O que esperar do LinkedIn após à compra pela Microsoft?
O que esperar do LinkedIn após à compra pela Microsoft?

O que esperar do LinkedIn após à compra pela Microsoft?

Entenda o que esperar da compra do LinkedIn pela Microsoft ocorrida nesta segunda feira.

A semana começou agitada no mundo dos negócios, no mesmo dia em que a Apple realiza o evento WWDC 2016 com o lançamento dos novos sistemas operacionais, a Micrsoft roubou a cena ao comprar a rede social corporativa Linkedin por U$ 26,2 Bilhões.
A rede conta atualmente com 433 milhões de usuários ao redor do mundo e é a principal referencia para netoworking e busca de empregos.

E como a Microsoft pretende usar o LinkedIn?

Para a Microsoft, a rede recém adquirida é uma peça chave na estratégia na companhia para a construção de soluções empresariais, e um dos objetivos principais é concorrer com o Salesforce, o qual já tentou adquirir antes.
Atualmente a Microsfot possui um grande foco em softwares, e em hardware ainda possui uma tímida e decrescente atuação no mercado de smartphones. Mas com o LinkedIn irá ganhar uma escala importante em termos de serviços para redes sociais e conteúdo profissional, este movimento começou com a aquisição do Yammer por U$ 1,2 Bilhões em 2012.

O LinkedIn sendo o maior grupo de empregados e empregadores, irá possibilitar à Microsoft um novo canal de vendas para comercializar seus produtos. Usuários do Microsoft Dynamics CRM (que está em segundo lugar na disputa com o Salesforce), irão querer utilizar o Sales Navigator do LinkedIn "para transformar o ciclo de vendas em insights aplicáveis", toda a base de dados da rede auxiliará na busca de leads, abordagens comerciais e fechamentos de vendas.
Existem outros elementos a serem considerados neste movimento, o LinkedIn adquiriu também a rede Lynda.com, uma plataforma que oferece treinamentos online, capacitando usuários com conteúdo técnico através de tuturiais em vídeo. Com isso a Microsoft aumenta o portifólio com uma relação completa de soluções para os pacotes Microsoft.

Ainda há diversas teorias a respeito das possibilidades de integração como a utilização da interface Cortana para entregar soluções da assistente virtual da Microsoft atreladas às demandas identificadas na utilização da rede.
O LinkedIn está presente em mais de 200 países e tem mais de 105 milhões de usuários ativos por mês, com um recorde registrado de 433 mi/mês. A rede também é responsável por cerca de 60% de todo o tráfego mobile, além de ser o maior repositório de vagas de trabalho do mundo, com cerca de 7 milhões de anúncios ativos.
As principais fontes de receita são provenientes de anuncios de vagas e da assinatura dos Planos Premium. O serviço de recrutamento foi responsável por U$2 bilhões dos U$3 bilhões em receita reportados em 2015.
A Microsoft fez um grande movimento no mercado de internet, que pode revolucionar a forma de fazer negócios nos próximos anos, e agora nos resta esperar para ver quais serão as primeiras ações a se concretizarem após a aquisição da rede.
ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento