauí - UFPI.

    Acredito que escrever faz parte , ou pelo menos deveria fazer parte, do cotidiano de todo mundo, por que escrevendo pomos em prática um dos meios mais sublimes de expressão!

    ***

    MsN: tainahamorim@hotmail.com

    ***

    " Se você não pode se livrar do esqueleto em seu armário, é melhor você ensiná-lo a dançar." George Bernard Shaw
    café com admMinimizar