O que o relações públicas tem em comum com o social media?

O perfil do profissional do social media não é apenas um entendido da área de tecnologia, de pessoas e sim um inteirado na arte da comunicação empresarial. Este perito já existe com outro nome há muito tempo

"Relações Públicas é a atividade e o esforço deliberado, planejado e contínuo para estabelecer e manter a compreensão mútua entre uma instituição pública ou privada e os grupos de pessoas a que esteja, direta ou indiretamente, ligada" (ABRP, 1955)

O profissional de social media não é uma novidade do século 21, consta que seja mais um foco de atuação de relações públicas. Um representante corporativo que defende e atua como se fosse a própria empresa. Usando um canal de comunicação, que é a internet, para difundir suas tradições.

Esta representação é uma profunda responsabilidade, já que sua imagem é transmutada na da empresa, e nisso consiste entender todos os aspectos da mesma. Entendendo que internamente a comunicação, deve ser, impecável e integrada. Para que a comunicação externa possa ser exemplar.

No entanto é um retrocesso pensar que somente os profissionais desta área fariam justiça ao cargo - segundo Philip Kotler ao dizer - "A medida que o ritmo de mudança acelera, as empresas não podem mais confiar em suas antigas práticas de negócios para manter a prosperidade."

Estamos lidando com um novo apogeu, que é a re-definição de certas profissões. As empresas procuram por funcionários que estejam habilitados com o 'novo' e não com o tradicional, que se revela não ser imbatível ao passar dos anos. Apenas que é um ponto de aprendizado para a novidade.

Não é preciso transformar este processo em um ciclo de turnover toda vez que precisar de ter uma solução rápida e 'barata' para sanar problemas que podem acontecer na comunicação, eventualmente.

Os micos da internet ainda acontecem. Erros são aceitos, porém erros antigos devem ser avaliados para evitar que a imagem da empresa preserve esta 'tradição'. O profissional da rede social não é apenas um entendido de tecnologia, não é um entendido apenas de pessoas, talvez o mais essencial de tudo isso é que entenda que ele é a empresa.

Naturalmente todos já ouviram de profissionais de RH que é preciso ser dono do negócio como se fosse seu, vestir a camisa da empresa. Não é um requisito único das relações públicas, mas também um elemento obrigatório para todos os envolvidos no empreendimento.

Como possuo o costume de enumerar características, ressalto o que o social media já inserido neste cargo pode optar para melhorar sua performance diante de um trabalho que é um canal direto com a imagem da empresa e obviamente seu trabalho é garantir que ela continue intacta e extrapole quando possível.

Características do 'ideal' social media.

  • Social Media é um profissional habilitado vocacionalmente¹ em comunicação social (Jornalismo, marketing e relações públicas);
  • As metas devem ser associadas a política da empresa;
  • As análises de ambiente de marketing (Organizacional, micro e macro ambiente e mercado global) devem ser itens de estudo constante;
  • O conceito B2C (Business-to-customer) é um objetivo principal;
  • O conceito de B2B (Business-to-Business) é uma situação necessária, e então é preciso haver um investimento²;
  • Os recursos do co-marketing (SIQUEIRA, André) devem ser alinhados ao objetivo da empresa e observados nas épocas certas com marcialidade;
  • É o agente integrador entre departamentos (comunicação empresarial);
  • SAC 2.0 não é uma teoria, e sim prática;
  • Trabalha-se com números e não com 'somas aleatórias';
  • Social Media é a empresa;
  • A diplomacia é a palavra de ordem do social media, e isso não quer dizer 'frases automáticas';
  • Ser um gestor de crises e exceções;
  • Um canal direto com o público ou empresa é um canal que transparece (caixa branca²) e oferece horizonte de resultados;
  • Rede social ou internet não é um ponto adicional da empresa, ela é uma forma nova de que o público irá 'encarar', difundi-la como um braço ou membros de uma outra coisa, torna óbvio que a empresa é descentralizada - o que é muito ruim;
  • A informação é poder, por isso o social media precisa ter em mente que toda informação divulgada precisa ser pesquisada, creditada e explorada eticamente.
Entende-se que o profissional de social media não é um estudante puro de conhecimento, é também o responsável por passar e preservar a imagem corporativa, é tornar o canal límpido frente ao público e utilizar das vantagens que a tecnologia proporcional: Conforto, segurança, rapidez, sofisticação e profissionalismo.

Ainda há muito chão para andar, não estamos falando de um cargo simples de ser executado e que merece muito mais atenção do que tem sido investido. Não podemos também criminalizar erros, temos é que transforma-los em oportunidades e transformar este novidade do mercado num 'produto' ouro do momento.
Notas.
¹ Não é apenas formação que vai garantir um profissional ideal. Irá garantir que esteja bem informado com últimas tendências de mercado, que o tornará mais metodológico, mas que ainda contará com a experiência e a capacidade na desenvoltura da comunicação.
² As relações empresas-empresas não é um mercado ainda visível para o social media. Ainda consta na novidade de "empresa ingressando no virtual". Tal como acontece na relação co-marketing em empresas físicas, mas em breve será uma alternativa e posteriormente uma obrigação.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.