O emprego em 2009

No dia 20/01, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou o resultado de um estudo sobre a crise financeira mundial. Este estudo, que é a reunião de várias simulações, já que não é possível traçar um quadro preciso dos efeitos da crise, prevê um crescimento da economia brasileira de 1% a 4% em 2009.

No caso do PIB aumentar 1%, seriam criados apenas 320 mil novos empregos frente ao aumento de 1,126 milhão de trabalhadores desempregados. Ou seja, somente 8,6% da população estará economicamente ativa.


Ao contrário, no aumento de 4%, seriam criados cerca de 1,3 milhão de novos empregos e 7,7% da população estariam desempregados. Neste ponto, fica claro que o número de pessoas empregadas aumentaria, mas não seria o suficiente para atender cerca de 1,45 milhões de pessoas entrando no mercado de trabalho.

O emprego hoje
Diariamente as empresas estão divulgando suas ações para se manter viva perante a crise. As últimas a anunciarem cortes e férias coletivas, foram:



· BMW: Redução da jornada de trabalho de 26 mil funcionários.
· Marcopolo: 1,8 mil funcionários em Caxias do Sul estão de férias coletivas.
· Rio Tinto: Demissão de 2,6 mil funcionários pelo mundo.
· Sadia: 350 funcionários dos setores administrativos demitidos, o que acarretará uma economia de R$ 44 milhões por ano.

O bom mesmo, seria o aumento de mais de 4% do PIB e o fortalecimento da economia mundial. Barack Obama já está no poder e as ações para mudar o quadro atual já podem começar.

Agora é hora de agir!
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.