O que os pinguins de John Kotter e Holger Rathgeber aprenderam com Kurt Lewin?

A presente publicação trata-se de uma comparação da teoria de mudanças organizacionais de Kurt Lewin com o livro "O nosso iceberg está derretendo" de John Kotter e Holger Rathgeber, fazendo assim uma analogia resumida sobre o que fazer quando as mudanças organizacionais são inevitáveis

O livro escrito por John Kotter e Holger Rathgeber "O nosso iceberg está derretendo" é uma história fictícia sobre uma comunidade de pinguins que construiu sua história, práticas, cultura e afins sobre um iceberg. Nesse iceberg, as rotinas de sobrevivências sempre eram as mesmas, ou seja, todos os dias era tudo igual, não existia nada que mudasse ou alterasse as mesmices desta comunidade de pinguins. Até que um dia, foi descoberto que o iceberg estava em processo de descongelamento e que a vida da comunidade estava em perigo. Em boa parte da ficção relata as discussões do que seria melhor a ser feito e da resistência a mudanças de alguns da comunidade. Em resumo, no desenrolar da história, depois de algumas discussões os pinguins resolvem arriscar e mudar-se de iceberg, assim, salvando a comunidade e compreendendo que sempre que necessário, ou seja, a cada descongelamento "de sua casa", era necessário outra mudança.

Na mesma época que li este livro estava produzindo em um trabalho acadêmico em uma de minhas cadeiras, sobre a teria das "Fases de mudanças organizações" proposta por Kurt Lewin. Onde ele afirmava que esse processo basea-se em três fases: descongelamento, movimento e recongelamento. O descongelamento segundo Lewin é o momento que é identificado a necessidade da mudança, pois as prática, a cultura e o ambiente organizacional geram um clima de insatisfação devido a assimilação de novas experiências e praticas. Assim gerando o desejo por mudanças por parte de alguns e resistências em relação a outros. O movimento refere-se ao período de planejamento, organização, implementação e da avaliação de resultados das novas praticas e da cultura organizacional que serão adotadas para que a mudança identificada, como necessária, seja complemente incorporada pela organização. A partir deste momento, chega-se na última fase do processo de mudança organizacional que é a de recongelamento, onde a mudança à cultura e os processos organizacionais foram implementadas. E, enfim, completando o primeiro de muitos ciclo da teoria de Kurt Lewin.

A grande verdade é que sair do iceberg que sabermos como, quando e como fazer para as coisas darem certo com certeza gerará desconforto e medo, pois as mudanças, sejam no âmbito organizacional ou pessoal, geram desconforto,

pois compreendemos que será o momento de sair da zona de conforto e se aventurar em novos icebergs desconhecidos. Todavia, a sua vida profissional ou sua empresa exige que, em alguns momentos, você tome única e exclusivamente a decisão de mudança.

Quando identificarmos que o processo de mudança é de fato necessário, não é momento de decidir, que mesmo assim, ficaremos no mesmo iceberg, ou como preferir, na mesma cultura esperando por vias de fatos ele derreter, mas sim, procurar meios para nos movimentar para a procura de um novo iceberg, assim fazendo que a vida de nossa organização e sonhos profissionais tenham mais alguns anos de sobrevivências no mercado. Mudar de iceberg não é motivo para desespero e pra insegurança, mas sim, de nos aventurarmos a procura de um novo iceberg, novas desafios, explorando nossas capacidades de criação e inovando a cada dia.

ExibirMinimizar
aci baixe o app