O PODER DA MULHER

... Durante algumas gerações, a mulher foi considerada, erroneamente, o sexo frágil. Nada mais ridículo e mais inconseqüente. Queriam os preconceituosos e os machistas, com esse estigma, que ela ficasse acomodada e sempre procurasse proteção nos braços do homem, que como o sexo forte, daria a ela a proteção de que ela precisava. A história das suas lutas e vitórias nos mostra exatamente o contrário: Uma mulher forte, determinada, lutadora que conseguiu superar todos os obstáculos que foram colocados diante dela e todos os preconceitos que a ameaçavam e chegou ao poder. A mulher, hoje, disputa espaço, na política, com o homem e com alguma vantagem. Ocupa o seu lugar no Legislativo, embora de uma forma ainda muito discreta e já administrou, por duas vezes, São Paulo, a maior cidade da América Latina, mesmo ainda enfrentando todo tipo de preconceito e de manifestações machistas. A mulher precisa acreditar mais na sua força e brigar mais ainda pelo Poder, não deixando que, pela sua omissão, esse espaço seja ocupado por pessoas absolutamente incompetentes. Os Partidos têm uma grande dificuldade de preencher os lugares nas suas nominatas com as mulheres, mínimo de 30%, segundo a legislação eleitoral, porque elas simplesmente ainda não se conscientizaram do que são capazes. Volta Redonda apesar de ter na sua população 52% de mulheres, tem apenas duas representantes do sexo feminino na Câmara Municipal. O que mostra, mais uma vez, que as mulheres que votam na cidade do aço ainda não acreditam na capacidade e na força do sexo feminino. Está na hora de virar o jogo e colocar a mulher no poder! ...
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.