O Liberalismo e a evolução da sociedade

O Liberalismo em contraposição ao Socialismo, marcou a exaltação da doutrina dos direitos humanos aliada a democracia, na evolução da sociedade aos dias de hoje

O Liberalismo inicia-se na Renascença, através da criatividade artística, científica e tecnológica, com efeitos sobre a economia e a política. Dessa forma, busca criar uma estrutura legal e material, que permita a cada indivíduo perseguir os objetivos que julgue mais adequados. O Estado age apenas no sentido de potencializar ativamente os mecanismos de concorrência e supri-los, mediante ação planejada, nos setores em que não são adequados.

Por outro lado, o Socialismo busca a promoção da justiça social, da igualdade entre os cidadãos e a garantia de um mínimo de segurança econômica para eles. A interferência do Estado na vida econômica é extrema, para garantir o coletivismo.

Importante ressaltar então que os liberais se opõem aos totalitários de esquerda, comunistas, e de direita, fascistas.

A democracia por sua vez, é uma forma de governo caracterizada pela atribuição de poder à maioria; portanto, o governo de muitos, em oposição ao governo de poucos e ao de um só.

Assim o liberalismo limita o poder, enquanto a democracia distribui o poder, mas apesar disso não existe um dos termos na ausência do outro na sociedade moderna.

Isto porque a doutrina dos direitos humanos, que é o conjunto de direitos inatos aos seres humanos, tais como a vida, a liberdade e a segurança, direitos estes que a associação política não pode violentar ao sabor de sua conveniência; representou um marco na sociedade moderna desde a sua consolidação pelas revoluções Norte Americana de 1.776 e Francesa de 1.789.

Dessa forma, a ideia de direitos naturais do homem e a concepção contratualista de sociedade são inseparáveis de uma posição individualista, e de acordo com Norberto Bobbio, o individualismo é a condição do liberalismo.

Em consequência disso, a salvaguarda dos direitos fundamentais exige a regra democrática, e a garantia da vigência desses direitos será tão mais eficaz quanto maior o número de interessados com possibilidade de se manifestarem, por meio da voz e do voto. Ou seja, a garantia máxima dos direitos está numa situação de sufrágio universal.

Lembrando que o voto só é eficaz como instrumento de medida da vontade popular se os votantes são livres, ou seja, se votam com a proteção a seus direitos fundamentais assegurados; do contrário, o voto mediria apenas o medo da retaliação de poderosos ou a submissão ao poder econômico. Daí que hoje, democracia e liberalismo precisem um do outro.

Assim, a sociedade contemporânea é marcada pela doutrina dos direitos humanos aliada a democracia, com o liberalismo ou neoliberalismo atuando no mesmo cenário político em que ainda atuam o comunismo e a social democracia, mesmo que decadentes; e as emergentes novas esquerdas, com agendas políticas voltadas principalmente ao meio ambiente, buscando mudanças na ciência e tecnologia, na revolução da produção, nas classes sociais, na representação e gestão políticas e no sistema de poder internacional.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento