O poder do erro

Você já observou uma criança tentando andar? Ela cai, levanta, repete, tenta de novo.... Até que consegue andar e correr. O que podemos aprender com esta lição?

Quando você está diante de uma sala de aula ou um auditório em uma palestra, podemos observar algo muito interessante. Ao fazer uma pergunta e observarmos a nossa platéia, percebemos pessoas que não sabem a resposta à tal pergunta e outras que sabem mas, por receio de errar, ficam com a resposta para si mesmos. Alguns até ensaiam responder, no entanto, o medo do erro prevalece. Poucos são aqueles que tentam reponder independentemente da resposta ser certa ou errada.

Sempre que isso ocorre, questiono sobre qual é o problema em apresentar uma resposta errada. Afinal, todos vivemos em aprendizado contínuo. No mundo em que vivemos, onde a informação é divulgada em velocidade vertiginosa. Mesmo os especialistas em determinada área não podem saber de tudo sobre a sua especialidade.

E isso se expande para outros aspectos da vida onde o medo do erro, em muitos casos, impede que as pessoas empreendam. Desde a resposta à uma pergunta até a montagem de um negócio prórprio, o medo pode ser um impedimento que determina a permanência na inércia.

No entanto, tenho uma novidade pra você: Não há como crescer sem erros! Não há como tentar aprender a andar sem cair. Faz parte do processo de aprendizagem. É uma realidade inerente ao fato de sermos humanos e estarmos em contante processo de aperfeiçoamento.

Concordo que errar é doloroso, frustrante, gera desconforto, ... Enfim, nos traz uma quantidade de sentimentos que não são muito agradáveis.

É nesse ponto que percebemos a diferença entre aqueles que querem realmente construir vidas extraordinárias e aqueles que querem ficar em casa deitados no sofá e reclamando da crise e atribuindo à ela nossos fracassos.

Anular a possibilidade de erros é impossível. Mas podemos minimizar a sua probabilidade de ocorrência. Aí vão três pequenas dicas que fui aprendendo no decorrer do meu caminho e que tem me dado resultados bem interessantes:

1. Não busque conselhos baratos. Eles podem lhe custar muito. Quando resolver empreender em algo que não conhece muito bem, busque o conselho de especialistas. Supondo que você tenha R$ 1.000,00 pra investir, não vá pedir conselhos ao seu amigo que nunca ouviu falar em nada diferente de caderneta de poupança! Procure uma corretora de investimentos. Você vai pagar por este conselho, mas posso lhe assegurar que você pode ter excelentes resultados.

2. Estude sobre o que deseja empreender. Educação e horas destinadas à aprendizagem são muito eficazes na hora que resolvemos investrir nosso tempo e dinheiro em algo. Livros, cursos presenciais, cursos on line (gratuitos ou pagos), .... Busque informações e vá tirando as suas conclusões.

3. Busque pessoas com interesses comuns para trocar ideias e informações. A diversidade de informações e conhecimento que conseguimos em uma conversa com pessoas que discutem ideias é, quase, miraculosa. Tentar construir um empreendimento sozinho é uma tarefa que exige um desgaste de energia muito grande. Você pode minimizar essa quantidade de energia quando ouve pessoas que pesquisam e entendem sobre o mesmo que você. Você vai aprender coisas que os livros não mostraram, advindas da experiências de outros.

Diante destas dicas, os erros não deixarão de existir. No entanto, podemos reduzir a sua ocorrência. Mas, quando você cair no erro, pare e pense no que você deve melhorar para que este erro não venha a ocorrer.

E outros erros ocorrerão.... E assim a vida vai passando, vamos construindo uma vida extraordinária e deixando um lugado muito interessante para os nossos descendentes.

Desejo à você uma vida extraoridinária com alguns erros na sua construção.

Um forte abraço.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento