O Monge e o Executivo- Uma História sobre a essência da liderança

Resumo sobre os principais pontos em destaque do livro

Hunter, James C. O Monge e o Executivo. Uma história sobre a essência da liderança. Rio de Janeiro. Editora Sextante, 2004.

O livro conta a história de Jonh, um empresário bem-sucedido, até então, que por enfrentar dificuldades no trabalho e em casa é incentivado por sua esposa, Sara, a participar de um retiro num mosteiro afim de refletir sobre as situações passadas.

Em seu primeiro capítulo intitulado: “ As definições”, determina o conceito de Liderança e Poder. De forma bem natural, define Liderança como: “ habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum. ” (Pág.25) e Poder como: “ Faculdade de forçar ou coagir alguém a fazer sua vontade, por causa de sua posição ou força, mesmo que a pessoa preferisse não fazer. ” (Pág. 26)

Este último, infelizmente, faz parte de algumas empresas. Patrões, Chefes, aproveitam de sua posição para intimidar seus colaboradores, sempre colocando os cargos dos mesmos em jogo. Isso se torna prejudicial para a organização, pois terá colaborados com baixa estima, sem entusiasmo para realização de tarefas, acomodados, pondo em risco o caminhar empresarial.

Líderes, diferente de patrões e chefes, fazem uso da Autoridade: “ habilidade de levar as pessoas a fazerem de boa vontade o que você quer por causa de sua influência pessoal.” (Pág. 26), é deixar evidente que seus colaboradores são peças importantes dentro de sua empresa, incentivando-os nas realizações de tarefas em prol do bem comum, ora, quanto mais a empresa ganha, o funcionário também irá ganhar. Sempre ser o exemplo a ser seguindo, assim adquire respeito perante a equipe, e sem dúvidas, sendo firme em suas decisões. Um bom líder é aquele que sabe ouvir sua empresa, sendo aquele que não interrompe a fala das pessoas, o que se mostra humilde e que sabe aproveitar da melhor forma o que ouve. Os que permanecem na base, são mais perceptíveis as reações das ações feitas e podem sinalizar quando algo não está indo bem. O segredo é nunca descartar uma conversar, nelas sempre existem informações de ouro. E para isso, precisa-se estabelecer relacionamento saudável na equipe. Confiança se torna a palavra chave! O ingrediente mais importante num relacionamento bem-sucedido. Um bom líder nunca humilha seu funcionário na frente de outros. Isto é, não o corrigi publicamente. Simplesmente o orienta em particular, afim de não causar transtornos e o elogia perante todos, não como forma de bajulação, mas sim, como forma de fidelização do colaborador. “O tratamento digno e respeitoso, a capacidade de contribuir para o sucesso da organização, os sentimentos de participação sempre aparecem acima do dinheiro. ” (Págs. 36 e 37).

Em seu segundo capítulo: “ O Velho Paradigma”, mostra um novo conceito sobre a pirâmide hierárquica. Traz a reflexão de que o cliente está no topo desta pirâmide. Eles quem dizem sua real necessidade a ser atendida e que ditam o mercado. Logo abaixo, vem seus ouvintes: os associados (colaboradores), são os que recebem essas informações que logo são passadas para os supervisores, estes que trabalham para preencher tais necessidades. A seguir, os gerentes vão adotar uma nova atitude, reconhecendo que o papel deles não é impor regras, e sim, servir. Servir para atender melhor e de forma eficaz.

Servir é fazer sacrifícios, principalmente na área pessoal. É deixar de estar presente no âmbito familiar para se dedicar a atender as necessidades de outrem. Quando se serve e se sacrifica por outros, exerce-se autoridade ou influencia e como consequência, ganha o título de líder. O terceiro capítulo: “ O Modelo”, deixa bem salientado este ponto.

Ao ler o quarto capítulo: “ O Verbo”, depara-se com uma forma coerente sobre a palavra amor. Isso não só dentro de uma organização, mas na vida também. Essa palavra é sinônimo de: Paciência, Bondade, Humildade, Respeito, Generosidade, Perdão, Honestidade e Compromisso. Sinônimos esses de qualidades que um líder deve possuir. “ – Em nosso modelo, ontem, dissemos que a liderança é construída sobre autoridade ou influencia, que por sua vez são construídos sobre o amor. Então, por definição, quando vocês lideram com autoridade serão chamados a doar-se, amar, servir e até sacrificar-se pelos outros. Mais uma vez, amar não é como você se sente em relação aos outros, mas como se comporta em relação ao outros.” (Pág. 95)

O ambiente (Capítulo 5) de trabalho é outro fator muito importante a ser elencado. É no trabalho onde se passa o maior tempo do dia. ... pode-se dizer que é a nossa primeira casa. Se esse ambiente não for leve, harmonioso, não oferecer as ferramentas necessárias para execução das atividades, dificilmente trará bons resultados. Um ambiente agradável, pode não “curar” um problema, mas poder oferecer condições para adequadas para sanar o evento inesperado.

Os capítulos seguintes, seis e sete, são as considerações finais destes pontos. Falam sobre “ A escolha” e “ A recompensa”. Tudo que fazemos são escolhas que tomamos. E que essas escolhas sempre trazem consigo um bônus e um ônus. Dentro de uma empresa, essas escolhas determinam as recompensas obtidas, que podem ser boas ou não. Não ser egoísta é o primeiro passo para servir com qualidade e com menor possibilidade de erros futuros.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento