O que escrever quando não se tem nada a dizer? Se não é interessante, não escreva

Se escrever é fácil... já iniciei com a letra maiúscula... onde então estavam minhas idéias? Começar é fácil... terminar também... mas então como ficam as idéias?

No dia 27 de maio de 2015 fazia exatamente 44 dias que tinha inaugurado o meu blog e vivi minha primeira "crise de inspiração". Tentei entender o porquê disso, já que existiam tantos assuntos interessantes e urgentes para se dizer.

Eu tinha tantas ideias rodando em minha mente, tantos novos assuntos para informar, tantas situações para compartilhar... então por quê? Por que razão essa "crise de inspiração"? E por que naquele momento?

Pablo Neruda diz que "Escrever é fácil. Você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca ideias".

Se escrever é fácil... já iniciei com a letra maiúscula... onde então estavam minhas ideias? Começar é fácil, terminar também, mas então, como ficam as ideias?

Naquele dia estava me sentindo exatamente como Fernando Sabino quando disse "Vou escrever alguma coisa que não sei o que seja, justamente para ficar sabendo. E que só eu posso me dizer, mais ninguém."

Afinal o que escrever quando não se tem nada a dizer?

Eu estou estudando muito sobre conteúdos, sobre a arte de escrever, tenho lido todos os blogs, textos, reportagens e agora o que está em alta são os famosos ebooks... e foi aí que eu percebi que temos uma massa de informações sendo enviada diariamente para nós com tantos emails recebidos. Diariamente são tantas informações, são tantas pessoas querendo compartilhar, querendo te dizer como fazer isso como fazer aquilo e aí me pergunto: será que funciona? É válido? Vale a pena ler tudo o que chega até nós?

Todos querem dizer alguma coisa e a moda agora é dizer: "10 coisas assim..."; "5 dicas daquilo..."; "3 formas de..."; "6 passos para isso..." e por aí vai. Não me levem a mal, eu mesma já escrevi uns dois ou três textos com essa "temática numérica" e tenho que admitir que esse tipo de texto realmente atrai... quem nunca se interessou em cumprir aqueles "n" passos e conseguir alcançar o que tanto almeja? Eu também! Claro! Mas acaba me parecendo a mesma receita de bolo, uma atrás da outra...

Mas ainda assim eu tento, eu começo a leitura super animada querendo aprender e apreender mais e mais, vou com aquela fome de "leitura" (quem lê e gosta sabe do que estou falando) e quando estou na metade do texto, chego à conclusão que, em sua maioria mas nunca generalizando, o conteúdo é tão "superficial", "sem graça", "sem força", tão "morno"... sabe aquele café que tem um cheiro tremendamente gostoso mas não está nem quente nem frio? Está simplesmente morno?! Já tomou uma xícara de café morno? É simplesmente intragável! Sem vida! Sem aquele "ápice" de toda boa leitura.

E nesse ponto vou apelar para Saramago que diz o seguinte: "Antes do interesse pela escrita, há um outro: o interesse pela leitura. E mal vão as coisas quando só se pensa no primeiro, se antes não se consolidou o gosto pelo segundo. Sem ler ninguém escreve." Pelo menos ninguém escreve bem.

Escrever num mundo tão globalizado, num mundo onde chegam milhares e milhares de informações diariamente, a cada minuto, onde você compete com vídeos, ebooks, internet, você compete com receitas prontas de bolo é quase desleal.

Escrever tem que ser algo muito mais do que simplesmente colocar palavras numa folha de papel ou numa tela de um computador, escrever tem que ser algo vívido, tem que ser algo que ilumina a vida de quem está lendo, tem que esclarecer mas tem que trazer questinamentos, tem que ser vivo, tem que ter força e vigor. Tem que ter vivacidade.

E como se consegue isso?! Leitura de Qualidade! Esse é o primeiro grande passo como diz Charles Ferdinand Ramuz "Sinto que progrido na medida em que começo a não entender nada de nada."

1. Leia bons livros!

2. Leia bons jornais!

3. Leia bons artigos!

E é só isso?! Claro que não!

1. Busque sua própria inspiração, seja num livro, numa música, num filme...

2. Escreva algo que realmente agregue valor à vida do leitor... que mude, que transforme, que ensine..

3. Pergunte-se: se fosse eu o leitor, esse texto me interessaria? se sua resposa é não, volte, apague tudo e recomece.

4. Fuja das famosas "receitas de bolos"... nem tudo é preto ou branco, nem tudo dá para seguir à risca...

5. Seja criativo, invente, tente algo diferente... pesquise o que as pessoas querem ler ou o que elas gostam de ler...

6. Pratique... pratique muito... escreva sobre tudo e peça a opinião aos colegas... peça dicas e busque algo para melhorar!

7. E por fim, se não tem nada realmente interessante para escrever, não escreva! E lembre-se sempre: "O gosto pela escrita cresce à medida que se escreve." Erasmo de Rotterdam

ExibirMinimizar
aci baixe o app