O segredo de Lula

O artigo apresenta atributos indissociáveis do comportamento de Lula, que representam uma parte do motivo pelo qual ele se transformou em uma liderança forte e continua sendo tratado como tal

Uma parcela, talvez a maioria dos brasileiros fala hoje mal de Lula, faz dele uma figura execrável, pede a sua prisão e quer cassar os seus direitos. Por trás deste movimento de reprovação, de achincalhamento, há muito mais do que se possa imaginar. Na verdade os brasileiros querem sufocar Lula, porque ele tem um segredo. Um segredo indecifrável, inaceitável, que deve ser suprimido, escondido, eliminado, ou negado até a última instância.

Lula descobriu um segredo que está na Restinga em Porto Alegre, no Morro do Horácio de Florianópolis, na CIC de Curitiba. O segredo de Paraisópolis em São Paulo e do Complexo do Alemão no Rio. Lula descobriu o segredo de Brasília Teimosa em Recife e de milhares de outros lugares semelhantes e de todas as invasões do Brasil. Lula descobriu o segredo dos Movimentos Sociais, sim com letra maiúscula. Lula descobriu o segredo dos sindicatos e da polícia repressora. Lula descobriu o segredo dos deputados senadores, governadores, desembargadores e ministros. Lula descobriu o segredo dos grandes empresários. Lula descobriu o segredo dos chefes de estado do mundo e chegou a ser “o cara”. Lula descobriu o segredo do Doutor Honoris Causa. Lula descobriu o segredo dos gaúchos e dos pernambucanos, dos cariocas e dos paulistas. Ele descobriu o segredo dos brasileiros. Então é melhor eliminar Lula.

Como pode um ser tão execrável para uma parcela “significativa da população” saber tanto e fazer disto tudo um único segredo? É da vida, ou como ele e Maluf costumam dizer: “eu não sei”. Isto faz parte do segredo. A desconstrução da verdade começa sempre pela negação. Negar é um traço da argumentação de uma grande parte dos criminosos e das pessoas sem escrúpulos. Negar é uma reação da criança quando se sente ameaçada. Como pode um ser adulto, Presidente da República negar e mentir tão descaradamente? Esprema Lula e tire dele o segredo. Talvez Moro possa fazê-lo. Então façamos de Moro o baluarte intocável da mais refinada ética dos brasileiros “dignos”.

Só há um detalhe: os brasileiros dignos nunca descobrirão o segredo de Lula, nem que fiquem sabendo o segredo poderão identificar claramente o verdadeiro segredo.

O Himalaia de leis, leis complementares, regulamentos, normas elaboradas por organizações que emanam regras “socialmente aceitas”, sempre acima de qualquer suspeita, impede ultrapassar para uma terra na qual o segredo de Lula possa ser revelado. E esta não é uma história de ficção, porque a partir de agora, faz parte da história do nosso país.

Como fazer então, quando o segredo quase vem à tona? Elimine o detentor do segredo. Elimine quem sabe um pedaço do segredo, elimine os amigos de quem sabe do segredo. Elimine. O segredo não pode ser revelado.

Agora pare para pensar: mas e se o segredo for a República? Sim, porque o segredo pode estar nos churrascos, nos “happy-hours”, nos coffee-breaks, na festa de casamento, na mesa do almoço do final de semana, nas varandas da casa da praia, nas risadas das reuniões e pós reuniões, nos gracejos informais, no futebol, na cerveja em cima da mesa. O segredo pode estar no jantar com amigos em sua casa, ou só com sua família. Talvez o segredo seja de família, principalmente quando a família é a República.

É assim que se constrói o muro que nos separa do segredo: fazendo suposições, pressuposições, ilações das mais genéricas às mais específicas, fazendo disto tudo um amontoado de leis, que impedem ver a realidade da forma como ela é, mas Lula escalou o este Himalaia e viu o “outro lado”.

Depois de uma escalada é possível ver a realidade dura, nua e crua: separamos o Brasil em dois: um Brasil que é de verdade, mas que é negado e um Brasil de mentira que é cultivado. As classes “bem mais altas” e “detentoras do poder” não aceitam as classes mais baixas, porém fazem coisas muito piores que os piores elementos das classes mais baixas. As classes “muito mais altas” e “detentoras do poder” assaltam o Brasil porque manipulam, ou manipularam verbas astronômicas. São estas classes que “bancam” egos inflados, para servirem de marionete, ou fazem o “serviço” pessoalmente. Ao longo de décadas têm feito o Brasil o berço, a escola e a pós-graduação da impunidade, com apoio de um batalhão de “eminências pardas”, que logicamente se beneficiam de todo o “esquema”.

Muitos falarão: que baboseira. Isto não passa de uma mentira. Vou fazer de conta que não li. Baboseira é voto obrigatório, foro especial, tribunal de faz-de-conta, legislar em causa própria depois de eleito com o consentimento de quem elegeu, até mesmo sem saber que estava consentindo. Baboseira é legislar em 5570 municípios para uma população de subalimentados e semianalfabetos com uma tropa de legisladores que sugam recursos e que roubam lá da base. Baboseira é fazer um emaranhado de leis que tornam a vida do pobre um sufoco e que livram a cara de quem comete crimes gravíssimos. Baboseira é permitir “gabinetes” milionários de deputados e senadores, bancados com nossos recursos. E Lula descobriu isto tudo. Lula se tornou a figura que é porque descobriu isto tudo ao longo de sua vida, desde retirante até chegar à Presidência da República. Lula conhece a essência das duas caras do Brasil e sabe o quanto de hipocrisia há nisto. Lula sabe que as pessoas são iguais, passam pelas mesmas dores, defecam da mesma forma, morrem solitárias e vão para baixo da mesma terra. Lula sabe que a Constituição trata todos como iguais, mas alguns mais iguais do que os outros.

Lula sabe que falar mais bonito não une as realidades humanas, porque há muita gente falando bonito, andando de Ferrari e que roubou escolas, hospitais, estradas, redes de esgoto inteiras. Falamos de roubos de milhões, muitos milhões. Lula descobriu que o Brasil é malandro e funciona na ginga e que no caso dos detentores do poder, tipo Renan, Collor, Costa, Maluf, Sarney, Aécio, Serra, e aí vai, a ginga é distribuir e sugar dinheiro público através de cargos em órgãos e empresas com grandes orçamentos. Também vale atender a anseios de lobbies. Isto se estende a uma relação de mais de 200 acusados de corrupção e que se encontram “encostados” no Congresso, só para lembrar que tudo isto é real. Isto se estende a uma grande maioria dos governos de estado e de prefeituras. Há municípios no Brasil nos quais os prefeitos e a maioria da Câmara de Vereadores está presa.

Então a “sociedade ética” vai às ruas para manifestar indignação e pedir melhorias para um bando de corruptos. Ela não aceita o fato de que não existe santo neste baú, mas faz questão de buscar um “salvador da pátria”. Ele não existe, porque não existe sequer a pátria Brasil além do imaginário. É duro ter que aceitar a realidade da forma como ela é e ter que aceitar o segredo de Lula: qualquer um pode ser o salvador de uma pátria de mentira, mas que é de verdade, enquanto a pátria de verdade, mas que é tratada como mentira trabalha de verdade. Só sendo o salvador da pátria de mentira uma pessoa consegue ajudar a pátria de verdade. Então fazer este papel só depende de mídia e mídia é muito cara para ser boa. Então precisa abrigar conchavos. O segredo foi revelado, mas faltou seguir o mandamento: do tráfico: “não se vicie na droga que você vende”.

É duro, para o Brasil dos seres superiores, ter que admitir que um metalúrgico, tomado como semianalfabeto, um sindicalista cheio de ginga, sendo transformado num dos maiores lideres políticos que o Brasil já teve, porque descobriu o óbvio. O segredo indecifrável de que o Brasil está dividido em dois: um que trabalha e outro que rouba. O grupo dos brasileiros que trabalham também está dividido em dois: os que se consideram superiores e preferem ser roubados por um grupo de espertos a admitir que são iguais a todos os demais seres da base da pirâmide; e os humildes que são o que a mídia quiser e são comprados, na sua maioria, por qualquer tostão que lhes for oferecido. Com a distribuição de R$ 78,00 mensais por família você vira o Deus de milhões de pessoas. Não é uma questão política, nem religiosa. É científico. É consequência da estrutura mental ligada ao atendimento das necessidades humanas.

Os brasileiros que se consideram acima de qualquer coisa, ou aqueles que se consideram somente superiores por qualquer motivo precisam acordar para uma realidade: nada mudará se não houver ruptura. Preconceito é a arma adotada por quem não quer se curar. Como exemplo básico: a aceitação e a quebra do preconceito é que permite que sejam curados os alcoólatras e muitos dos portadores de câncer.

Curar o Brasil de eleger crápulas e de todas as consequências deste mal, depende de ruptura, ou o país continuará sendo vendido, visto e tratado como sadio por governantes e pela população, quando na verdade está doente e decrépito na sua essência. Isto aumenta o risco do Brasil ser tomado de assalto por qualquer potência que será então chamada de abutre ou imperialista, fazendo confundir ainda mais as coisas. Neste momento uma parte do Brasil sofre um processo de metástase. Talvez não tenha cura. E o Lula sabe disso, porque faz parte desse processo.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento