O sonho de goiabada e o desperdício de clientes

Veja o que sonho de goiabada tem a ver com marketing

Como viajo muito, há pouco tempo fui testemunha desta cena:

Uma senhora muito bonita de olhos verdes e expressivos pede por sonhos de creme, diz que são seus preferidos e do seu par.

Mas só tinha sonhos de goiabada, a senhora então pediu: “Quando ficam prontos os de creme?”.

Adivinhem o que a atendente disse? “Só quando terminarem os de goiabada!”.

Essa resposta gritou dentro de mim! A cliente quer comprar!

Então a pessoa voltou para casa sem nenhum sonho.

Vocês perceberam que ela ainda foi insistente. Voltou várias vezes. Dificilmente os clientes agem assim.

Então, estamos em tempos de crise, disputando cada cliente, cada centavo, reduzindo custos e tudo mais para quê???

Simplesmente “empurrando” produtos que os clientes não querem e não gostam? Até entendo a lógica burra da padaria: Falaram para a funcionária empurrar os de goiabada para eles não encalharem, enquanto isso não se fabricam os de creme!

Bela lógica! Vocês não acham que os outros saem mais? Por isso sobram os de goiabada?

Existe uma métrica que se aplica a quase tudo, a curva ABC de produtos, com ela você prioriza sua produção de acordo com a saída dos produtos evitando esse tipo de situação. Esse tipo de análise pode ser feita até em uma planilha manual se você não tem tempo (vontade) de usar um sistema específico para isso, que integre frente de caixa e produção.

Pior que sobrarem os de goiabada é a cliente que não volta mais, um verdadeiro desperdício, muito maior que os sonhos encalhados que poderiam bem ser usados para degustação (cortados em pedaços), vendidos como combos junto com outros sabores ou bebidas, vendidos a preços promocionais ou qualquer outra ideia melhor do que tentar obrigar a cliente a comprar.

Pois é a cliente ainda sonha com o sonho? Ou achou outra padaria? Adivinhem!

ExibirMinimizar
aci baixe o app