O Fim da Burocracia?

De fato, vem-se observando, nas últimas duas décadas, uma forte tendência de flexibilização do modelo burocrático. Porém, as evidências encontradas são suficientes para atestar que já encontramos alternativas para a burocracia?

De fato, vem-se observando, nas últimas duas décadas, uma forte tendência de flexibilização do modelo burocrático. Porém, as evidências encontradas são suficientes para atestar que já encontramos alternativas para a burocracia?

As novas formas organizacionais vêm sendo visualizadas basicamente de duas formas:


1. como representação de uma lógica de ação diferente da instrumental; e

2. como simples aperfeiçoamento da abordagem contingencial da administração.


A primeira, de caráter pós-modernista, enxerga a operacionalização de modos de racionalidade das novas formas organizacionais diferentes do típico modelo burocrático descrito por Weber.

Os novos arranjos adotam práticas que representam o questionamento do paradigma de produção em massa ou do modelo fordista de organização do trabalho. São organizações mais flexíveis, que enfatizam aspectos como:

tomada de decisão mais freqüente, rápida e complexa;
contínua e ampla aquisição de informação dentro e fora do ambiente organizacional;
distribuição de informações mais direcionada e o melhor gerenciamento da aprendizagem organizacional.

Porém, um estudo conduzido por Dellagnolo e Machado-da-Silva (2000) constatou que tanto a perspectiva mais gerencialista quanto a considerada crítica ou pós-modernista carecem de maior aprofundamento teórico e empírico para que sejam consideradas realmente uma ruptura com o modelo vigente.

Apesar de as novas formas organizacionais apresentarem evidências de práticas que envolvem a constituição de times ou equipes de trabalho, achatamento dos níveis hierárquicos, visão estratégica de longo prazo, constituição de indivíduos multifuncionais, atendimentos a nichos específicos de mercado, utilização de tecnologias flexíveis, dentre outros aspectos, tais abordagens não apresentam uma metodologia consistente de análise para que se possa considerar o rompimento com o modelo burocrático.

Mais uma forte razão para que continuemos estudando os clássicos...


Referências Bibliográficas

DELLAGNELO, Eloise L.; MACHADO-DA-SILVA, C. Literatura sobre novas formas organizacionais: onde se encontram as evidências de ruptura com o modelo burocrático de organizações? ENANPAD 2000.


ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.