O poder da soma x o risco da divisão

O mundo em rede estabelece um novo paradigma fortalecendo a união a soma de esforços para superação dos problemas, ao contrário da divisão, paradigma sustentado pela concepção cartesiana de mundo

Na realidade estamos falando de dois mundos diferentes: o mundo cartesiano que prega a divisão, como método de ação criando a concepção sólida de “cada um em seu quadrado”, fortalecendo o individualismo com a crença de “cada um pra si, Deus para todos”; pregando o separatismo com o “cada macaco no seu galho” e por aí vai e falamos do mundo sistêmico, em rede, no qual a ideia de “sozinho, missão impossível”, ou “estamos todos juntos nesta”, ou ainda, “estamos no mesmo barco” como crenças capazes de nos levar à conquistas mais sólidas e sustentáveis e que nos guia para a superação dos graves problemas que coloca a humanidade e nosso planeta em colapso.

Analisando os debates entre os seis maiores especialistas que se reuniram para discutir os principais problemas que colocam em risco o futuro da humanidade e de nosso planeta, percebemos que partem do princípio da divisão, da concepção cartesiana de mundo. Ainda é essa concepção que rege a orquestra da humanidade em pleno século vinte e um, mas, se buscamos soluções para os problemas, que são muitos e muito graves, não encontraremos soluções dentro desse mesmo paradigma. As soluções se concentram no contexto de um novo paradigma, que é o do mundo sistêmico, do mundo em rede.

O ser humano é o único animal sobre a terra capaz de entrar num prédio em chamas, para salvar um desconhecido; o único capaz de, em situação extrema, dividir um prato de comida com seu semelhante, ou até mesmo com um animalzinho. Essa característica está cravada no seu DNA, em seu cérebro ético. Toda pessoa normal é capaz disso, não importa a raça ou em que região do planeta ela esteja. O processo evolutivo da ração humana cravou essa característica no cérebro de cada indivíduo.

Como resolver o problema da poluição, por exemplo, se não for pela soma de esforços de todos os países e de todas as pessoas? A superação do problema energético passa pela soma de esforços de todos, assim como a criação de um sistema financeiro sustentável; o combate ao terrorismo e ao fundamentalismo, como os demais problemas, incluindo ai o da divisão de rendas e até do combate à dengue.

Conheci uma família formada por oito pessoas. Ela adotou o sistema de somar esforços conjuntamente para sair do desconforto da pobreza. Em trinta anos construíram um império. Caso cada filho partisse para carreira solo (divisão) dificilmente teria um quinto do que possui conjuntamente hoje, na melhor das hipóteses. As conquistas, nesses trinta anos, equivalem à soma de duzentos e quarenta anos de trabalho individual. Foi uma forma de concretizar a divisão de renda. Se cada família ou pequenos grupos se unissem em vez de dividir teriam muito mais sucesso na solução desse e de outros problemas.

Partindo ainda do princípio presente no mundo em rede, de que “uma andorinha sozinha não faz verão”, encontraremos soluções mais rápidas na medida em que o cérebro ético de cada indivíduo - capacidade de vivenciar os valores universais positivos - for despertado. Essa característica que determina o ápice da evolução humana parece estar inda adormecida em grande parte da humanidade, impedindo que o poder da soma supere o estrago deletério da divisão.

ExibirMinimizar
Digital